Foto da noticia

Filhos da Sabedoria

01 de Agosto de 2016


Escrito por Silvano Codogno   
07-Mar-2013
sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Trabalhos
 - silvanocodogno@gmail.com
 
Nosso Senhor Jesus foi deveras muito injustiçado quando esteve no mundo, principalmente no exercício do seu ministério. Temos vários exemplos destes acontecimentos. Um deles está escrito em João 7 vs 50/53: Nicodemos, que era um deles (o que de noite fora ter com Jesus), disse-lhes: Porventura, condena a nossa lei um homem sem primeiro o ouvir e ter conhecimento do que faz?
Responderam eles e disseram-lhe: És tu também da Galiléia? Examina e verás que da Galiléia nenhum profeta surgiu. E cada um foi para sua casa”. Quando Nicodemos sai em defesa do Senhor, em resposta à sua pergunta o Sinédrio orientou-lhe a fazer um exame em que constataria que nenhum profeta surgiu da Galiléia. Mas quem falou que Jesus era da Galiléia? ELE ERA DA JUDÉIA!!!!

Miquéias 5 v 2: E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti me sairá o que será Senhor em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade”. Mateus 2 v 1“ E, tendo nascido Jesus em Belém da Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do Oriente a Jerusalém”.
Injustiça cometida contra o Senhor!
Enfim, são vários casos em que acontecimentos como esse fizeram parte de sua vida, e isso na verdade já estava previsto como lemos em: Isaías 53 v 3: “Era desprezado e o mais indigno entre os homens, homem de dores, experimentado nos trabalhos e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum”. E em Salmos 2 vs 1/3 Por que se amotinam as nações, e os povos imaginam coisas vãs? Os reis da terra se levantam, e os príncipes juntos se mancomunam contra o SENHOR e contra o seu ungido, dizendo: Rompamos as suas ataduras e sacudamos de nós as suas cordas”.

Além de injustiçado, Jesus também sofreu várias acusações e muitas ou todas elas muito severas, que tinham por objetivo denegrir a sua pessoa. Vejamos algumas:
O Senhor foi acusado de:
-Feiticeiro
Mateus 12 v 24Mas os fariseus, ouvindo isso, diziam: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios”.

-Mentiroso
Mateus 27 vs 62/63 E, no dia seguinte, que é o dia depois da Preparação, reuniram-se os príncipes dos sacerdotes e os fariseus em casa de Pilatos, dizendo: Senhor, lembramo-nos de que aquele enganador, vivendo ainda, disse: Depois de três dias, ressuscitarei.

-Endemoniado
João 8 v 52:  Disseram-lhe, pois, os judeus: Agora, conhecemos que tens demônio. “Morreu Abraão e os profetas; e tu dizes: Se alguém guardar a minha palavra, nunca provará morte”.
 
Irmãos é nosso dever defender o Senhor de acusações como estas, mostrando que elas são levianas e tem caráter doloso. Podemos sim dar nossa contribuição. Façamos a seguinte comparação: O rei Salomão filho de Davi tinha um reinado que fora dado por Deus, reinado este que era próspero. I Reis 10 v 21:“Também todos os vasos de beber do rei Salomão eram de ouro, e todos os objetos da casa do bosque do Líbano eram de ouro puro; não havia neles prata, porque nos dias de Salomão não tinha estimação alguma”.


É evidente que o contexto da época em que viveu Salomão a conotação era material, mas não é o caso do Rei Verdadeiro (Jesus) cujas riquezas são superiores e melhores conforme lemos em Colossensses 2 vs 2/3 para que os seus corações sejam consolados, e estejam unidos em caridade e enriquecidos da plenitude da inteligência, para conhecimento do mistério de Deus - Cristo, em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência”.

Voltemos a Salomão. O seu reino teria um fim, pois seria impedido pela morte de continuar reinando e assim a linha natural de sucessão seria seus descendentes, que neste caso foi Roboão quem lhe sucedeu, subindo ao trono. E se o reino de Salomão que era transitório foi protegido e guardado, o que é para ser feito no caso de um reino que nunca terá fim, maior inclusive do que o de Salomão e qualquer outro reino?

