Foto da noticia

A Oração de Jabez

31 de Julho de 2016


Escrito por Bruce Wilkinson, adaptado por Carlinhos Edwiges   
25-Nov-2015
         sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Trabalhos
          - jcedwiges@hotmail.com
 
         Uma pequena oração, uma grande recompensa
Você já ouviu falar no nome de Jabez? Este é um personagem da sagrada escritura pouco conhecido por nós, mas nos traz um grande ensinamento.
Jabez foi um grande arrematador. Fazer um arremate é fazer mais do que é esperado ou exigido. Exemplo, um móvel bem ornado tem mais valor.
Jabez queria fazer mais para Deus.
Ele é, ou deve ser lembrado, não pelo que ele fez, mas da forma como orou e aconteceu depois.
Uma pequena diferença pode fazer toda diferença.
Em I Crônicas até o capítulo 9, temos o registro de mais de 500 nomes das tribos hebréias.
 
Foi Jabez mais ilustre do que seus irmãos; sua mãe chamou-lhe Jabez, dizendo: Porque com dores o dei a luz. Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Oh! Que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.
(I Crônicas 4.9-10)

E PORQUE NÃO PEDIR?
Oh! Que me abençoes!
 
A palavra hebraica Jabez significa “dor”. Literalmente poderia ser “ele causa (ou causará) dores”.
Isso não parece apontar para um futuro promissor.
Todos os bebês quando chegam provocam certa intensidade de dor, mas o nascimento de Jabez teve alguma coisa fora do comum, tanto que sua mãe foi capaz de mencionar o fato no próprio nome de seu filho.
Jabez cresceu com um nome que todo garoto deveria odiar.
Nos tempos bíblicos, um homem e seu nome estavam a tal ponto relacionados que “apagar o nome da terra” era sinônimo de matar uma pessoa.
O nome estava com frequência relacionado com um desejo ou uma profecia para o futuro daquela criança. Jacó, quer dizer “suplantador” (ser superior), nome muito apropriado para um patriarca.
Noemi e seu marido Elimeleque colocaram em seus filhos os nomes Malom e Quiliom que significam “franzino” e “debilitado”, respectivamente. Ambos morreram jovens.
Salomão significa “paz” e fazendo jus ao nome, tornou-se o primeiro rei de Israel a reinar sem precisar ir a batalha.
Um nome que significa “dor” não era um bom presságio para o futuro de Jabez.
Apesar de suas poucas perspectivas, Jabez descobriu uma saída.
Cresceu ouvindo sobre o poder de Deus, tudo que ele havia feito pelo seu povo. E acreditava muito neste Deus de Milagres e de novos começos.
Então por que não pedir um novo começo? Foi isso que ele fez. Orou e formulou o maior e mais inimaginável pedido:
Oh! Que me abençoes”.
Uma tradução mais literal do hebraico seria: “Que me abençoes muito mesmo!” Como o pedido estivesse em negrito.
Logo após a última palavra, inicia-se a transformação, vê no horizonte, campos repletos de bênçãos.
Aquele que parecia estar condenado a uma vida de dor, dá o passo inicial rumo a uma nova vida.
Abençoar, no sentido bíblico, significa pedir ou conceder um favor sobrenatural.
Ao clamarmos pela benção de Deus, não estamos pedindo aquilo que poderíamos conseguir com o nosso próprio esforço. Estamos clamando pela maravilhosa e ilimitada bondade que apenas Deus tem o poder de conhecer plenamente e de nos conceder.
Como diz em Provérbios 10.22:
A benção do Senhor é a base da verdadeira riqueza, pois não traz tristeza e preocupações”.
Não é pedir a Deus uma Mercedes, um salário milionário, ou algum sinal externo, para fazer seu pé-de-meia.
Jabez deixou inteiramente nas mãos de Deus a natureza da benção, onde, quando e como ela seria dada.
A benção de Jabez é muito definida: pede a Deus que nos dê nada mais e nada menos do que Ele tem reservado para nós.
Uma breve história: “Quando seu João chegou ao céu, foi passear ao lado de Pedro. Ao passar por um armazém, ele quis conhecer seu interior. Pedro não queria mostrar. Por fim João conseguiu convencê-lo. Lá tinha muitos corredores com prateleiras cheias de caixas, como nomes. João quis achar a sua. Ao encontrar, contrariando Pedro, abriu a caixa retirando uma fita vermelha, e lá encontrou as bênçãos que Deus queria ter dado a ele enquanto ele estava na terra... mas seu João nunca pedira.”
Pedi”, prometeu-nos Jesus, “e dar-se-vos-a” (Mateus 7.7).
Nada tendes, porque não pedis”, disse Tiago em 4.2.
A bondade de Deus não tem limite, mas se ontem você não pediu uma benção, então você não recebeu aquilo que poderia ter ganhado.
É este o problema. Se você não pede a benção de Deus, deixará de receber aquelas que são conhecidas apenas mediante seu pedido.
Da mesma forma que um pai se sente honrado por ver um filho pedindo a sua benção, nosso Pai Celeste se agrada em atender generosamente quando a benção dele é tudo o que você mais quer.
Moisés disse a Deus no Monte Sinai: “Rogo-te que me mostres a tua glória” (Êxodo 33.18), ele pedia uma compreensão mais íntima de Deus.
Como resposta, Deus descreveu a si mesmo como “Senhor, Senhor Deus, compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade” (Êxodo 34.6).
A própria natureza de Deus é ter bondade com tamanha abundância que ela transborda sobre nossas vidas indignas.
Faz parte da natureza de Deus nos abençoar.
Não importa quem você é, nem aquilo que seus pais decidiram que você fosse. O que importa é saber quem você quer ser, e pedir isso.
Através de uma simples e confiante oração, você pode mudar seu futuro. Você pode mudar aquilo que vai acontecer no próximo minuto de sua vida.
 
