Foto da noticia

Sã Doutrina Espiritual do Sétimo Dia - Entenda Este Nome

01 de Agosto de 2016


Escrito por Laercio Neves Leal   
27-Jul-2014
Sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Trabalhos

Sabemos que esta doutrina foi criada por Deus, praticada pelos profetas segundo as ordenanças divinas e tendo sequencia com a vinda de Cristo que constituiu um grupo de colaboradores diretos chamados apóstolos e que faziam seguidores aqueles que eram os discípulos do qual grupo fazemos parte nos dias de hoje.
 
Naquele tempo devido a adorações a vários deuses víamos que a diferença entre os povos não era o nome da religião, mas sim aquele deus do qual ele era seguidor, prova disso é a citação do livro de Atos 17:23 no qual o apostolo Paulo em suas peregrinações estando em Atenas  se deparou com um altar onde estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO, prova de que aquele Deus que Paulo pregava era ali dos atenienses desconhecido.
 
Com a disseminação do cristianismo muitos passaram a entender as escrituras sagradas de modos e ideologias diferentes e mesmo entre cristãos existem varias doutrinas ou religiões, cada uma segundo os seus fundamentos bíblicos e, na necessidade de se organizarem até perante as leis dos países, criaram nomes para suas comunidades religiosas.
 
Com a nossa Igreja não poderia ser diferente. Até nos anos 70 do século passado chamávamos nossa doutrina com o nome de crentes espirituais, israelitas do sétimo dia, etc. E como prova disso o livroConceitos da Sã Doutrina – pág. 53 - cita que a igreja de Dracena teve como primeiro nome em seus registros Congregação Espiritual do Sétimo Dia.
 
Ainda em meados dos anos 60 os irmãos Hélio Tolardo de Maringá-PR e João Adamucho de Osvaldo Cruz-SP tiveram a ideia, com fundamento bíblico que veremos ao longo deste trabalho e criaram então este nome de SÃ DOUTRINA e logo surgiu o complemento ESPIRITUAL DO SÉTIMO DIA.
 
Assim como usamos um sobrenome para identificar as pessoas, e estas tem origem da família ou dos lugares em que vivem, tornou-se necessário acrescentar esse complemento ao nome de nossa igreja, pois ao pesquisarmos pelo nome de SÃ DOUTRINA encontramos varias entidades, editoras, etc. E só com esse nome completo é que podemos identificar realmente o que se refere a esta nossa doutrina.
 
Mas ai vem uma pergunta: Porque ESPIRITUAL DO SÉTIMO DIA?
Veremos então o significado de cada parte que compõem esse nome fundamentado na Bíblia Sagrada.
  1. SÃ DOUTRINA,
  2. ESPIRITUAL
  3. SETIMO DIA
 01 - SÃ DOUTRINA.
A palavra Sã, sabemos que define como sadia, pura, sem defeitos. Doutrina é o conjunto de ideias religiosas, cientificas etc. Portanto entendemos que o nome significa uma Igreja pura, pois consiste em ensinamentos deixados por Deus e Ele jamais iria nos transmitir algo que saísse de seus princípios básicos em que resume os Dez Mandamentos; amaras a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Somente com o máximo de pureza e perfeição é que se torna possível o cumprimento dessa regra básica.
 
Na bíblia sagrada encontramos este nome nos seguintes textos ;
Tito 2:1;tu porem fala o que convem a SÃ DOUTRINA.
Na versão traduzida por João Ferreira de Almeida na segunda epístola do apostolo Paulo a Timóteo, capítulo 2, após o verso 13 o sub titulo diz;conduta a seguir com aqueles que se afastam da SÃ DOUTRINA e da pureza cristã.
O mesmo acontece no capítulo 3 a partir do verso 9 quando diz;exortação a perseverar na SÃ DOUTRINA e a pregar em todas as ocasiões.
Ainda em Timóteo 4:3 diz ;porque vira tempo em que não sofrerão a SÃ DOUTRINA.
Vemos então que o apostolo Paulo pode ser considerado o mentor da desse nome.
 
02 - ESPIRITUAL.
Sabemos que Deus primeiramente tomou uma porção de terra e ali moldou o que seria o homem. No capítulo 2 de Genesis verso 7 lemos:e formou o Senhor Deus o homem do pó da terra- vemos que nada mais era que uma simples escultura –e soprou Deus em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente– ai sim o homem teve vida.
 
Entendemos então que esse fôlego de vida nada mais é do que o que chamamos de ESPÍRITO. Mas ao deparar com o fracasso do homem que desobedecendo ao seu criador foi expulso do jardim do Éden o senhor determinou a morte da carne;no suor do teu rosto comerás o teu pão até que tornes a terra; portanto és pó e em pó te tornaras (Genesis 3:19 ).
 
Vemos que Deus ao criar o homem usou duas coisas: a terra e o seu fôlego, portanto terra = carne, fôlego = espírito. Se Ele determinou que a carne voltasse ao pó, qual será o destino do fôlego?
Em Eclesiastes 12:7 diz:e a carne volta ao pó de onde era e o ESPÍRITO a Deus que o deu.E, no novo testamento o apóstolo Paulo escreveu aos Coríntios em sua segunda carta 5:10:porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um, receba segundo o que tiver feito por meio do corpo ou bem ou mal. 

