PPHG 12- Rode

Foto da noticia

25 de Fevereiro de 2019

Elias e Firmino


sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Trabalhos

PPGH 12 - RODE – Eis que estou à porta e bato.


Pequenos Personagens – Grandes Histórias
– PERSONAGEM 12 –
 
“...portanto, não vos entristeçais, porque a alegria do SENHOR é a vossa força.”
A casa de Maria, mãe e João estava cheia.
Havia um clima de tristeza, afinal, Tiago havia sido morto de forma brutal por ordem de Herodes.
Lamentação? Murmuração?
Não. Não se ouvia nem lamentações e nem murmurações.
O que ressoava e subia aos céus era a voz firme e poderosa das orações.
E Jesus Cristo estava ali naquela casa, afinal, Ele mesmo prometeu dizendo: “...onde estiverem dois ou três reunidos  em meu nome, ali estarei no meio deles...”
 
Pedro estava preso.
No dia seguinte ia à julgamento.
Pedro com medo? Apavorado? Desesperado?
“...Pedro dormia entre dois soldados”.
Com certeza, ecoava nos ouvidos de Pedro a doce melodia das harpas do salmista: “...Eu me deitei e dormi: acordei, porque o SENHOR me sustentou...”
 
De repente resplandeceu a luz!!!!
Pedro sentiu o toque do Anjo do Senhor e ouviu a ordem: “Levanta-te depressa!”
Algemas caídas, sandálias nos pés, capa nos lombos, Anjo na frente, portões se abrindo por si mesmos... e Pedro seguindo....
 
Rode ouviu o bater na porta. Foi atender.
“Ao reconhecer a voz de Pedro, tomada de alegria, ela correu de volta sem abrir a porta...”
 
Rode reconheceu a voz de Pedro.
Sua alegria foi tanta que até se esqueceu de abrir a porta. E correu de volta.
A alegria de Rode fez com que ela não abrisse a porta.
 
Outros sentimentos também impedem que outras portas se abram.
A mágoa tem feito muitos corações não abrirem a porta do perdão.
A amargura tem feito muitos corações não abrirem a porta da fraternidade.
A ilusão mundana tem feito muitos corações não abrirem a porta da santidade.
Muitos reconhecem a voz da santidade, da fraternidade e do perdão.
Mas não conseguem abrir a porta.
E correm de volta.
De volta à ilusão. De volta à amargura. De volta à ausência de perdão
 
“Mas Pedro continuava a bater, e quando abriram, viram-no...”
O Espirito Santo é persistente.
Ele continua a bater à porta dos corações magoados, amargurados e iludidos.
Quem abrir verá a santidade, a fraternidade e o perdão.
 
“Alegrai-vos sempre no SENHOR; outra vez digo: alegrai-vos”
 
Ribeirão Preto – SP, 25 de fevereiro de 2019
 
Firmino Alves Neto - firminoalves@uol.com.br
Elias Vicente de Oliveira - eliasvicentedeoliveira@hotmail.com 

Publicações