SÃ DOUTRINA ESPIRITUAL DO SÉTIMO DIA

Abra Seu Coração Para Deus

Home Últimas Publicações Trabalhos Bíblicos Religiões Monoteístas

Últimas Publicações

Religiões Monoteístas

27 de Dezembro de 2023

Carlinhos Edwiges

jcedwiges@gmail.com

Principais religiões monoteístas do mundo


Monoteísmo é a crença em apenas um único deus. Diferente do politeísmo que creem em mais de um deus.


As três maiores religiões monoteístas do mundo são o judaísmo, cristianismo e o islamismo.


Origem


A palavra monoteísmo vem da junção de duas palavras gregas. Mono significa único, um; enquanto Theo significa deus.


O monoteísmo, para o Judaísmo, Cristianismo e Islã, tem em comum a mesma fonte, a Bíblia. Igualmente reconhecem Abraão como o pai comum de todas elas.


Abraão teria nascido em Ur, na Caldeia, uma região onde predominava o culto a várias divindades. Entretanto, Abraão intuía que só existia um único deus e por Ele foi chamado para conduzir o seu povo a terra prometida.


Para os Judeus e Cristãos a linhagem de Abraão teve sequência através do seu filho Isaque com sua esposa Sara.


Para o Islã, Abraão é chamado Ibrahim, e do seu filho com a concubina Agar, Ismael, descendem os muçulmanos.

 

Estatísticas


Segundo as estatísticas, as religiões monoteístas são as que concentram o maior número de adeptos no mundo.


Principais religiões que seguem a corrente monoteísta:

• Cristianismo
 • Islamismo
 • Judaísmo

 

Segundo o site dadosmundiais.com:

Cristianismo – 29,3% da população mundial – 2.340.120.000 de pessoas

Islamismo – 24,2% da população mundial – 1.931.050.000 de pessoas

Judaísmo – 0,2% da população mundial – 16.000.000 de pessoas

 

No Brasil, 87,5% da população segue o Cristianismo. É o segundo maior país em número de Cristãos, perdendo apenas para os Estados Unidos.


Para uma melhor compreensão é importante citar que faz parte do grupo dos Cristãos, ou seja, creem em Jesus Cristo, igrejas como a Católica, a Batista, a Assembleia de Deus, a Adventista, Congregação Cristã, a Sã Doutrina e muitas outras.

 

Não entraremos no mérito de seguimento de cada igreja ou formas de cultos. A ideia desta conversa é falar de forma mais ampla a origem das grandes religiões monoteístas do mundo e principais características de cada uma dela.


Nossa confiança é evidente que continua na revelação da Sã Doutrina e nossa fé em Cristo Jesus como nosso Salvador e que se permanecermos fiéis até o fim, seremos salvos.


Voltando as estatísticas, uma curiosidade sobre o Cristianismo: em Honduras e no Panamá, países da América Central, segundo o site dadosmundias.com, 100% da população são Cristãos.


Quanto ao Islã, países como Turquia, Argélia, Afeganistão, Marrocos, Arábia saudita, Somália e Tunísia, tem 99% da população muçulmana. Mauritânia e Maldivas é 100%.


De forma geral os países árabes são em sua maioria muçulmanos. Alguns países têm, inclusive, o nome da religião no nome oficial do país, como exemplo a República Islâmica do Irã.


Já o Judaísmo, Israel naturalmente é o país com maior número de seguidores, com 74,7% da população. Particularmente eu achava que era um percentual maior. Em Israel há 7.134.000 Judeus.  Os Estados Unidos é o segundo maior com 6.000.000, o que representa 1,8% de sua população.


De todas as religiões monoteístas, o Islamismo é a que mais cresce em todo o mundo. Presente em pelo menos 80 países, a religião Islã se baseia nos ensinamentos do profeta Maomé. Sua doutrina prega submissão e obediência à lei de um único deus, traduzido para o árabe como Alah.


Dentro do próprio Islamismo existem vertentes diferentes, das quais as mais conhecidas são as sunitas e as xiitas. Seus ensinamentos encontram-se no Alcorão, livro sagrado dos muçulmanos e que, segundo a fé islã, reúne mensagens divinas recebidas por Maomé.


O Cristianismo é a religião que possui o maior número de adeptos na atualidade. Seus ensinamentos se baseiam na crença em Jesus Cristo e tem como livro sagrado a Bíblia, reconhecendo o antigo e o novo testamento.


Assim como o Islamismo, o Cristianismo possui ramificações dentro da própria religião. As mais conhecidas são o catolicismo e o protestantismo, que é resultado da Reforma Protestante, por Martinho Lutero. Os símbolos religiosos do cristianismo também variam de acordo com a vertente dos adeptos. Enquanto a cruz é usada como referência para os cristãos católicos, os cristãos protestantes adotam a própria Bíblia como seu símbolo.