Cantares de Salomão 3 vs 6/8“Quem é esta que sobe do deserto, como colunas de fumaça, perfumada de mirra, de incenso e de toda a sorte de pós aromáticos? Eis que é a liteira de Salomão; sessenta valentes estão ao redor dela, dos valentes de Israel. Todos armados de espadas, destros na guerra; cada um com a sua espada à cinta, por causa dos temores noturnos”.
 
Segundo o que nos ensina Paulo também somos soldados: II Timóteo 2 v 3: “Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo.” Mas em hipótese alguma para lutar segundo a carne, e que isso fique muito claro entre os Cristãos, pois isso faz parte dos princípios elementares da Doutrina de Cristo. Nosso foco deve estar concentrado na luta contra o império do mal, e em relação aos irmãos devermos suplicar e orar por eles no Espírito. Vejamos as finalidades e características de um soldado espiritual segundo Paulo:
 
Efésios 6 vs 10/20“No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo; porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça, e calçados os pés na preparação do evangelho da paz;   tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus, orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos e por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho, pelo qual sou embaixador em cadeias; para que possa falar dele livremente, como me convém falar”.
 
E ainda completa: Filipenses 1 v 16: “uns por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho.
Portanto seja um defensor do Reino do Senhor Jesus.
 
Os apóstolos tinham isso em mente e nas situações em que estiveram envolvidos pela perseguição que sofriam pelo amor da palavra, não hesitaram em sair em defesa do Senhor, mesmo que essas perseguições eram justamente pelo amor do Evangelho.
 
No corpo dos 12, além de terem recebido o nome de apóstolos, também o Senhor os colocou por suas testemunhas. Atos 1 v 8“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”. E segundo estas suas atribuições, assim o fizeram.
 
Atos 2 v 22/24: Varões israelitas, escutai estas palavras: A Jesus Nazareno, varão aprovado por Deus entre vós com maravilhas, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis; a este que vos foi entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus, tomando-o vós, o crucificastes e matastes pelas mãos de injustos; ao qual Deus ressuscitou, soltas as ânsias da morte, pois não era possível que fosse retido por ela”.


Atos 3 vs 12/15: “E, quando Pedro viu isto, disse ao povo: Varões israelitas, por que vos maravilhais disto? Ou, por que olhais tanto para nós, como se por nossa própria virtude ou santidade fizéssemos andar este homem? O Deus de Abraão, e de Isaque, e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu Filho Jesus, a quem vós entregastes e perante a face de Pilatos negastes, tendo ele determinado que fosse solto. Mas vós negastes o Santo e o Justo e pedistes que se vos desse um homem homicida. E matastes o Príncipe da vida, ao qual Deus ressuscitou dos mortos, do que nós somos testemunhas”.
 
Atos 4 vs 8/13: “Então, Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Principais do povo e vós, anciãos de Israel, visto que hoje somos interrogados acerca do benefício feito a um homem enfermo e do modo como foi curado, seja conhecido de vós todos e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dos mortos, em nome desse é que este está são diante de vós. Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina. E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. Então, eles, vendo a ousadia de Pedro e João e informados de que eram homens sem letras e indoutos, se maravilharam; e tinham conhecimento de que eles haviam estado com Jesus”.
 
Portanto agora no tempo presente também temos atribuições, principalmente na obediência e fidelidade aos 10 Mandamentos e com o Culto Espiritual, fugindo de toda espécie de mal e dos embaraços como as prostituições, impurezas, lascívias, bebedices, divórcios e de todos os demais pecados que são considerados como obras da carne que Paulo especificou muito bem no capítulo 5 aos Gálatas, que inclusive pode nos privar do reino de Deus. O cumprimento da vontade de Deus, que é a obediência, é preciosa perante a face do Senhor, como lemos em Atos 10 v 34/35: “E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço, por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas; mas que lhe é agradável aquele que, em qualquer nação, o teme e faz o que é justo”.
 
Então a síntese desse raciocínio é esta:
Como, através de nossas boas obras podemos defender nosso Salvador das acusações que lhe foram feitas?

