Foto da noticia

João Alves da Silva - Juara - MT

18 de Julho de 2016


João Alves da Silva - Juara - MT

Escrito por Bruna Gabriela   
26-Mar-2012
www.sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Entrevistas

 - João Alves da Silva
 
O irmão João Alves da Silva, nascido em 22 de março de 1937, tem hoje 75 anos de idade e 72 anos de Sã Doutrina. Casou-se em 1957 com Joana Alves da Silva; estão com 55 anos de casados e tiveram 6 filhos. Nosso entrevistado reside em Juara-MT.
Este irmão é filho de Antonio Alves da Silva e Aparecida Barbosa, tendo mais um irmão e três irmãs. A família se converteu na Sã Doutrina em 1940, quando ele tinha apenas 3 anos de idade.
Foram evangelizados por um rapaz chamado Francisco, um jovem entre 25 a 35 anos, e que tinha um grande potencial religioso e realizava grandes maravilhas, como curas de várias doenças, inclusive contagiosas. Fizeram parte do batismo como primeiros crentes conhecidos pela família nesta ocasião, a profetiza irmã Sebastiana e seu esposo irmão Mariano, que eram de Andradina-SP, e também Benedito Moreira, conhecido por Benedito Coqueiro.
O irmão João fez um relato dos lugares em que morou. No ano de 1952 saiu de Andradina e foi para Novo Bilac, município de Floraí-PR. Em 1958 foi para Itapira do Rio Branco. Em 1960 voltou para Bilac. Em 1964 foi para Maria Helena onde permaneceu até 1983, ano em que veio para Novo Horizonte do Norte – MT, permanecendo ali até 1985. Depois veio pra Juara – MT, onde reside até hoje.

