Deu branco ...

31 de Julho de 2016


Escrito por PAPE_JSD - Entrevista com Jecer de Souza Brito   
14-Oct-2008

O PAPE INFORMA Boletim Informativo das Atividades do Programa PAPE_JSD – nº. 17 - Junho e julho de 2008.
 
Mensagem da Coordenação
Por José Fatuch Jr.
 
   Ao iniciar as nossas atividades, em fevereiro de 2006, utilizamos este espaço para divulgar os propósitos do Programa PAPE_JSD, um dos quais vamos repetir:

   -”Proporcionar condições para que os   participantes adquiram conhecimentos e habilidades a fim de facilitar-lhes o ingresso no mercado de trabalho ou nas escolas de suas preferências.”

   Mantemos a nossa posição inicial, de que a ampliação de conhecimentos é de grande relevância para a obtenção de melhores desempenhos em processos e concursos de cunhos escolar ou profissional.

   Nesse sentido, temos abordado assuntos dos mais variados, mas todos de reconhecida importância para a formação escolar ou profissional de nosso público.

   Vejamos o caso da China, por exemplo, cuja história, política, religiões e outros aspectos foram estudados em uma reunião do PAPE, em meados do ano passado. Já faz alguns anos que esse grande país está se preparando para sediar as Olimpíadas, que brevemente todos poderemos acompanhar pela mídia.

   Outro estudo realizado pela coordenação e participantes do PAPE foi sobre o Oriente Médio, já há algum tempo, de onde se originou uma apresentação específica, sobre a história de Israel, em uma das reuniões de Jovens do último ano.

   A propósito, o trabalho sobre Israel acabou sendo motivo de contentamento e estímulo para esta coordenação, uma vez que tem sido bastante consultado na biblioteca do site da Sã Doutrina (www.sadoutrina.org). Aliás, naquele espaço, podemos encontrar muitos textos de extremo interesse dos irmãos.

   Em nossa próxima reunião falaremos sobre a Índia (convite ao lado).  
   Até lá, se DEUS quiser.
 
 ESPAÇO PROFISSÃO
Por Sidney Mendes
 
NASCEU . . . . . .
Dia 6 Junho nasceu minha segunda filha. Agora sou um feliz pai de 2 meninas, a Vanessa de 4 anos e a Laura de apenas 1 mês. Bom, mas o que é que isso tem a ver com o PAPE?   Olha, é óbvio que o nascimento de minha filha não tem qualquer ligação com assuntos relacionados ao aperfeiçoamento profissional e estudantil dos jovens da Sã Doutrina.  Porém, eu não posso deixar de compartilhar com todos vocês, jovens da Sã Doutrina, o significado dessa experiência (a de ter uma família) que essa sim tem relação com escola, trabalho e profissão.  E por que falo isso? É simples. Quando se é jovem, é normal acreditarmos que temos todo o tempo do mundo pela frente, que tudo se resolverá no futuro, que tudo vai dar certo, etc

Porém, a medida que o tempo vai passando, nossas responsabilidades vão aumentado, a pressão da família, dos amigos e da sociedade também aumenta sobre nós, e somos de alguma maneira “empurrados” para a vida, para o mundo real e é normal aparecer o stress pela cobrança das pessoas e pelas expectativas que a nossa família deposita em nosso futuro e na nossa vida. Nesse ponto, é importante que as coisas aconteçam no tempo certo, e que quando as coisas acontecerem, é primordial que estejamos preparados ou pelo menos com algum conhecimento ou maturidade para entendermos cada momento e cada etapa de nossas vidas.

É comprovado que a fase mais produtiva do homem (em todos os sentidos) é a fase que vai dos 25 anos até os 50 anos, com pico de produtividade entre os 35 e 45 anos. Na mulher esse pico vai de 30 a 40 anos. E porque isso? É a fase onde as pessoas estão se afirmando na vida, buscando um emprego ideal, buscando um local ideal para viver, construindo suas casas, constituindo família e se estruturando financeiramente.

Sendo assim, caros amigos participantes do PAPE, você que é bem jovem ainda, prepare-se para esse futuro!  Não pense você que encontrará tempo ou mesmo condições de fazer aquela tão sonhada faculdade ou curso de inglês com 30 ou 40 anos. É claro que muitas pessoas nessa fase da vida fazem isso, porém as dificuldades serão imensas, pois como mencionei, uma pessoa nessa etapa da vida vive correndo contra o tempo, com inúmeros afazeres e responsabilidades que naturalmente a pessoa vai adquirindo. Resumindo: Não dá pra ser “pai” de Família ou “mãe” de Família acreditando que terá um estilo de vida onde poderá acordar a hora que quiser, viajar para  onde bem entender, ou fazer tudo aquilo  que tiver vontade de fazer  tendo como referência o seu próprio “ego”. 

Uma pessoa de meia idade dedica uma grande parte de seu tempo a responsabilidades inerentes a essa fase da vida. Essa é a época da vida onde a interdependência entre as pessoas atinge o seu ápice, transformando a vida em comunidade muito mais intensa.  Posso lhes garantir com certeza que o grau de dificuldade em passar por essa fase da vida está diretamente ligado ao seu preparo quando bem jovem.E esse preparo começa já na adolescência. Repetindo uma frase famosa e bem conhecida: “ A vida não é fácil!!” Pensem nisso.
 