De todas as religiões monoteístas, o Judaísmo é a mais antiga. Assim como o Cristianismo, os judeus têm como livro sagrado a Bíblia, no entanto, eles se baseiam nos livros do antigo testamento. Como símbolo sagrado os judeus adotam o Menorá, que é um candelabro de sete braços. Os templos judaicos, chamados sinagogas, abrigam uma arca que simboliza a ligação entre Deus e os judeus. As sinagogas são locais de preces e de estudos e onde são realizados os cultos e rituais sagrados pelos sacerdotes chamados rabinos.

 

JUDAÍSMO
Religião monoteísta com o menor número de adeptos do mundo.


Judaísmo é uma das três principais religiões monoteístas do mundo. A crença considerada como religião, filosofia e modo de vida é a mais antiga tradição religiosa do mundo que prega a existência de um único Deus. Apesar de ser a religião do monoteísmo mais antiga, é a que possui o menor número de adeptos. Atualmente, possui 16 milhões de judeus pelo mundo, segundo o informe anual do Instituto de Política do Povo Judeu.


A maioria dos judeus estão em Israel e nos Estados Unidos, mas é possível encontrar pequenas comunidades judaicas em outras partes do mundo. Na Europa, a maior comunidade judaica se encontra na França.


O judaísmo foi fundado por Abraão no século XVIII a.C. através do seu filho Isaque com sua esposa Sara. A religião se desenvolveu com a civilização hebraica, através de Moisés, Davi e Salomão. Na visão judaica, Deus é o criador do universo e é quem influencia a sociedade humana.


Os judeus seguem os ensinamentos da Torá e da Bíblia Hebraica. A Torá compõe os 5 primeiros livros do livro sagrado da religião judaica e tem origem no termo hebraico Yará, que significa ensinamento, instrução ou lei. É considerada um guia para os judeus, com 613 mandamentos que ensinam como devem ou não agir, seja nas relações sociais, familiares, religiosas, por exemplo. Segundo a tradição judaica, a Torá teria sido escrito por Deus e nunca deve ser modificado. Para eles, os judeus pertencem a uma linhagem com um pacto eterno com Deus.


Diversas tradições e doutrinas do judaísmo são criadas e desenvolvidas com o passar do tempo. Essas tradições são seguidas de acordo com a interpretação de cada ramificação judaica. Entre as tradições mais conhecidas estão o uso de objetos religiosos, os costumes alimentares e culturais, além do uso hebraico como língua litúrgica. Definidos como um grupo etno-religioso, eles se consideram membros da tribo de Judá e são chamados de povo escolhido de Deus. Para a tradição judaica, todos os judeus são descendentes diretos dos primeiros judeus: Abraão, Isaac e Jacó.


Ao longo da história, os judeus se dividiram em grupos, alguns foram exilados e dispersados para diversas nações.


O retorno dos judeus ao Oriente Médio aconteceu em 1948, depois do Holocausto, ocorrido durante a Segunda Guerra Mundial e que matou cerca de 6 milhões de judeus. Nesse período, foi criado o Estado de Israel, que divide o território com a Palestina.


Crenças


Os judeus cultuam um único deus chamado Javé ou Jeová. Para o judaísmo, Deus é um ser onipresente, onipotente e onisciente, que criou e influencia todo o universo, e se comunica com o seu povo através de profetas.


As crenças do judaísmo se diferenciam quanto às formas de ler e interpretar as leis judaicas. As tradições religiosas dentro das ramificações judaicas são: Judaísmo Ortodoxo, Judaísmo Conservador, Judaísmo Reformista, Judaísmo Reconstrucionista e Judaísmo Humanista.


Rituais judaicos


Seus cultos e rituais são realizados em sinagogas por sacerdotes chamados rabinos. Os templos judaicos possuem uma arca na qual são guardados os pergaminhos sagrados da Torá. Segundo a tradição religiosa, a arca representa a ligação entre Deus e os judeus.


A tradição judaica segue alguns rituais sagrados, dentre eles:


Brit Milá: circuncisão de todo menino judeu aos oito dias de vida. De acordo com a fé judaica, o ritual segue os preceitos ordenados pela Torá;


Bar Mitzvah: primeira leitura da Torá feita pelos meninos judeus aos 13 anos. Esse ritual representa a iniciação na vida adulta para os meninos;


Bat Mitzvah: primeira leitura da Torá feita pelas meninas judias, realizada aos 12 anos, significa a marcação da maturidade religiosa das meninas dentro do judaísmo.


Curiosidades

• Um judeu não precisa, necessariamente, seguir o judaísmo, mas o judaísmo só pode ser praticado por judeus;

• O judaísmo não é uma religião de conversão;

• Atualmente a tradição judaica respeita a pluralidade religiosa desde que não venha ferir os mandamentos do judaísmo;

• O judaísmo é uma religião matriarcal, então todo filho de mãe judia é considerado judeu.