VIVENDO DE MANEIRA ABUNDANTE
E me alargues as fronteiras
 
A partir do contexto e dos resultados da oração de Jabez, podemos ver que havia mais no seu pedido do que um simples desejo de possuir mais terras.
Ele queria mais influência, maior responsabilidade e mais oportunidades para deixar uma marca para o Deus de Israel.
Quando Jabez clamou a Deus “alarga minhas fronteiras!” ele observou seu contexto e concluiu:
“Eu não nasci para ter só isso!”
Como fazendeiro ou criador, ele olhou para o patrimônio que sua família lhe havia dado, correu os olhos pelas cercas, visitou os marcos de sua propriedade, calculou o potencial de tudo aquilo e tomou uma decisão:
“Toma tudo aquilo que colocares sob meu cuidado, Senhor, e aumenta-o”
Se Jabez trabalhasse na Bolsa de Valores é possível que tivesse feito a seguinte oração: “Senhor, aumenta o valor da minha carteira de investimento.”
É válido pedir a Deus mais sucesso nos negócios? Sim, certamente.
Se você estiver tocando seu negócio de acordo com princípios bíblicos, não apenas é certo pedir mais, como o próprio Deus está esperando que você peça.
Seu negócio é o território (as fronteiras) que Deus lhe confiou.
Você crescendo terá a oportunidade de ajudar outras pessoas.
Se Jabez fosse mulher (mãe e esposa) poderia ter orado assim:
“Senhor, incrementa minha família, favorece meus relacionamentos familiares, multiplica, para tua glória, a influência de meu lar”.
Sua casa é a arena mais poderosa da face da terra para mudar uma vida para Deus.
Por que o Senhor não desejaria que você fosse poderoso para ele?
Independente da vocação a oração de Jabez por fronteiras mais amplas deve soar assim:
“Oh Deus e Rei, peço-te que expanda minhas oportunidades e meu impacto de tal maneira que eu possa alcançar mais vida para a tua glória. Permite-me fazer mais para ti!”
Uma pergunta: se o Deus do céu o ama infinitamente e quer que você esteja diante dele a cada instante, e se você sabe que o céu é um lugar muito melhor para você, então por que será que Ele deixou você aqui na terra?
Provável resposta: você está aqui porque Deus quer que você alargue suas fronteiras, conquistando novos territórios para Ele, e alcançando pessoas em nome Dele.
A maioria de nós acha que nossas vidas já estão ocupadas demais. Porém, quando você começar a orar, pela fé, pedindo mais ministérios, coisas impressionantes vão acontecer.
À medida que suas oportunidades crescerem, sua capacidade e seus recursos espirituais  também se expandirão.
Não demora muito e você começará a perceber o prazer que Deus tem em seu pedido, e a urgência que ele tem de fazer grandes coisas em você e através de você.
Acontece com os dons espirituais. Roguemos ao Senhor que nos conceda de acordo a sua vontade para que possamos ajudar outras pessoas.
Independente de quais sejam nossos dons, nossa formação ou nossa vocação, o chamado que recebemos de Deus é para realizar sua obra na terra.
Deus está procurando pessoas que queiram fazer mais pelo seu nome.
Conta feita por nós:
Minhas habilidades + experiências + treinamento + minha personalidade e aparência + meu passado + as expectativas das pessoas = o território a mim reservado.
Dizemos normalmente que nosso desejo é que Deus trabalhe através de nós, mas o que realmente queremos dizer não é através, mas normalmente por nós.
A equação de Deus seria assim:
Minha disposição e minhas fraquezas + a vontade e o poder sobrenatural de Deus = meu território expandido.
Orar por fronteiras alargadas é nada menos que pedir um milagre.
Um milagre é uma intervenção divina que provoca um evento que normalmente não ocorreria.
Foi exatamente isso e nada menos que Jabez precisou para transcender seu nome e mudar sua situação.
Deus sempre intervém quando você coloca as prioridades dele acima das suas.
Se você orar ao Senhor pedindo o alargamento de suas fronteiras, com certeza você vai reconhecer a resposta divina.
Você terá um assento na primeira fila de um grande espetáculo: uma vida cheia de milagres.
 
