Foto da noticia

A Consumação dos Séculos

02 de Agosto de 2016
vferreiracps@gmail.com
Escrito por Valdenir Alves Ferreira   


28-Oct-2010
www.sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Trabalhos

Versão resumida - A versão completa contém o estudo do capítulo 08 de Isaías e outras citações a mais.
Após muito ouvir e estudar um pouco na Bíblia Sagrada sobre este assunto de grande relevância para a vida espiritual, entendi que deveria escrever sobre o mesmo visando apenas e tão somente contribuir para que tenhamos um melhor entendimento bíblico. 

1- Afinal, o que é realmente a Consumação dos Séculos?

        Pude concluir que a Consumação dos Séculos é o início do Juízo Eterno ordenado por Deus para que todos os homens pudessem receber a justa retribuição de suas obras. Este processo iniciou-se após a ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo e estender-se-á indefinidamente para nós, mortais, até quando o Senhor determinar. Se a Consumação dos Séculos é o julgamento dos homens, logo enquanto existir vida sobre a terra, este processo não terá fim”.
 
        Mas como disse que cheguei a esta conclusão após muito ouvir e estudar na Bíblia Sagrada, apresentarei agora os fundamentos bíblicos que me levaram a concluir esta tese, para que tudo esteja confirmado perante a palavra de Deus.
No capítulo 12 do Evangelho de São João, o Senhor Jesus Cristo falava com uma grande multidão sobre o Reino de Deus e declarou abertamente no versículo 31 dizendo: “Agora é o Juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo”.
Observemos algumas passagens bíblicas:

A PARÁBOLA DO TRIGO E DO JOIO (MATEUS 13: 24 AO 30).

13:24 -  Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo;
13:25 -  Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se.
13:26 -  E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio. 13:27 -  E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu, no teu campo, boa semente? Por que tem, então, joio?
13:28 -  E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres pois que vamos arrancá-lo?
13:29 -  Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele.
13:30 -  Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro.

ANÁLISE DA PARÁBOLA DO TRIGO E DO JOIO (feita por Valdenir)

Como vimos na parábola, o Senhor Jesus Cristo narrou fatos acontecidos desde o início do mundo, quando Deus fez o homem e logo em seguida o diabo enganou os dois primeiros seres humanos, Eva e Adão e introduziu o pecado, ou seja: Deus semeou o trigo e o diabo semeou o joio.
O período entre a criação do mundo e a vinda de Jesus Cristo não era próprio para que houvesse o Juízo, por isto Deus não permitiu que seus servos arrancassem o joio, pois como a época não era oportuna, os servos poderiam arrancar também o trigo e desta forma a parte boa que fora semeada seria prejudicada. Deus ordenou que esperassem a época da ceifa. As palavras juízo e ceifa são equivalentes.

EXPLICAÇÃO DA PARÁBOLA DO JOIO (MATEUS 13:36 AO 43). 

13:36 -  Então, tendo despedido a multidão, foi Jesus para casa. E chegaram ao pé dele os seus discípulos, dizendo: Explica-nos a parábola do joio do campo.
13:37 -  E ele, respondendo, disse-lhes: O que semeia a boa semente, é o Filho do homem;
13:38 -  O campo é o mundo; e a boa semente são os filhos do reino; e o joio são os filhos do maligno;
13:39 -  O inimigo, que o semeou, é o diabo; e a ceifa é o fim do mundo; e os ceifeiros são os anjos.
13:40 -  Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será na consumação deste mundo.
13:41 -  Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles colherão do seu reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniqüidade.
13:42 -  E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes.
13:43 -  Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

ANÁLISE DA EXPLICAÇÃO DA PARÁBOLA DO JOIO (feita por Valdenir)

Na explicação da parábola, o Senhor Jesus Cristo responde todas as coisas e diz claramente que a ceifa é o fim do mundo ou a consumação deste mundo e que neste tempo os que cometem iniquidade serão lançados na fornalha de fogo e os justos resplandecerão como sol no reino de seu Pai.

Neste contexto a Consumação dos Séculos, ou a Consumação deste mundo, ou o fim deste mundo são equivalentes, ou seja, é a mesma coisa; o fim do mundo falado aqui não é um fim a ocorrer em um único dia; é um processo de várias fases.