• Os homens judeus usam uma espécie de touca, chamada kipá, que representa o respeito a Deus no momento das orações.

• Os judeus não reconhecem Jesus como o messias, aguardando por ele até os dias atuais;



CRISTIANISMO

Doutrina religiosa criada por Jesus de Nazaré


O Cristianismo nasceu no século I, na região conhecida como Palestina. Criada por Jesus de Nazaré, a doutrina se espalhou ainda no período de expansão do Império Romano.


Estima-se que, atualmente, mais de 2,3 bilhões de pessoas são seguidoras do Cristianismo no mundo. Isso representa quase 30% de toda a população terrestre. Suas principais orientações encontram-se na Bíblia, o chamado Livro Sagrado.


O livro é dividido em duas partes: Antigo e Novo Testamento. Já seus adeptos são identificados como cristãos (“pertencem a Cristo”) e acreditam na existência de um único Deus, que é todo-poderoso e criador do universo, e em Jesus – o salvador da humanidade.


Nascimento do Cristianismo

O Cristianismo tem sua origem com a vinda de Jesus Cristo. Para a história da religião, Deus mandou que seu único filho descesse à terra para ser o messias (salvador) dos homens. Cristo seria o encarregado de difundir o amor e a palavra de Deus. Com a intensa propagação das suas ideias, Jesus se tornou uma ameaça para o Império Romano, que o considerou um mentiroso.


Algum tempo depois da morte e ressurreição de Cristo, os 12 apóstolos – adeptos que foram preparados para difundir a fé cristã – saíram em missão pelo mundo com o objetivo de levar a palavra para o máximo de pessoas possível. Esse período marca o nascimento do Cristianismo e, em seguida, de várias igrejas.


A crença conquistou tantos seguidores que, no ano de 313, o Édito de Milão proibiu a repreensão sofrida por muitos cristãos, permitindo assim a liberdade de culto. A partir desse momento, o Cristianismo passa a ser a religião oficial de Roma.


Nos séculos XV e XVI, fase das grandes navegações, a religião chegou até a América pelas Cruzadas e padres jesuítas, que durante a colonização das terras brasileiras assumiram a tarefa de catequizar os índios.


Quem foi Jesus Cristo?

Jesus Cristo ou Jesus de Nazaré foi um judeu que nasceu na cidade de Belém, por volta do ano 4 a.C. Seus pais, Maria e José, eram de origem pobre. Segundo a tradição, durante boa parte da juventude Jesus trabalhou com o mesmo ofício do pai, que era carpinteiro.


De acordo com os relatos cristãos, aos 30 anos Jesus começou a propagar seu ministério pela Galileia e na Judeia, despertando a ira das autoridades romanas e judaicas que não aceitavam a ideia de um novo líder religioso por aquelas regiões. Em suas andanças, realizou inúmeros milagres e agregou discípulos. Atormentado e preso pelos soldados romanos, foi condenado à morte pelos crimes de motim, revolta e infração contra o Estado.


Foi crucificado, morto e sepultado aos 33 anos. Porém, após o terceiro dia de morte, reapareceu diante dos seus seguidores dando a eles a tarefa de prosseguir os seus ensinamentos de amor, paz e respeito. Na Bíblia, especialmente na parte do Antigo Testamento, Jesus sempre foi o salvador, o messias esperado para livrar a humanidade dos próprios pecados.


Divisões do Cristianismo

Algumas discordâncias ideológicas acabaram incentivando a origem de outras subdivisões religiões cristãs dentro do próprio Cristianismo. O catolicismo, protestantismo e as igrejas ortodoxas são exemplos disso.


Protestantes

O teólogo Martinho Lutero provocou um dos maiores movimentos de enfrentamento às doutrinas do Cristianismo. Com os impasses, resolve sair da religião e constrói a Igreja Luterana, excluindo algumas práticas como: confissão obrigatória dos fiéis, castidade dos padres ou outros tipos de líderes, devoção aos santos e reconhecimento da soberania papal.


Após a Reforma Protestante muitas igrejas cristãs foram surgindo, como a Presbiteriana, a Anglicana e a Metodista.


A fé Cristã


No Cristianismo é possível encontrar diferentes formas de seguimento. Apesar disso, a maior parte dos adeptos do evangelho de Jesus confia nas seguintes premissas:

• Deus criou o homem à sua imagem e semelhança para reinar sobre a terra.

• Amar a Deus acima de todas as coisas e amar ao próximo como si mesmo.

• Deus e a Santíssima Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo

• Deus é justo, apesar de nos amar e não gostar de nos castigar

• Jesus e o dia juízo final: os condenados sofrerão penalidades e os salvos receberão a vida eterna.