O TOQUE DA GRANDEZA
Que seja comigo a tua mão
 
E agora? Você avançou rápido demais e deu de cara com a dura realidade. Você é incapaz de manter a vida que acabou de alcançar...
Observe que Jabez não começou sua oração pedindo que a mão de Deus estivesse com ele. Naquela altura ele não tinha consciência dessa necessidade. As coisas ainda estavam sob controle.
Mas quando suas fronteiras começaram a se alargar e tarefas proporcionais ao tamanho do reino de Deus começaram a se colocar diante dele, Jabez sabia que precisava de uma mão divina, e rápido.
Ele poderia ter desistido ou tentado continuar por esforço próprio. Em vez disso, ele orou.
Se buscar as bênçãos de Deus é nosso mais elevado ato de adoração, e se pedir para fazer mais para Deus é nosso desejo maior, requerer que a mão de Deus esteja sobre nós é a nossa escolha estratégica para que as grandes coisas que Deus está fazendo em nossas vidas se perpetuem e continuem florescer.
A mão do Senhor sobre nós é “o toque de grandeza”. Você se torna grande. Você se torna dependente da forte mão de Deus.
As necessidades que você coloca nas mãos de Deus se transformam em oportunidades ilimitadas, Deus se engrandece através de você.
O poder de Deus sobre nós, em nós e movendo-se através de nós é exatamente o que transforma dependência em inesquecíveis experiências de plenitude.
Não que, por nós mesmos, sejamos capazes de pensar alguma coisa”, disse Paulo, “Como se partisse de nós, pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus, o qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança”. (II Coríntios 3.5-6)
A mão do Senhor não é algo reservado somente aos Profetas e aos Apóstolos, mas a todos os cristãos.
Jabez estava tão certo de que a mão de Deus sobre ele era necessária para alcançar as bênçãos, que foi incapaz de imaginar uma vida honrada sem ela.
A “mão do Senhor” é um termo bíblico para expressar o poder e a presença de Deus na vida de seu povo.
Em Atos, o sucesso fenomenal da igreja primitiva foi atribuído a uma coisa:
A mão do Senhor estava com eles e muitos, crendo, se converteram ao Senhor” (Atos 11.21)
Quando Jesus deu a seus discípulos a grande comissão: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações... E eis que estou convosco todos os dias” (Mateus 28.19-20)
Jesus estava lhes outorgando tanto uma benção incrível quanto uma tarefa impossível (aparentemente).
Ir a todas as nações e pregar? Desastre a vista!
Afinal, ele estava escalando pessoas medrosas como Pedro, que havia provado que até uma menina próxima a uma fogueira, poderia fazê-lo negar ter conhecido Jesus.
No entanto, ao enviar o Espírito Santo (Atos 1.8) Jesus tocou aqueles cristãos comuns com um toque de grandeza, enchendo-os de seu poder miraculoso para espalhar o evangelho por toda a terra.
Você notará, de fato, que a frase presente no relato de Lucas de “cheios do espírito santo”, frequentemente está ligada a uma consequência: “eles falavam com intrepidez”, coforme Atos 4.13, 5.29, 7.51 e 9.27.
Apenas Deus, trabalhando através deles, poderia executar os milagres e as conversões em massa que se seguiram.
Ao pedirmos a poderosa presença de Deus, tal como Jabez e a igreja primitiva fizeram, também veremos resultados tremendos que podem ser explicados somente como vindos da mão de Deus.
Uma coisa que surpreende sobre a igreja primitiva é que os cristãos buscavam ser continuamente cheios de Deus (ver Atos 4.23-31). Eram conhecidos como comunidade que passava horas e até mesmo dias em oração juntos, esperando em Deus e pedindo seu poder (ver Atos 2.42-47).
Eles ansiavam por receber mais das mãos de Deus, um preenchimento espiritual renovado do poder de Deus poderia transformar um fracasso certo e iminente em um milagre, fazendo tarefas impossíveis se realizarem.
Paulo instruiu os cristãos de Éfeso a fazer disso uma prioridade: “Para que sejais tomado de toda a plenitude de Deus” (Efésios 3.19).
Com este fim em mente, Paulo orou para que Deus os abençoasse e os fortalecesse “mediante o seu Espírito”. (Efésios 3.16)
Deus está olhando e esperando que você peça pelo poder espiritual que Ele oferece.
Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para aqueles cujo coração é totalmente dele” (II Crônicas 16.9)
Perceba que Deus não está fazendo uma varredura na linha do horizonte a procura de gigantes espirituais, os apascentadores, os pregadores, os estudiosos da bíblia. Deus busca com zelo aqueles que são sinceramente leais a ele. Nossa parte resume-se em fornecer-lhe um coração fiel.
Um simples apelo trará para você e para mim os inexplicáveis feitos do Espírito. Pelo toque divino você pode experimentar o entusiasmo espiritual, a ousadia e o poder. Depende de você.
Peça todos os dias o toque do pai.
Porque, para o cristão, dependência é apenas um sinônimo de poder.
 