Vejamos que Jesus Cristo estava falando de algo que iria ocorrer depois de sua morte e ressurreição, ou seja, ele falava de algo que para ele próprio aconteceria no futuro, por isto ele usou verbos do futuro tais como: serão, colherão, lançá-los-ão, resplandecerão, entretanto para nós que na linha do tempo estamos situados após a ressurreição não é coisa para o futuro, basta vermos como o escritor de Aos Hebreus se refere ao assunto no capítulo 9 : 26 e 27.

9:26 -  De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo.
9:27 -  E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo.

O escritor da epístola Aos Hebreus que na mesma linha do tempo está situado após a ressurreição de Jesus Cristo se refere ao assunto no verso 26 com a expressão “agora na consumação dos séculos”, ou seja, o que para Jesus Cristo estava no futuro, para o escritor de Aos Hebreus já estava no presente.

Observemos o que Apóstolo Paulo, escritor de I Aos Coríntios falou sobre o fim: 10:11 -  Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos.

O CAPÍTULO 3 DE I AOS CORÍNTIOS.

3:1 - E EU, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo.
3:2 - Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis,
3:3 - Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens?
3:4 - Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; porventura não sois carnais?
3:5 - Pois, quem é Paulo, e quem é Apolo, senão ministros pelos quais crestes, e conforme o que o SENHOR deu a cada um?
3:6 - Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento.
3:7 - Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento.
3:8 - Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho.
3:9 - Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus.
3:10 - Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele.
3:11 -  Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.

Na introdução, o apóstolo Paulo exorta-nos ao entendimento da unidade dos convertidos em torno de Deus, uma vez que é ele quem nos dá o crescimento e também em torno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, que é o fundamento único de nossa crença e sobre o qual nós temos que edificar. Isto está na mensagem principal dos primeiros versos e de forma mais clara nos versos 10 e 11.

O fundamento significa a título de exemplo, o alicerce de uma casa. É preciso que ele seja muito bem feito para suportar o peso da casa. Entretanto este fundamento já está pronto e é definitivamente o Cristo ressuscitado e assentado à direita do poder de Deus pronto para salvar os que a ele converterem e a nós cabe o papel de edificadores desta casa sobre o fundamento. Esta casa, ou esta edificação, prevista no verso 10, significa a nossa vida espiritual com Cristo.

3:12 -  E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha,

Bem já vimos que o fundamento é Cristo, ou seja, um alicerce muito valoroso e resistente. Aqui no verso 12, estão as opções de materiais que poderemos utilizar para a construção os quais são: ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno e palha. Notemos que de uma forma geral, através da divulgação do nome poderoso de Cristo ressuscitado, todos os que crêem independentemente de seu credo religioso, estão edificando sobre Cristo durante a sua vida material aqui na terra e para isto, utilizando-se das opções de materiais sugeridas neste verso.

3:13 -  A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um.

A obra é a casa que nós construirmos, ou a nossa vida espiritual com Cristo, incluindo todos os nossos atos e condutas durante a nossa vida aqui no mundo. As nossas obras serão declaradas abertamente no dia do Juízo e serão provadas pelo fogo.

3:14 -  Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.

Vejamos que, se a obra é provada pelo fogo, logo, para que a obra de alguém possa permanecer e ser aprovada ele deve ter usado dentre as opções do verso 12 um material que foi capaz de resistir ao fogo ou seja: ouro, prata ou pedras preciosas. A sua casa foi feita de material tão valoroso e resistente quanto ao seu alicerce; amados aqui está a vitória inegável dos fiéis que permanecem na obediência e no caminho até a morte.

3:15 -  Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo.

Quando a obra de alguém se queima, significa que o material que ele utilizou em sua construção não era resistente ao fogo ou seja: fez a sua casa de madeira, feno ou palha. As suas obras foram reprovadas diante de Deus, mas não são julgados merecedores do castigo eterno. Caberá ao nosso Senhor Jesus Cristo, que está constituído Juiz dos vivos e dos mortos, e não a nós, determinar então, através dos limites da sua grande misericórdia que haja salvação através do detrimento pelo fogo.