Consideremos:

Romanos 8 v 19: Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus”

II Coríntios 3 v 2“Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens”.

Mateus 5 vs 13/16:  Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus”.
 
Então para ser mais especifico, analisemos outra acusação feita contra Jesus:
Mateus 11 vs 16/19“Mas a quem assemelharei esta geração? É semelhante aos meninos que se assentam nas praças, e clamam aos seus companheiros, e dizem: Tocamo-vos flauta, e não dançastes; cantamo-vos lamentações, e não chorastes. Porquanto veio João, não comendo, nem bebendo, e dizem: Tem demônio. Veio o Filho do Homem, comendo e bebendo, e dizem: Eis aí um homem comilão e beberrão, amigo de publicanos e pecadores. Mas a sabedoria é justificada por seus filhos.
 
Esta acusação é uma aberração, pois ninguém em sã consciência poderia falar assim de Jesus, pois ele foi obediente até a morte. Filipenses 2 v 8: “ e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz”. Conhecia as escrituras melhor do que ninguém. Lucas 24 vs 44/46: “E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na Lei de Moisés, e nos Profetas, e nos Salmos. Então, abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras. E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse e, ao terceiro dia, ressuscitasse dos mortos”.
 
E justamente por seu conhecimento e obediência esse tipo de acusação era sem fundamento, pois elas não correspondiam com a sua maneira de viver, e além do mais Jesus não era ignorante, pois sabia exatamente o que eram aquelas obras das quais ele era acusado, e sabia a gravidade caso fossem postas em prática.
 
As primeiras acusações diziam que ele era comilão e beberrão. Jesus era sábio o suficiente para saber que tais práticas eram inconvenientes, pois já vimos que ele conhecia muito bem as escrituras. Provérbios 23 v 20Não estejas entre os beberrões de vinho, nem entre os comilões de carne”. Vejamos como era o verdadeiro proceder de Jesus em relação a isso. Lucas 24 vs 41/43: “ E, não o crendo eles ainda por causa da alegria e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então, eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado e um favo de mel, o que ele tomou e comeu diante deles.
 
As últimas acusações diziam que ele era amigo de publicano e pecadores. Qual o problema de você ter um amigo que não seja de sua religião? Nenhum! Observe o relacionamento de Abraão com os filhos de Hete.Genesis 23 vs 1/6 E foi a vida de Sara cento e vinte e sete anos; estes foram os anos da vida de Sara. E morreu Sara em Quiriate-Arba, que é Hebrom, na terra de Canaã; e veio Abraão lamentar a Sara e chorar por ela. Depois, se levantou Abraão de diante do seu morto e falou aos filhos de Hete, dizendo: Estrangeiro e peregrino sou entre vós; dai-me possessão de sepultura convosco, para que eu sepulte o meu morto de diante da minha face. E responderam os filhos de Hete a Abraão, dizendo-lhe: Ouve-nos, meu senhor: príncipe de Deus és no meio de nós; enterra o teu morto na mais escolhida de nossas sepulturas; nenhum de nós te vedará a sua sepultura, para enterrares o teu morto.
 
Genesis 23 vs 10/15: “ Ora, Efrom estava no meio dos filhos de Hete; e respondeu Efrom, heteu, a Abraão, aos ouvidos dos filhos de Hete, de todos os que entravam pela porta da sua cidade, dizendo: Não, meu senhor; ouve-me: o campo te dou, também te dou a cova que nele está; diante dos olhos dos filhos do meu povo ta dou; sepulta o teu morto. Então, Abraão se inclinou diante da face do povo da terra e falou a Efrom, aos ouvidos do povo da terra, dizendo: Mas, se tu estás por isto, ouve-me, peço-te: o preço do campo o darei; toma-o de mim, e sepultarei ali o meu morto. E respondeu Efrom a Abraão, dizendo-lhe:Meu senhor, ouve-me: a terra é de quatrocentos siclos de prata; que é isto entre mim e ti? Sepulta o teu morto.
 
