Foto da noticia

O Papel da Mulher na Família

12 de Janeiro de 2016

RDM - JSC - Campinas - SP


sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Trabalhos
 
Introdução
Diz o Salmista:
 “De coração te busquei Senhor, não me deixes fugir dos teus mandamentos. Guardo a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti” (Sl 119:10-11)

Hoje ouvimos as crianças, jovens e adultos falando sobre suas famílias e sobre a importância de nelas depositar sua confiança. Contudo, sabemos que a família é constituída por membros com características e atribuições diferentes, de modo que cada um pode contribuir para que essa instituição chamada Família possa obter êxito. Evidentemente que cada um dos membros busca desenvolver seu papel da melhor maneira possível, mas hoje especialmente gostaríamos de falar sobre a importância do papel da mulher dentro dessa Instituição chamada Família.

Mulher que pela Bíblia é tida como o vaso mais fraco, ajudadora e submissa ao seu esposo, mas que nos dias atuais também tem desenvolvido inconscientemente (em alguns momentos) outros papéis que a vida moderna lhe apresenta, sem se esquecer da prudência e obediência às palavras do nosso Deus.

Há um dito muito conhecido que diz: por trás de um grande homem existe uma grande mulherMuitos já não usam mais esta versão, colocando o advérbio “ao lado” ao invés de “por trás”. Independentemente das palavras que estão sendo usadas, é necessário lembrar o mais importante: será que todos conhecem e valorizam a função exercida pela mulher em sua família?
Vejamos o que o dizem os provérbios de Salomão sobre a mulher.
“A mulher sábia edifica a sua casa.” (Provérbios, 14:01)
Como seria o modelo de mulher sábia dentro de uma família?
- Aquela que se dedica integralmente ao lar, seus filhos e marido;
- Aquela que concilia as atividades do lar e família com o trabalho externo;
- Ela também poderia contribuir no fortalecimento espiritual? 

Nas escrituras, há mulheres dos mais diferentes perfis, que foram bem-aventuradas e demonstraram um grande temor a Deus. Sara foi uma grande apoiadora, capaz de abrir mão de seus anseios para acompanhar seu marido, Abraão, e assim poder cumprir a promessa de Deus. Ester, por sua vez, foi uma rainha determinada, que lutou para livrar seu povo da opressão. Temos, ainda, Débora, mulher de Lapidote, que julgava a Israel e tinha grande comunhão com o Senhor.

Dentre as mulheres que seguiram o caminho do Senhor e foram peças valiosas em suas famílias, há muitos exemplos na Bíblia Sagrada que poderíamos citar: desde mulheres que atuavam em seus lares até algumas com cargos políticos importantes. Percebemos então, que não há uma receita ou modelo a ser seguido, mas existe um ingrediente comum, que é o amor a Deus e a sua família. 

“Enganosa é a graça e vaidade a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada. Dai-lhe do fruto das suas mãos e louvem-na nas portas as suas obras” (Provérbios, 31:30-31)
 
As Mulheres Casadas no Contexto Familiar

Na família contemporânea, os atributos da mulher vão muito além da maternidade. A mulher casada acumula múltiplas funções, que vão desde trabalhar fora para contribuir com o orçamento doméstico até buscar uma educação material e espiritual aos seus filhos, sem deixar de ser “dona de casa”. 

Na sociedade, a mulher tem buscado a ascensão profissional, sendo que tal busca tem sido somada às suas responsabilidades do lar. Este acúmulo de atividades exige uma grande habilidade e cuidado, para que não venha a promover desgastes excessivos na relação com os outros membros da família. 

É nesta sociedade que a mulher cristã tem um vasto espaço para exercer a sua influência de mulher forte, justa, firme na fé, corajosa, santa e evangelizadora, sendo instrumento das bênçãos de Deus para a família e para os outros. Mulher que deixa o suave perfume de Cristo por onde passa, que educa seus filhos com amor, paciência, justiça e dedica muito do seu tempo à sua família. Mulher que com seu amor e certeza investe na família e no seu aprendizado.

Observemos então duas mulheres que Jesus visitou em uma aldeia, cujos nomes são Marta e Maria. Marta estava sempre muito ocupada com seus serviços, porém Maria se assentou aos pés de Jesus para ouvir suas palavras. Maria escolheu a boa parte, enquanto Marta se mantinha com seus afazeres. Da mesma forma, não podemos deixar o estresse de nosso dia-a-dia e nossas tarefas cotidianas nos consumirem até mesmo nos fazerem deixar de lado essa “boa parte”.