O irmão João aos seus 74 anos de idade
 
Site: Quais os momentos que o senhor considera mais difíceis vividos na Sã Doutrina e como estes fatos ou dificuldades contribuíram para aumentar a sua fé na Igreja?
Conheci a Sã Doutrina e fui convertido por meio de provação. Eu e uma irmã minha de um ano de idade estávamos doentes. Eu com um problema nas vistas e ela com aquela doença conhecida como “mal de simioto”. Naquele tempo recurso médico era muito difícil e fomos curados na Sã Doutrina através das orações do Francisco e dos trabalhos espirituais que ele realizava a nosso favor. Neste tempo morávamos em Andradina, SP.
Essa minha irmã já desencarnou e não estava mais na Doutrina. Também meu irmão abandonou. Tenho  uma irmã que ainda segue e se Deus quiser vamos até ao fim. O nome dela é Noemia Alves da Silva e mora em Maria Helena, região de Umuarama PR e seus filhos todos estão permanecendo na doutrina.
Naquele tempo vi muitas maravilhas acontecerem ali, muitas curas ser realizadas. Até tuberculosos foram curados. Eram trazidas muitas pessoas endemoninhadas na congregação. Essas pessoas eram trazidas amarradas, com muitos homens segurando e ao chegar o apascentador (Francisco) pedia pra soltar e dizia: “Aqui não prendemos a carne, e sim os espíritos imundos”. Essas pessoas saiam dali curadas.
O fato que aumentou a minha fé foi ao ver um homem endemoninhado que saiu do mato na roça onde estávamos trabalhando cortando arroz na roça do Francisco. E tinha muita gente, pois era de costume naquele tempo, as pessoas ajuntar na roça de um e depois na roça do outro. Os crentes que eram novos de convertidos, quando viram queriam correr atrás dele para pegar, mas o Francisco não permitiu. Chamou todos para congregar em oração e o homem voltou e veio andando para onde estávamos trabalhando. Ele perguntou ao homem se ele queria comer e o homem respondeu que sim. Então o Francisco pegou as comidas que tinham para a merenda e deu para ele que comeu muito bem. Depois convidou ele para trabalhar ali junto no corte de arroz. Ele aceitou trabalhar, e o apascentador foi na sua casa buscar outro ferro de cortar arroz e roupa para ele se vestir, pois estava completamente nu.  
Os crentes por ser novos de convertido, ficaram com medo, porque um homem chegar naquela situação e pegar um ferro de cortar arroz pra trabalhar. Mas ele trabalhou a tarde toda com eles e não teve problemas. A tarde foi embora pra casa do apascentador e a partir daquele dia iniciaram os trabalhos espirituais de curativos para ele. Com as orações, jejuns e vigílias, os espíritos foram presos e o homem foi curado. Assim que sarou, queria buscar a família para próximo dos crentes e como todos eram fraquinhos, o apascentador juntou um pouco de dinheiro com cada um dos irmãos e deu para ele que buscou a família; a esposa e um filho. Todos converteram e foram batizados, permanecendo ali por uns tempos até que foram embora para outra localidade, onde devido ao trabalho que exercia adoeceu e morreu.  
Site: Na sua época de juventude tinha reunião de Jovens na Sã Doutrina?
Não existia reunião de jovens. A reunião de jovens surgiu por intermédio do irmão Joaquim Néris Pereira em Umuarama. Neste tempo congregávamos juntos. Então a reunião de jovens nasceu ali e dali foi pra Campinas.
Site: O senhor considera que a reunião de Jovens hoje é importante para os crentes da Sã Doutrina, principalmente para os Jovens?
É importante não só para os jovens, mas também para todos. Até para os que são de idade na Sã Doutrina. Porque todos sabem que uma andorinha só não faz verão. É participando das reuniões que vamos adquirindo conhecimentos, pois muitas coisas que eram difíceis de entender espiritualmente, através das reuniões, das palestras que são feitas que chegaremos ao conhecimento. Eu mesmo já participei muito e graças a Deus tenho certeza que cresci. 
Site: Há algum fato que lhe tenha entristecido durante este período.
Sim. Lembro do irmão Geraldo Anacleto que era companheiro do irmão Joaquim Pereira que também congregamos junto e nessa época comecei apascentar. Era muita maravilha, muito crente novo de convertido e era muita animação, muito fervor na Doutrina. Neste tempo o irmão Geraldo me avisou que eu deveria estar preparado que teria tempo que choraria de alegria e também que viria tempo que choraria de tristeza.
Isso já aconteceu várias vezes, como é caso de irmãos que deixam da doutrina, são destruído da Doutrina, inclusive o irmão Francisco que nos apascentou, tive noticias que destruiu do caminho. Também um irmão por nome Antonio Pereira, um crente muito fervoroso, tinha uma congregação que recebia muito prodígios e também tive noticias que ele destruiu da doutrina e são casos de que não permite essas pessoas tornar mais na doutrina por terem cometido ato de adultério.
Site: O que considera uma desvantagem para a Doutrina?
Considero como desvantagens muitos irmãos não concordar que a Sã Doutrina deve evoluir. O povo está como uma pessoa que acostumou comer somente arroz com feijão e outras coisas eles não aceitam. Antigamente as pessoas viviam na roça, muito mal sabiam escrever o nome, e hoje temos irmãos estudados, irmãos com recursos materiais, então havendo vontade tem condição de crescer e até de ser vistos pelas autoridades do país. Pois em muitos lugares a doutrina não é conhecida e isso é falha nossa. O Senhor nos colocou na doutrina e nos deu a ordem, a inteligência e a capacidade para nós crescermos na doutrina, mas ta faltando a vontade de crescimento. Ficamos sempre a mesma coisa sem evoluir e precisamos procurar evoluir na doutrina.
Site: Deixa sua mensagem aos irmãos da Sã Doutrina que são leitores do site.
A minha mensagem é uma que eu falei na inauguração da igreja de Campos Elíseos em Campinas SP. Lá falei que a Sã Doutrina é que precisa estar no alto, porque ela é verdadeira, mas o povo se assemelha a um cágado, que começa a andar e quando bate no casco dele, ele se encolhe.

Atualizado em ( 27-Mar-2012 )
Imagem Abertura