 

ISLAMISMO

Vertente religiosa criada pelo Profeta Maomé


Islamismo ou Islã é uma doutrina do monoteísmo embasada pelos ensinamentos do Alcorão, livro sagrado com as revelações de Alá (Deus), para o Profeta Maomé.


O Islã é uma religião que prega a crença nos anjos e no fatalismo, isto é, no dia do julgamento final. Estima-se que, atualmente, mais de 1,9 bilhão de pessoas são seguidoras do Islamismo no mundo. São chamados muçulmanos os seguidores do Islã. Para alguns estudiosos do assunto há uma expectativa de que até o final do século XXI o Islã pode superar o Cristianismo em número de adeptos.


Surgimento do Islamismo

Segundo a tradição islâmica, Maomé, por volta dos 40 anos, recebeu a visita do anjo Gabriel, que lhe trouxe mensagens de Deus e instituindo-o como o último profeta. A partir desse momento, ele passou a propagar as revelações e a crença em um único Deus pelas ruas de Meca que é uma cidade da Arábia Saudita. O profeta dizia que aqueles que seguissem às leis do Alcorão iriam para o paraíso, já os outros seriam punidos no inferno.


Perseguidos em Meca, Maomé e seus seguidores fugiram para Medina, lugar que abrigou a primeira comunidade islâmica da Ásia. Essa migração forçada, conhecida como Hégira, deu início ao calendário muçulmano.


Recebeu a revelação nos anos 40 e morreu em 632 pareceu ilógico.


O profeta Maomé morreu no ano de 632, após reunir toda a Península Arábica em torno do Islamismo e ter se tornado um dos principais líderes religiosos da história.


Conceitos do Islamismo

Uma das principais leis sagradas do Islamismo é a Sharia, que significa o caminho que os muçulmanos devem buscar para entrar em sintonia com Deus. Para isso, os seguidores devem realizar os Cinco Pilares – que são práticas religiosas voltadas para o desenvolvimento do senso de submissão a Deus. São elas:


Profissão de Fé: a crença em apenas um deus e no profeta Maomé.


Preces Rituais: os muçulmanos devem realizar cinco orações diárias (manhã, meio dia, à tarde, início da noite e antes de dormir), de forma coletiva nas mesquitas ou individualmente, contanto que esteja em direção à Meca.


Doações: contribuição anual dada pelos mais ricos, chamada de Zakat.


Jejum: na época do Ramadã (nono mês do calendário islâmico), os muçulmanos jejuam durante o dia, exceto crianças, doentes e idosos. O consumo de alimentos e bebidas é liberado ao anoitecer.


Peregrinação: Pelo menos uma vez na vida os muçulmanos devem peregrinar até Meca (Hadj). Na terra de Maomé, há o compromisso de circular sete vezes em volta da pedra negra, Caaba, localizada no saguão da Mesquita de Al-Haram.


Símbolos Islâmicos

Os símbolos são utilizados em praticamente todas religiões. Com a fé islâmica não seria diferente. Sendo assim, podemos destacar:


Alcorão ou Corão

Livro sagrado que reúne as revelações de Deus para Maomé. É escrito em árabe e dividido em 114 capítulos. De acordo com a crença islâmica, o profeta passou 23 anos recebendo mensagens e visões de Alá (Deus). Com isso, após captar os ensinamentos divino, ele se reunia com seus seguidores e reproduzia tudo que Deus teria dito. Os adeptos tinham a função de registrar essas mensagens.


Lua Crescente com estrela

Considerado o símbolo mais popular do Islã, a lua crescente com estrela caracteriza a dignidade, soberania e a renovação da vida e natureza. Serve também como referência ao calendário lunar, que antes era intensamente utilizado pelos povos árabes.


Além disso, a estrela que fica junto da lua representa os cinco pilares da doutrina: fé, oração, doação, jejum e peregrinação.


Islamismo no Brasil

A religião islâmica chegou em território nacional durante as primeiras expedições, especialmente pelos navegadores árabes. De acordo com historiadores, o Islã surgiu no Brasil por causa de três momentos: escravidão, imigração e conversão. No período de escravidão, muitos africanos muçulmanos foram trazidos para o país, construindo assim uma rede de tradições islâmicas e de costumes árabes.


O segundo momento, a imigração, caracterizou-se pela chegada dos refugiados, pessoas que saem do seu país de origem fugindo de guerras civis e religiosas, e em busca de melhores condições de vida. No Brasil, muitos imigrantes muçulmanos criaram comunidades na região de São Paulo.


A conversão é a terceira marca da corrente islâmica no país, mesmo sem poder estimar o número exato de convertidos, já que a religião muçulmana não realiza cerimônias de conversão.

212