O que deve ser observado é que não podemos participar de suas obras e maneiras de viver. Mas não era essa a conotação que queriam dar para Jesus, mais sim dizer que ele também participava das obras dos pecadores. O que ocorria na verdade era que Jesus queria salvá-los, e não participar de suas ações.
 
Quanto a ser amigo de publicanos e pecadores Jesus sabia que: Salmos 1 v 1Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores”. A seguir vemos o que de fato ele fazia: Lucas 6 vs 16/19: E, descendo com eles, parou num lugar plano, e também um grande número de seus discípulos, e grande multidão do povo de toda a Judéia, e de Jerusalém, e da costa marítima de Tiro e de Sidom; os quais tinham vindo para o ouvir e serem curados das suas enfermidades, como também os atormentados dos espíritos imundos. E eram curados. E toda a multidão procurava tocar-lhe, porque saía dele virtude que curava todos”.
 
Portanto vimos que nenhuma acusação procede, pois são mentirosas, levianas, infames, entretanto continua sendo uma acusação. Como Simão Cirineu o ajudou quando carregou a sua cruz, vamos também ajudar desmentir essa acusação contra nosso mestre.
 
Você se lembra o que Jesus falou? Mas a sabedoria é justificada por seus filhos”.
 
: O próprio Senhor Jesus é a Sabedoria. I Coríntios 1 v 24: “Mas, para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus”. Provérbios 8 v 22/30: O SENHOR me possuiu no princípio de seus caminhos e antes de suas obras mais antigas. Desde a eternidade, fui ungida; desde o princípio, antes do começo da terra. Antes de haver abismos, fui gerada; e antes ainda de haver fontes carregadas de águas.   Antes que os montes fossem firmados, antes dos outeiros, eu fui gerada. Ainda ele não tinha feito a terra, nem os campos, nem sequer o princípio do pó do mundo. Quando ele preparava os céus, aí estava eu; quando compassava ao redor a face do abismo; quando firmava as nuvens de cima, quando fortificava as fontes do abismo; quando punha ao mar o seu termo, para que as águas não trespassassem o seu mando; quando compunha os fundamentos da terra,   então, eu estava com ele e era seu aluno; e era cada dia as suas delícias, folgando perante ele em todo o tempo”. Colossenses 1 vs 15/17: “ o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele”.
 
2º: E nós somos os seus filhos. João 1 vs 12/13“Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que crêem no seu nome, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus”. Filipenses 2 v 15para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio duma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo”Gálatas 4 vs 4/7:  mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai. Assim que já não és mais servo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro de Deus por Cristo”.
 
Não é a sabedoria que vai justificar a si mesma, mas sim seus filhos que farão esse trabalho. Então: Se formos desobedientes à palavra de Deus, andando em trevas, não andando nos ensinos espirituais, se portando de um modo inadequado na Doutrina, nós estaremos nesse momento avalizando e legalizando as acusações que foram feitas contra a sabedoria (Jesus). Se agirmos como comilões, beberrões, amigos de publicanos e pecadores, tais acusações porventura não seriam coerentes e lógicas? Teriam fundamento! Falariam por si mesmas. “Mestre e discípulos! Todos são iguais!”.  Não haveria justificação de nossa parte. Temos que obedecer e não podemos subestimar a Lei de Deus, pois foram postas em nossa mente para nela meditarmos e no nosso coração para a amarmos.
 
É bom sempre lembramos o que Paulo disse: Efésios 4 vs 17/20“E digo isto e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade do seu sentido, entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus, pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração, os quais, havendo perdido todo o sentimento, se entregaram à dissolução, para, com avidez, cometerem toda impureza. Mas vós não aprendestes assim a Cristo”.
 
Se nós professamos que somos seguidores de Cristo; é de se esperar que tenhamos um bom procedimento semelhante aos seus, pois foi assim que aprendemos dele. Ele disse que o filho faz o que vê o pai fazer. João 5 v 19Mas Jesus respondeu e disse-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer ao Pai, porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente”.
 
E agindo assim, estaremos desmentindo essas ofensivas lançadas contra o Senhor, e assim podemos concluir que:
“ A sabedoria foi justificada por seus filhos”. Seu papel bem desempenhado é de vital importância.
 