Também, compete ao homem contribuir para que o casal tenha uma vida equilibrada, para que ambos aproveitem dessa boa parte, não deixando que a combinação de atividades excessivas resulte em estresse e depressão, doenças que têm atingido muitas mulheres atualmente. Para que a mulher também tenha condições de se desenvolver espiritualmente e ter mais momentos tranquilos com sua própria família.

Ouvimos então, o Salmista, como será a mulher daquele que teme a Deus:
“A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos, como plantas de oliveira, à roda da tua mesa.”(Salmos, 128:3)

Enfim irmãs, que unidas pelo sacramento do matrimonio e alimentadas pela Palavra de Deus, possamos nos fortalecer para vencer com alegria e coragem os problemas que a vida nos apresenta. Que a alegria de ver nossas famílias envolvidas no propósito de Deus, possa continuar enchendo de satisfação os nossos corações.

As Mulheres Solteiras e a Colaboração na Família

Quando falamos em mulher, logo pensamos na companheira do marido. Entretanto, encontramos a figura feminina em vários patamares dentro de uma família: filhas, irmãs, avós, entre outras. Tais figuras também são amplamente mencionadas na Bíblia Sagrada.

Vejamos o exemplo de Miriã, que, sendo irmã do profeta Moisés, sempre acompanhou seus passos fielmente, anunciando a Palavra de Deus a Israel. Ao ser posto no cesto por sua mãe, quando ainda bebê, o profeta teve a seu lado Miriã que, usando de muita sabedoria, indicou à filha do Faraó a própria mãe para cuidar de seu irmão. Após Israel ter feito a travessia do Mar Vermelho e, com grande êxito, ter se livrado do exército de Faraó, Miriã fez frente a um grupo de mulheres que cantavam e louvavam a Deus.  Com certeza, Miriã foi uma grande apoiadora do profeta Moisés, estando presente em momentos de grande importância em toda a história de escravidão e luta pela libertação dos israelitas.

Outra passagem importante sobre mulheres que se ajudavam na família está no livro de Rute. Rute ficou viúva de Malom, filho de Noemi, porém, mesmo após a morte de seu marido, Rute não abandonou sua sogra, seguindo-a até a terra de Belém. Inicialmente, Rute enfrentou algumas dificuldades, mas ouviu os conselhos de sua sogra Noemi, e, pela graça de Deus se casou com Boaz. Rute foi um exemplo de mulher verdadeiramente companheira para sua sogra, ficando ao seu lado no momento em que ela mais precisou.

Podemos dizer que Rute foi virtuosa, conforme comparação em Provérbios.
“Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor excede o de rubis.” (Provérbios, 31:10)
Às nossas jovens desejamos que possam aproveitar este tempo, no qual ainda não têm tantas responsabilidades para se envolverem de fato com as atividades religiosas e se tornarem participantes ativas. Disponibilizando-se para assumirem funções nas reuniões, desenvolverem-se nos cultos espirituais, entre outros. Trazendo assim benefícios para si e para todos de sua comunidade.
 
Conclusão

Vimos então, que mulheres de todas as idades têm papel importante de apoio dentro de sua família, não só para o marido e filhos, como acontece no caso das que são casadas, mas também aos seus irmãos e pais, especialmente no caso das solteiras.

Sabemos que muitas funções dentro de nossa doutrina competem, de acordo com a Bíblia Sagrada, apenas aos homens exercerem. Porém, isso não impede que nós os ajudemos na realização de tarefas que são de extrema importância para o enriquecimento da Sã Doutrina e de nossas próprias vidas espirituais. Agindo desta forma, nós mulheres cristãs, estaremos contribuindo de fato para a integração da família espiritual.

Após tudo que ouvimos hoje, podemos concluir que as atribuições indicadas pela sociedade moderna são inúmeras, por isso é muito importante que a família valorize isto e contribua diariamente, para que juntos possam formar um lar saudável, equilibrado e, principalmente, abençoado por Deus.

Finalmente, queríamos fazer o nosso último apelo a todos que estão inseridos em uma família. Homens confiem em suas mulheres. Mulheres confiem em seus maridos. Filhos, confiem e respeitem seus pais. Irmãos confiem em seus outros irmãos. Esperamos assim, que a confiança seja recíproca e todos possam recomendar uns aos outros: CONFIE NA SUA FAMÍLIA!

Elaborado por:
Aline, Sandra, Julia, Bruna, Adriele e Vanessa Lopes

Atualizado em ( 12-Jan-2016 )

Publicações