Foto da noticia

A Espiritualidade e as Obras da Carne

31 de Julho de 2016


Escrito por José Fatuch Júnior   
08-Jul-2015
sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Trabalhos
 - fatuch@uol.com.br
 
Dando continuidade ao estudo do tema Espiritualidade – Enfrentando os Desafios da Vida Moderna, utilizaremos este texto para abordar outros aspectos do contido em Gálatas 5.16-26, mais precisamente onde o Apóstolo Paulo reafirma a existência de aspirações contrárias entre as obras da carne e os frutos do espírito e denomina cada um dos atos que considerou impróprios para a moralidade cristã.
 
A seguir apresentamos alguns comentários sobre as ações acima mencionadas, por acreditarmos que, em certos casos, vale a pena meditar sobre aquilo que não é aconselhável fazer, para que se possa valorizar e incentivar as boas práticas cristãs. Devido às peculiaridades de cada tradução bíblica, as expressões a serem analisadas podem adotar diferentes nomenclaturas, mas o sentido não fica comprometido.
 
- FORNICAÇÃO OU PROSTITUIÇÃO: Abrangem relações sexuais que, embora não sejam consideradas ilegais, ou mesmo ilícitas, perante as leis em vigor no País, são contraindicadas para os crentes.
 
Vale lembrar um princípio já defendido pelo Apóstolo Paulo anteriormente, em I Coríntios 6.12: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas.” Acerca desse assunto, a publicação “Relacionamento Familiar e Conjugal”, lançada pela Organização da Sã Doutrina, reúne orientações emitidas por pessoas muito bem preparadas. Vale a pena ler ou reler os artigos nela contidos.

 - IMPUREZA: No Antigo Testamento havia uma preocupação muito grande com a impureza sob o aspecto cerimonial, que exigia grandes esforços por parte dos homens para a sua purificação, conforme descrito em várias passagens do livro Levítico. O SENHOR JESUS, entretanto, destacou a importância da pureza sob outro enfoque, aquele que se baseia na intenção dos homens e esse assunto fica mais claro no Evangelho de Mateus 15.1-20. A obtenção da pureza espiritual também exigiria um grande esforço por parte dos homens, mas agora em um sentido diferente: a busca do arrependimento pelos nossos maus atos, a fé no poder de salvação do SENHOR JESUS, constantemente reabastecida com a renovação dos votos de obediência a DEUS e com o exercício do amor ao próximo.
- LIBERTINAGEM: Também conhecida como Lascívia ou Luxúria. É outra conduta reprovada pelo Apóstolo Paulo, por ser considerada vergonhosa e com forte apelo sexual. Cabe ressaltar que não se trata de condenar as relações sexuais dentro do casamento, até porque o desejo existe e é fundamental para atração entre os seres e a multiplicação das espécies, mas deve ser mantido dentro de limites morais toleráveis. Recomendamos, novamente, a leitura do já citado livreto “Relacionamento Familiar e Conjugal”.
- IDOLATRIA: Embora a veneração a imagens seja a principal conduta condenável sob a ótica da idolatria, há que se controlar, adicionalmente, a ocorrência dessa manifestação de forma mascarada, ou seja, através da avareza (uma forma de idolatria ao dinheiro) ou do apego excessivo a alguma pessoa ou objeto. Isso tem sido muito comumente observado em relação a determinados artistas, esportistas, políticos ou outras figuras de destaque nas mídias.
- ÓDIO, RIXA, IRA: “Irai-vos e não pequeis; Não se ponha o sol sob a vossa ira”. Esta mensagem contida em Efésios 4.26 traz uma importante orientação no sentido de que sejam evitadas a ampliação ou multiplicação de pequenos ressentimentos naturalmente verificados entre os homens.
- FEITIÇARIAS: São práticas tão abomináveis que logo nos vêm à mente os rituais de culto ao demônio, mas não é só isso. Quando nos tornamos rebeldes, ou seja, quando desobedecemos às ordens de Deus bem como as normas da Doutrina de Jesus, e quando resolvemos não mais acatar os preceitos divinos, esses atos de rebeldia equivalem à feitiçaria.
I Samuel 15.23: “Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.”
- CIÚMES: Se existe o lado bom dos ciúmes é aquele que ocorre da parte de DEUS em relação a nós, os seus filhos. Da parte dos homens ou mulheres esse sentimento é reprovável, pois pode provocar consequências desastrosas para um relacionamento, devido às nossas fraquezas para compreender as razões de sua ocorrência. Além disso, as nossas reações podem se tornar as mais imprevisíveis.
- DISCUSSÕES, DISCÓRDIAS, DISSENSÕES: Nada disso deveria subsistir entre os Cristãos, tantos foram os ensinamentos deixados pelo SENHOR JESUS em sentido contrário. Em caso de divergências em alguma questão, precisa haver um entendimento pacífico entre os irmãos, até que a solução seja encontrada. A divisão, que costuma ser um dos resultados das discussões e discórdias, só interessa aos inimigos, pois fragiliza os seus adversários.
I Pedro 3.8: “Finalmente, sede todos de igual ânimo, compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes”
- BEBEDEIRAS, GLUTONARIAS E ORGIAS:  É necessário estabelecer limites para que sejam evitados todos os excessos em relação a comidas, bebidas e festas materiais em geral. É evidente que, entre outros males, tais exageros podem prejudicar a nossa Paz de Espírito e, consequentemente, o nosso estágio de Espiritualidade.
Longe de querer resumir um assunto de tamanha importância, este texto traz o objetivo principal de chamar a atenção de todos nós para as várias possibilidades de sermos envolvidos em alguma das situações que acabamos de mencionar, uma vez que tem sido comum a sua prática entre a humanidade nos dias atuais.

Atualizado em ( 08-Jul-2015 )
 

Publicações