I Coríntios
15.40: E há corpos celestes (espirituais) e corpos terrestres (carnais) mas uma é a glória dos celestes, e outra, a dos terrestres.



Diante do exposto chegamos então a conclusão de que nesta vida devemos preparar o nosso ESPÍRITO para o encontro com Deus, no dia da morte da carne. Mas a nossa espiritualidade não para por ai.

Nós da SÃ DOUTRINA além de nos preocuparmos com a salvação de nosso ESPÍRITO nos preocupamos também com aqueles que não tiveram a mesma sorte de receberem este batismo e terão que se sujeitar a um novo processo para se purificar. Para estes é que são realizados os cultos ESPIRITUAIS com a ceifa e a caridade.
 
No capitulo 04 do Evangelho de João, Cristo disse:Deus é ESPÍRITO e importa que os que o adoram o adorem em ESPÍRITO e em verdade.
O apostolo Paulo varias vezes se refere ao homem ESPIRITUAL e só por exemplo citamos na primeira carta aos Coríntios 2:15:Mas o que é ESPIRITUAL discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. 
Portanto se vivemos em função do ESPIRITO somos ESPIRITUAIS. Também é necessário que sigamos a orientação de Gálatas 5:16 ao 26.

Gálatas

5.16   Digo, porém: Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne.
5.17   Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne; e estes opõem-se um ao outro; para que não façais o que quereis.
5.18   Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.
5.19   Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia,
5.20   idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,
5.21   invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus.
5.22   Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
5.23   Contra essas coisas não há lei.
5.24   E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.
5.25   Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.
5.26   Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros. 
03 - SÉTIMO DIA.
A própria palavra já diz tudo: sétimo dia, SÁBADO. Somos guardadores do SÁBADO. Já nos primeiros versículos da Bíblia vemos mencionado este dia. Quando o Senhor fez o mundo em seus primeiros atos ele também já foi definindo o que chamamos de semana, sete dias. Foi Ele realizando suas obras e já dividindo os dias desde o primeiro até o sexto, quando ele encerrou então todas as obras.
 
Em Genesis 2:1 antes de se falar no sétimo dia consta:assim, os céus, e a terra, e todo o seu exército foram acabados, confirmando que nos seis dias ele criou tudo. Mas novamente surgiu o sol e iniciou mais um dia. Ele poderia ter voltado ao primeiro dia, mas então Ele colocou mais um dia na semana – o SÁBADO. E qual obra ele criou neste dia? Criou mais um dia o qual ele próprio abençoou e santificou como vemos em Genesis 2:3e abençoando Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda obra, que Deus criara e fizera.
 
Quando Deus tirou o povo do Egito e os conduziu para a Terra Prometida ele começou a lhes dar ensinamentos e leis. E em Êxodo 16:25 já exigiu o respeito pelo SÁBADO porque como tinham por alimento o maná que era enviado por Deus o Senhor ordenou através do profeta Moisés; Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele não haverá.
 
Pediu que no sexto dia colhessem o dobro para se alimentarem no sétimo dia, veja Êxodo 16:22. E no 20 de Êxodo ao dar os Dez Mandamentos vemos o Sábado incluído como o quarto mandamento, pois ele lhes disse:lembra-te do dia de SÁBADO, para o santificar.
 
Alguns profetas também falaram sobre o sábado mas como exemplo destacamos Isaias 56 onde o próprio titulo diz:promessas aqueles que guardam o SÁBADO, onde lemos o que foi prometido a quem se dedica a guarda deste dia e aos preceitos dados por Deus.
 
No novo testamento vemos que Cristo pregava ao povo de Israel e ali eles tinham um grande respeito por este dia, pois chegaram a ignorar que Ele curasse no SÁBADO. Mas o Mestre os explicou que podemos realizar boas obras neste dia: ....é por consequência lícito fazer bem nos SÁBADOS(Mateus 12:12). Mas em lugar algum o Senhor autorizou que trabalhássemos no sétimo dia.
 
Os apóstolos de Cristo, mesmo vivendo já depois da vinda dele respeitavam este dia como santo como vemos o caso de Paulo citado em Atos 18:03 e 04:e, como eram do mesmo oficio, ficou com eles, e trabalhava, pois tinham por oficio fazer tendas; e todos os SABADOS disputava na sinagoga e convencia a judeus e  gregos.
 
Portanto este nome completo desta nossa Igreja – SÃ DOUTRINA ESPIRITUAL DO SÉTIMO DIA - resume todo o nosso seguimento, pois seguimos uma doutrina pura e santa a SÃ DOUTRINA onde vivemos em função do Espírito por isso ESPIRITUAL e nos diferenciamos de outras igrejas ou religiões que também são espirituais, ou espiritas, mas não guardam os mandamentos principalmente o sábado - por isso DO SETIMO DIA. Pode-se afirmar ainda que ao sermos ESPIRITUAIS nos diferenciamos de outras religiões que guardam o sábado, mas não creem na ressurreição, portanto não são ESPIRITUAIS. Por tudo isso e por muito mais confirmamos esse nome na bíblia sagrada: SÃ DOUTRINA ESPIRITUAL DO SETIMO DIA.
Várzea Grande – MT, novembro de 2013.

Atualizado em ( 07-Aug-2014 )

Publicações