Quando Jesus estava sendo julgado e questionado acerca da sua doutrina ele pediu para que o Sinédrio fosse perguntar para as pessoas o que ele estava ensinando, pois ele sabia que elas não mentiriam. Assim o Senhor também espera isso de nós, que sejamos fiéis. Para melhorar a compreensão, observemos a passagem em questão. João 18 vs 19/21 E o sumo sacerdote interrogou Jesus acerca dos seus discípulos e da sua doutrina. Jesus lhe respondeu: Eu falei abertamente ao mundo; eu sempre ensinei na sinagoga e no templo, onde todos os judeus se ajuntam, e nada disse em oculto. Para que me perguntas a mim? Pergunta aos que ouviram o que é que lhes ensinei; eis que eles sabem o que eu lhes tenho dito.”
 
Jesus falou que as coisas que aconteceriam com ele, também aconteceria com seus discípulos, como por exemplo, as perseguições: João 15 v 20“Lembrai-vos da palavra que vos disse: não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardarem a minha palavra, também guardarão a vossa”. Então como observaram a sabedoria, nós também seremos observados, e nesse caso sejamos achados andando em comunhão e santidade com Deus. I Pedro 2 v 12: “tendo o vosso viver honesto entre os gentios, para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no Dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem.
 
Considere a seguinte hipótese: Se nós praticarmos obras que fazem jus as acusações, o que poderia acontecer? A Bíblia responde: Romanos 2 vs 23/24Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei? Porque, como está escrito, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vós”.
 
Ao passo que praticarmos obras de maneira oposta das citadas acima, ou seja, sermos fiéis para com a palavra de Deus, eis também o que a Bíblia diz: I Pedro 3 v 16: “tendo uma boa consciência, para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, fiquem confundidos os que blasfemam do vosso bom procedimento em Cristo”. Tito 2 v 8: “linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós” Provérbios 4 v 18“Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.
 
Como Jesus disse que é impossível que não venha escândalo, também julgo que é impossível que não venham acusações dessa natureza. Mateus 10 v 25: “Basta ao discípulo ser como seu mestre, e ao servo ser como seu senhor. Se chamaram Belzebu ao pai de família, quanto mais aos seus domésticosE através do nosso bom porte em Cristo, é que nós vamos refutando as acusações uma após outra. Pedro disse que é melhor padecermos fazendo o bem, se a vontade de Deus assim o quer, do que fazendo o mal.
 
Toda a acusação cairá por terra e serão tidas por caluniadoras e mentirosas mediante o estabelecimento da justiça exercida pelo Cristão. A Sabedoria já nos justificou e agora no tempo presente é nosso dever justificá-la.

Isaías 53 v 11: “O trabalho da sua alma ele verá e ficará satisfeito; com o seu conhecimento, o meu servo, o justo, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si”. Romanos 3 vs 24/26:  sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus, ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;   para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus”. Romanos 4 v 25 o qual por nossos pecados foi entregue e ressuscitou para nossa justificação”.
 
Quando algo é realmente verdadeiro, ela altera a ordem das coisas e as opiniões das pessoas. Paulo escreveu: II Coríntios 13 v 8: “Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade”. Lembra do centurião romano junto à cruz: Mateus 27 v 24: “Verdadeiramente este era filho de Deus”. Pois até então, para ele e para os que estavam com ele, não o era.
 
Continuemos com a nossa grande missão em ser embaixadores e justificadores da Sabedoria aqui na terra e com a nossa missão de representá-lá, conservando a fé longe do pecado, sendo zeloso das boas obras.João 10 v 35Pois, se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida e a Escritura não pode ser anulada”.
 
III João 1 v 11: “Amado, não sigas o mal, mas o bem. Quem faz bem é de Deus; mas quem faz mal não tem visto a Deus”.
Saúde e que todos fiquem renovados no poder e no conhecimento do nosso Deus
Seu irmão na fé em Cristo,
Silvano Codogno
Santa Bárbara D`oeste, Outono/2012

Atualizado em ( 07-Mar-2013 )

Publicações