MANTENDO SEGURA A HERANÇA
E me preserves do mal
 
Não é sempre que você pode se dar ao luxo de ser o segundo colocado.
Exemplo: um gladiador romano no Coliseu apavorado fugindo de um leão enfurecido. A espada está caída no chão e ele correndo.
Depois de pedir e receber bênçãos sobrenaturais, influência e poder, Jabez poderia ter imaginado que era capaz de entrar em qualquer arena e enfrentar qualquer leão – e vencer.
Você poderia pressupor que uma pessoa com a mão de Deus sobre si oraria dizendo: protege-me no meio do mal”.
Mas Jabez sabia o que aquele gladiador não entendia. A melhor estratégia para vencer o leão bravio é manter-se fora da arena.
É por isso que a parte final de sua oração trata do pedido para que Deus o mantenha fora de briga.
E me preserves do mal”
O último pedido de Jabez é uma estratégia brilhante, mas pouco entendida, para manter uma vida abençoada.
Afinal, à medida que sua vida transcende o comum e começa a conquistar novos territórios para Deus, adivinhe de quem é o terreno que você está invadindo?
Rogamos por proteção espiritual contra satanás e contra a capacidade dele de fazer-nos chegar em segundo lugar.
O sucesso muitas vezes traz consigo grandes oportunidades de fracasso.
Ser abençoado pode ter algum perigo, pois a benção tende a anular nosso senso de dependência de Deus e nos deixa propensos à arrogância.
Quanto mais você caminha numa vida cheia de benção espiritual, mais precisará do apelo final da oração de Jabez.
Você enfrentará mais ataques dirigidos a você e a sua família.
Ficará familiarizado com os indesejáveis dardos do inimigo – distração, oposição e opressão, apenas para começar.
Na verdade, se sua experiência não for assim, tome cuidado. Se você está muito tranquilo, sem ser tentado, tome cuidado. Isso mostra que você não está mais na batalha! Satanás não está mais preocupado com você.
Fomos redimidos e convocados para as linhas de frente da batalha. É por isso que orar para ser preservado do mal é parte tão importante de uma vida abençoada.
A maioria dos cristãos parece orar simplesmente pedindo forças para suportar a tentação, para ter vitória contra os ataques de nosso feroz inimigo, satanás.
Por alguma razão não pensamos em pedir que Deus simplesmente nos mantenha longe da tentação e que mantenha o diabo encurralado, fora de nossas vidas.
Na oração que Jesus deu a seus discípulos, suas palavras pede libertação: “e não deixes cair em tentação; mas livra-nos no mal”. (Mateus 6.13)
Nada sobre visão espiritual ou poderes especiais. Nem uma palavra sequer sobre confrontação.
Quando foi a última vez em que você pediu a Deus para ficar livre da tentação? Do mesmo modo que Deus quer que você peça mais bênçãos, fronteiras mais amplas e mais poder, ele deseja ouvir de você seu pedido de afastamento do mal.
Sem a tentação, nós não pecaríamos. A maioria de nós enfrenta muitas tentações e, portanto, peca com frequência demasiada, porque não pedimos a Deus que nos conduza para longe da tentação.
Portanto, amadurecemos muito quando começamos a nos concentrar menos em derrotar a tentação e mais em evitá-la.
Embora tivesse todas as legiões do céu a sua disposição, até mesmo Jesus orou pedindo libertação.
Mesmo com sua perspicácia divina, Jesus se recusou a entrar numa discussão com satanás durante a tentação no deserto, na qual o inimigo lhe fez ofertas sedutoras.
À medida que penetramos mais fundo no reino do miraculoso, aprendemos que a guerra mais eficiente contra o pecado é orar para que não tenhamos de lutar contra tentações desnecessárias.
E Deus nos oferece seu poder sobrenatural para fazer exatamente isso.
Podemos usar algumas armas contra o inimigo: a sabedoria, a experiência e os sentimentos.
Sua sabedoria:
Pedindo proteção contra o engano, por exemplo:
“Senhor, afasta-me de cometer os erros aos quais estou mais propenso no momento em que chega a tentação. Confesso que aquilo que julgo ser necessário, inteligente ou pessoalmente benéfico, em geral é apenas um belo disfarce para o pecado. Assim peço-te que me preserves do mal”.
Sua experiência:
O perigo não está em se colocar a beira do precipício, mas estar desatento. Poderíamos pedir para sermos poupados dos julgamentos errados:
“Senhor, afasta-me da dor e da tristeza que o pecado traz, coloca uma barreira diante dos perigos que eu não posso ver e daqueles que eu acho que posso enfrentar devido a minha experiência (ou orgulho ou falta de cuidado). Protege-me Senhor, com o teu poder!”
Seus sentimentos:
Poderíamos pedir para sermos afastados daquilo que nos parece correto, mas que na realidade está errado:
“Senhor, afasta-me das tentações que apelam às minhas emoções e às minhas necessidades físicas, daquelas que penso (equivocadamente) que mereço, ou que tenho o ‘direito’ de desfrutar. Tu és a fonte de tudo aquilo que é verdadeiramente vivo e, por isso, peço-te que dirijas os meus passos para longe de tudo o que não vem de ti”.
Quanto mais Deus responder as suas orações, mais você deverá se preparar para enfrentar ataques espirituais do inimigo, pois você começa a se tornar uma grande ameaça a ele (satanás) e a seu reino.
 