 ESPAÇO EDUCAÇÃO
Por José Carlos Edwiges
 
Deu branco...                                                                                       
Você já sacrificou horas e horas de lazer para estudar para uma prova importante e na hora “H” deu um branco? Esta situação já atrapalhou muitas pessoas que, por nervosismo e ansiedade, estudou demais, porém sem motivação. Por isso é importantíssimo trabalhar o lado emocional em conjunto com os estudos, para evitar situações como essa, principalmente para quem está pensando em prestar uma prova de vestibular ou de um concurso público e sabe que não pode vacilar para conquistar uma vaga, seja na universidade ou em um serviço público e ter a famosa estabilidade de emprego.

Especialistas associam a falha na memória com a falta de motivação e métodos equivocados na hora dos estudos. O “branco” é o resultado do desequilíbrio entre aspectos emocionais, físicos e de inteligência.

O medo, os conflitos entre um desejo ou proibição (quero sair, mas tenho que estudar), desconfiança ou sensação de impotência e das pressões por um bom desempenho na prova, são os principais fatores que podem atrapalhar o desempenho do aluno na hora da prova e levá-lo a ter um possível branco.

Para superar esses conflitos e ficar bem na prova, o estudante deve falar sempre frases positivas, para despertar o autocontrole e a autoconfiança. Além disso, não precisa se privar de coisas que queira fazer. A palavra chave para isso se chama organização, é estudar no tempo previsto e ocupar o tempo restante para o lazer, como sair com os amigos. É só saber montar um horário flexível onde possa deslocar algumas atividades e alterná-las com os estudos. Seguindo as regras estipuladas, estará mais tranqüilo na hora de qualquer prova, sem aquele peso na consciência.

É importante também comer e dormir bem sempre. Respirar fundo é imprescindível para oxigenar melhor o cérebro. Se não há uma via por onde as informações possam passar, o cérebro não consegue formar novas memórias nem recuperar memórias antigas.

Outra questão importante é a memorização, que se resume à “decoreba”. Quem apenas decora o conteúdo, tem maior possibilidade de ter um branco.Quando o aluno decora, ele só usa um dos três níveis de conhecimento, que é o nível de reconhecimento. Os níveis de evocação (recordar e organizar o assunto) e o nível de domínio (raciocinar e abstrair o assunto) ficarão para trás e isso pode contribuir para o branco.
Outra coisa é a... aquela... ah, sabe... ah, me desculpem, mas me deu um branco agora...
  
ESPAÇO DO LEITOR
 
O Poder de Transformação da Leitura
Como avaliar os progressos e transformações que o hábito da leitura pode atribuir a qualquer pessoa, sem que se tarje a sua classe social, étnico ou ainda religioso que seja?

O que se deve considerar é que inegavelmente o bom hábito da leitura atribuirá ao sujeito valores para vida toda. Valores estes que estarão o acompanhando nos estudos, no trabalho e na sua própria casa.

“O poder  de transformação da leitura” é real, basta observarmos por exemplo como uma pessoa que está habituada a ler livros (e nisto se incluem revistas, jornais etc.) tem mais poder de expressão e convicção na hora de expor as suas idéias. Este costume poderia muito bem estar inserido como tradição de todas as gerações e famílias do mundo. Algo que o seu pai te passou porque o pai dele transmitiu a ele, da mesma forma porque o pai do seu avô também permutou essa tradição. Da mesma forma que normalmente conhecemos muitas pessoas que lêem habitualmente sabemos que invariavelmente muitas outras não praticam uma boa leitura.

A leitura tem o poder de nos “tirar” mesmo que por alguns minutos dessa realidade que vivenciamos, caso a leitura seja uma ficção. Temas mais relevantes como a política ou o meio ambiente fazem-nos refletir e sermos formadores de opinião e transformadores da sociedade. Todo conhecimento esta na leitura, e esta ciência milenar faz parte do dia-a-dia dos cidadãos brasileiros e todos os demais cidadãos do mundo e em um país sub-desenvolvido como o Brasil onde fatalmente sabemos que os níveis de analfabetismo são tão elevados e essa ferramenta de transformação parece ainda estar distante de muitos cidadãos adultos, idosos e nossa infância que é “massacrada” por uma educação publica que deixa muito a desejar.

No atual cenário da educação no Brasil vemos vários projetos de ONG’s e governamentais que têm dado certo, mas que precisam ser ampliados. A marginalização da sociedade tem travado uma luta desleal contra aqueles que sonham com dias melhores em que todo cidadão brasileiro terá plenas condições de decidir-se por si só e revogar os seus direitos. A leitura é a ferramenta ideal para uma educação de qualidade de uma nação que esta carente de uma mente sã e um corpo são.
 
*Redação que me rendeu o ingresso à universidade, escrita para a prova do ENEM do ano de 2006.    
 Edgar Macedo.                                                                        
 
 O nosso Cérebro ....  (é DOIDO !!!!)
 
