História e Face Pagã do Natal

Foto da noticia

16 de Dezembro de 2020
creuzasousa@gmail.com
Creuza Rebouças


sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Trabalhos
 

1  “E ACONTECEU naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse

2  (Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria).

3  E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade.

4  E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi),

5  A fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.

6  E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.

7  E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem

8  Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.

9  E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.

10  E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:

11  Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.

12  E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.

13  E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:

14  Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.

15  E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos fez saber.” Lucas 2:1-15
 
Muitas pessoas pensam que o Natal é a data do nascimento do Senhor Jesus Cristo.
 
Se pensarmos bem, vamos ver que, nunca nos preocupamos ou questionamos de maneira adequada sobre esta festa, a sua origem e a sua verdadeira intenção.
 
Muitas pessoas dizem que é festa de alegria, paz, confraternização, ou seja, é uma tradição que predomina entre as famílias, em que muitos se reúnem, com banquetes, troca de presentes em volta de uma árvore enfeitada, e muitos imitando a risada de ho! ho! ho! de papai Noel.
 
Muitos pais falam para as crianças que se comportarem direitinho durante o ano e passarem de ano na escola, esse bom velhinho, papai Noel, durante a noite, vai lhes trazer um presente.  Bom, os pais ensinam aos seus filhos que não podem mentir, mas para conseguirem o bom comportamento dos seus filhos, são os primeiros a mentir. Se papai Noel realmente é bonzinho, então porque ele tem que vir escondido durante a noite trazer presentes para as crianças? São ilusões e mentiras, que são ensinadas para as crianças e depois que elas crescem, vem a decepção, quando descobrem que ele é uma mentira.
 
A imagem de papai Noel surgiu no século passado, quando Thomas Nast, pintor norte-americano, criou esta figura sorridente de barbas brancas para agradar e cativar as crianças.
 
A criação dessa figura baseia-se na história de um padre chamado Nicolau do século III a IV da era cristã, da cidade de Mira, na Ásia Menor, que se tornou santo, segundo a religião predominante. Ele era herdeiro de grande riqueza, e a distribuiu entre os pobres e as crianças,  que não tinham com que se alegrar durante o Natal”. Thomas Nast, aproveitou essa história pra criar essa figura do papai Noel.
 
Bom, essa imagem do bom velhinho, que todos os anos dá presentes às crianças, tentam induzir na mente das pessoas, como sendo o espírito do Natal. Induzem a trocar a presença do Espírito Santo de Deus, a uma imagem que não tem vida própria.
 
E assim, são os símbolos que foram criados para enfeitar o Natal: todos tem um significado, como: a guirlanda, a árvore, os presentes, as velas, os enfeites, papai Noel... objetos inanimados, de origem pagã, nenhuma figura viva.
 
Porque se troca presentes no Natal? Alguns acreditam que este costume tem origem nos magos, que presentearam a Jesus, quando nasceu em Belém.
 
Os magos chegaram vários dias e semanas depois, do nascimento de Jesus Cristo, e eles não trocaram presentes, mas sim O presentearam.
 
No Oriente, não se costumava entrar na presença de reis, ou pessoas importantes com as mãos vazias. Esse costume ocorre com freqüência no Velho Testamento.
 
Na Bíblia sagrada, não encontramos a data do nascimento de Jesus Cristo, então porque foi instituído o dia 25 de dezembro?
 
Para entendermos como surgiu o dia 25 de dezembro, e como apareceu essa tradição, fiz algumas pesquisas, que aqui passo a apresentar.
      
Alguns estudiosos relatam que Jesus Cristo, não nasceu (realmente) no dia 25 de dezembro, pois quando Ele nasceu “havia pastores no campo que velavam e guardavam seus rebanhos durante a vigília da noite” (Lucas 2:8). Isto jamais pode acontecer na Judéia no mês de dezembro.
 
Os pastores tiravam seus rebanhos dos campos em meados de outubro e os guardavam para os proteger do inverno que se aproximava , de tempo frio e de muitas chuvas. A Bíblia prova em Cantares 2:11 e Esdras 10:9,13, que o inverno era época de chuvas, o que tornava impossível a permanência dos pastores com seus rebanhos a noite no campo.
             
Era um antigo costume dos judeus daqueles tempos, levar seus rebanhos aos campos e desertos nas proximidades da Páscoa (em princípios da primavera) e trazê-los de volta para casa, ao começarem as primeiras chuvas.
             