BEM-VINDO AO ROL DE HONRA DE DEUS
Foi Jabez mais ilustre do que seus irmãos
 
Você acha que Deus tem seus favoritos? É certo que Deus disponibiliza seu amor a todos e Jesus veio ao mundo para que todo aquele que clamar por seu nome seja salvo.
Mas a história de Jabez, cuja oração fez com que ele recebesse de Deus o título de “mais ilustre do que seus irmãos” pode criar a ideia de que Deus tenha seus favoritos.
O que aconteceu às outras pessoas citadas juntamente com ele em Crônicas?
Dizer que você quer ser “mais ilustre” aos olhos de Deus não significa arrogância ou egoísmo.
Você estará cedendo a um impulso carnal e mundano se estiver tentando superar alguém, mas estará vivendo no Espírito quando lutar para receber o mais alto prêmio de Deus:
Prossigo para o alvo, para o prêmio”. Disse Paulo em Filipenses 3.14.
Ele estava ansioso pelo dia no qual poderia dar um relatório daquilo que havia feito (II Coríntios 5.9-10).
Não podemos chegar ao céu e ouvir de Deus palavras como essas:
“Vamos dar uma olhada em sua vida... Deixe-me mostrar-lhe o que eu queria para você e que repetidas vezes tentei fazer através de sua vida... mas que você não deixou que eu fizesse”. Que vergonha...
No capítulo 11 de Hebreus, Deus fez um rol de honra.
Em sua maioria, pessoas comuns, nomes fáceis de lembrar, que tiveram fé num Deus extraordinário e miraculoso e que resolveram agir de acordo com esta fé.
O que eles descobriram foi uma vida marcada pelas bênçãos de Deus, provisão espiritual e liderança divina em todos os momentos que dela precisaram.
 
APOSSANDO-SE DA ORAÇÃO DE JABEZ
E Deus lhe concedeu o que ele tinha pedido
 
É claro que aquilo que você apenas sabe sobre esta ou qualquer oração não vai trazer-lhe nada diferente.
O que você sabe sobre libertação não vai libertá-lo de coisa alguma.
Um pensamento:
“Conhecimento não é aquilo que você sabe, mas aquilo que você faz com aquilo que você sabe”.
Sejam felizes e que Deus também possa atender aos seus pedidos, a sua oração.
Amém.
 
Texto original de Bruce H. Wilkinson, adaptado por Carlinhos Edwiges
Outono de 2013.

Atualizado em ( 27-Nov-2015 )
 

Publicações