De aorcdo com uma peqsiusa
de uma uinrvesriddae
ignlsea,
não ipomtra em qaul odrem as
lteras de uma plravaa
etãso,
a úncia csioa iprotmatne é
que
a piremria e útmlia lteras
etejasm
no lgaur crteo . O rseto pdoe
ser
uma bçguana ttaol , que
vcoê
anida pdoe ler sem pobrlmea .
Itso é poqrue nós não lmeos
Cdaa ltera isladoa , mas a
Plravva
Cmoo um tdoo.
Sohw de bloa !
Colaboração: Adrielle Ferreira
 
 E N T R E V I S T A   D O   M Ê S 
 
Dando continuidade à série de entrevistas com lideranças da Congregação do Jardim São Cristóvão, trouxemos para esse espaço o nosso irmão JECER DE SOUZA BRITO, casado com a IRACI BRITO DA SILVA e pai do CAIO CÉFAS DE SOUZA BRITO. Recentemente, muitos irmãos estiverem presentes no lançamento de seu livro intitulado “GESTÃO DE SENTIMENTO” e este é um dos assuntos tratados a seguir, além de vários outros muito importantes como religião, família e trabalho. Boa leitura.
 
PAPE: Seu conhecimento bíblico é notório. Como conseguiu obtê-lo?
JECER: Historicamente, ou seja, desde os tempos dos Profetas, Deus já trazia para os seus revelações e eu creio nas revelações como sendo o principal pressuposto do conhecimento. Não obstante, paralelo a isso, você tem que se preparar para recepcionar as tais revelações e eu me preparo colocando o culto na minha rotina (He 5:14 ).
 
PAPE: Fale um pouco sobre a sua participação na Sã Doutrina, desde a juventude.
JECER: Graças a Deus sempre ativa em eventos, reuniões, casamentos, velórios, batismos etc. Eu cultivei muitas lembranças alegres e tristes e fico satisfeito de fazer parte dessa história.
 
PAPE: Você trabalha na Prefeitura há quanto tempo? Qual a sua função e como foi a sua trajetória nesse emprego?
JECER: Completei 14 anos dia 28/01/08 e iniciei como Ajudante de Serviços Gerais, passei para Assistente de Gestão e atualmente sou Agente de Operações. Cabe dizer que, devido à precariedade do serviço público, essas nomenclaturas nada alteram o desejo daqueles que querem contribuir. Assim sendo, executei "N" tarefas, tais como: Operador de Máquinas, Motorista de Veículo Pesado, Fiscal, Apontador de Obras e até uma das edificações fui eu que fiz o desenho arquitetônico. O que faço hoje basicamente é atendimento ao público com informações e encaminhamentos.
 
PAPE: Como vimos, você concluiu recentemente o curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos. Em que essa formação contribui para o seu trabalho?
JECER: Quando se tem qualquer informação que você consegue compilar e inserir no seu rol intelectual, isso ajuda, mas existe a influência fortíssima do "status" no mundo Organizacional, ou seja, as pessoas não se atentam para as suas palavras e sim para sua formação.
 
PAPE: Houve alguma contribuição dessa formação para a sua vida religiosa ou como líder do grupo de Cântico?
JECER: A Igreja e o Grupo de Cântico pedem conhecimento específicos e talvez por isso não ajudou muito. Entretanto, a formação nos ajuda a alicerçarmos e, quando estamos melhor alicerçados, isso reflete naquilo que executamos.
 
PAPE: Recentemente você falou de sua proximidade com seu filho. Afinal, quantas horas tem o seu dia?
JECER: As últimas campanhas salariais da Prefeitura não têm tido êxito em pecúnia e sim no salário indireto, que é o aumento em detrimento da carga horária. Isto, atrelado ao não pagamento de horas extraordinárias, acaba gerando um grande banco de horas, permitindo que você passe mais horas com a família, porém sem dinheiro.
 
PAPE: Muitos irmãos presenciaram o lançamento de seu livro. Como você se sentiu realizando essa obra?
JECER: É um dia muito especial, como o dia do casamento, colação de grau, nascimento do filho etc.Até mesmo por conta da expectativa de pelo menos 13 anos.
 
PAPE: Como e quando surgiu a idéia de escrever? Vai parar por aí ou tem mais?
JECER: Surgiu do desejo de contribuir para o universo literário em meados de 1995, quiçá por ser um leitor racional. Gostaria de poder lançar outra Obra Literária mas não independente, pois, agora irei atrás de patrocínio.
 
PAPE: Quanto ao projeto do PAPE, o que você acha e qual seu conselho para os jovens nos dias atuais?
JECER: O projeto PAPE é interessante principalmente pelo cunho social, principiado na comunidade de onde se espera que o integrante tenha raízes. Quanto ao conselho, entre tantas coisas que poderiam ser ditas, escolho dizer que estar em Cristo é INSUBSTITUÍVEL , portanto não se enganem com nenhuma outra proposta.

Atualizado em ( 23-Oct-2008 )