Zacarias, pai de João Batista, ele era sacerdote e ministrava no templo durante o turno de Abias (Lucas 1:5,8,9). Terminado o seu turno voltou para casa e, conforme a promessa que Deus lhe fez, sua esposa Isabel, que era estéril, concebeu João Batista (Lucas 1:23,24). Segundo pesquisadores, João Batista foi gerado no fim do mês Tamuz (junho) ou início do mês Abe (julho). Um dado muito importante, Jesus foi concebido seis meses depois (Lucas 1:24-38), no fim de Tebete (dezembro) ou início de Sebate (Janeiro).
             
Dessa forma, Jesus não nasceu em dezembro com diz a tradição, mas foi gerado neste mês. Nove meses depois, Jesus Cristo nasceu na época da festa dos Tabernáculos, que acontecia a cada ano, no final do 7º mês (Etanin) do calendário judaico, que corresponde ao mês de setembro nosso. A festa dos Tabernáculos ou das Cabanas, significava Deus habitando com seu povo. Foi instituído por Deus como memorial para que o povo de Israel se lembrasse dos dias de peregrinação pelo deserto em que o Senhor habitou num tabernáculo no meio do seu povo (Levítico 23:39-44; Neemias 8:13-18).
 
Ninrode, neto de Cão, filho de Noé, foi o fundador do sistema babilônico – Sistema de Competição Organizado – de impérios e governos pelo homem. Ninrode construiu a Torre de Babel, a Babilônica primitiva, e muitas outras cidades. Ele organizou o primeiro reino deste mundo. O nome Ninrode, em Hebraíco, deriva de “Marad” que significa “ele se rebelou, rebelde”.
 
Segundo relatos de documentos antigos, falam que Ninrode se afastou de Deus.  O homem que começou a grande apostasia profana e bem organizada. Apostasia que tem dominado o mundo até hoje. Ninrode era caçador, bruxo e desenvolveu a astrologia.
 
Ninrode era tão perverso que, segundo pesquisadores, ele casou-se com sua mãe, cujo nome era Semíramis, praticando assim o incesto. Depois de sua morte prematura, sua mãe-esposa propagou a doutrina da reencarnação de Ninrode em seu filho Tamuz. Ela declarou que em cada aniversário de seu nascimento, Ninrode desejaria presentes em uma árvore. A data de seu nascimento era 25 de dezembro.  Esta é a origem da árvore de Natal.
 
Semíramis se auto-proclamou como a “rainha do céu” e Ninrode, com diversos nomes, como baal, o deus sol, também  como o “divino filho do céu”, o falso messias.
 
Quando se coloca uma árvore de Natal nos lares, está se colocando uma forma de idolatria dentro das casas, que não é representado somente pelas imagens de esculturas. Também está se edificando um símbolo de uma festa pagã, dos antigos povos, que quiseram assemelhar o nascimento de Jesus Cristo com o nascimento de Ninrode, para que a festa pagã continuasse no meio do povo de Deus, acompanhando a tradições, sem ao menos se procurar saber qual é o significado.
 
Infelizmente, para piorar tudo isso, Constantino, Imperador de Roma (317-337), igualou o cristianismo com o paganismo.
 
No dia 25 de dezembro, e em todos os outros dias do ano, devemos louvar e agradecer a Deus, pela vinda do nosso Salvador Jesus Cristo, e nos reunirmos em oração e lembrarmos do amor de Deus por nós, que nos enviou o seu filho amado para nos salvar , e nos resgatar do pecado, para que pudessemos ter a salvação em Jesus Cristo.
 
Devemos amar a Deus sobre todas as coisas e ao nosso próximo como a nós mesmos.
 
Como filhos de Deus, devemos buscar a presença de Deus em nossas vidas, trabalhar para o Senhor com os dons espirituais, conforme a missão que Ele deu e confiou a cada um de nós.
 
Devemos desejar a todos os irmãos espirituais, amigos e parentes, todos os dias, que a benção e a Paz de Deus estejam e permaneçam em nossas vidas. Reconhecermos e testificarmos, que o sacrifício Jesus Cristo por nós não foi em vão. Devemos desejar que todos os dias, possam ser abençoados por Deus, na vida de todas as pessoas.
 
A todos os irmãos em Cristo, que a Paz de Deus possa reinar em todos os corações.
 
Texto escrito por Creuza Maria Rebouças Sousa

16/12/2020

 

Publicações