Aqui está, oculto aos olhos do mundo e claro aos nossos olhos um grande e misterioso fundamento de comprovação da ceifa espiritual anteriormente prevista no capítulo 13 de São Mateus.  Esta explicação pode ser complementada pelos versos 10 e 11 do capítulo 3 de São Mateus onde João Batista disse:

E também agora está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo. E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; cujas alparcas não sou digno de desatar; ele vos batizará com o Espírito Santo, e com fogo.

3:16 -  Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?
3:17 -  Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo.
3:18 -  Ninguém se engane a si mesmo. Se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para ser sábio.
3:19 -  Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia.
3:20 -  E outra vez: O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, que são vãos.
3:21 -  Portanto, ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso;
3:22 -  Seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro; tudo é vosso,
3:23 -  E vós de Cristo, e Cristo de Deus.

Nos demais versos (16 ao 23) o Apóstolo segue com instruções importantes sobre o propósito de salvação de Deus.

O CAPÍTULO 12 DE DANIEL

Os Últimos Tempos: As Palavras Seladas
12:1) -  E NAQUELE tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro.

O profeta Daniel previu no seu tempo o concerto que o Senhor Deus faria com os homens ao enviar o Senhor Jesus Cristo (simbolicamente: Miguel). Sobre a angústia que nunca houve prevista por Daniel, o Senhor Jesus confirmou em São Mateus 24:21, dizendo: Ainda que a mesma jamais se repetiria;

trata-se da perseguição e morte do Senhor Jesus e dos seus santos apóstolos e discípulos (morte de Jesus Cristo – São Mateus 27:50; morte de Estevão – Atos 7:59 e 60; morte de Tiago – Atos 11:1 e 2; morte de Pedro – João 21:18 e 19; morte de Paulo – II Timóteo 4:6; exílio de João – Apocalipse 1:9 e uma série de outros constrangimentos impostos aos seguidores da doutrina de Cristo.)

Entretanto a salvação estará reservada aos que se acharem escritos no livro; ou seja, os que estiverem verdadeiramente em Cristo (Apocalipse – 20:11 ao 15)

12:2) -  E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno.

Relativamente a este verso observemos São João 5:27, 28, 29, 30 e ainda Hebreus 9:27 onde está designada a sorte individual dos que morrem. Aqui há entendimento, pois os convertidos verdadeiramente em Cristo ressuscitam no ato de suas conversões, ou seja, estão em vida material plena e se convertem – Colossenses 3:1; Romanos 6:5. Os que ressuscitam do pó, já não estão em vida material plena como nós; esta parte da ressurreição espiritual é muito profunda e revelada para poucos.

12:3) - Os entendidos, pois, resplandecerão como o resplendor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, brilharão como as estrelas sempre e eternamente.

Estes entendidos, comparados com as estrelas e resplendores, que gozarão de um triunfo espetacular (vida eterna) são os convertidos na verdadeira doutrina de Cristo citados anteriormente (Filipenses 2:15).

12:4) -  E tu, Daniel, fecha estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e a ciência se multiplicará.

Segundo os estudos do capítulo 9 (as setenta semanas de anos) do mesmo livro de Daniel, vemos que entre a época de Daniel e a época de Cristo decorreram quase 500 anos; daí o motivo da ordem para selar as profecias, pois elas só se cumpririam no fim do tempo, ou melhor, no tempo de Cristo (I Coríntios 10:11 e Hebreus 9:26).

O tempo do fim compreende desde a manifestação de Cristo sobre a terra até os nossos dias atuais e, ainda, até quando o Senhor determinar que haja gerações (Hebreus 9:26). De Cristo até nossos dias é o fim do tempo.

12:5 e 6-  Então eu, Daniel, olhei, e eis que estavam em pé outros dois, um deste lado, à beira do rio, e o outro do outro lado, à beira do rio.
                
E ele disse ao homem vestido de linho, que estava sobre as águas do rio: Quando será o fim destas maravilhas?
Notamos que além do que falava com Daniel, havia outros mais que ali estavam acompanhando a revelação que Daniel estava recebendo, entretanto a indagação sobre o tempo do cumprimento das profecias e o seu fim foi dirigida a um que estava sobre as águas.

12:7) -  E ouvi o homem vestido de linho, que estava sobre as águas do rio, o qual levantou ao céu a sua mão direita e a sua mão esquerda, e jurou por aquele que vive eternamente que depois de um tempo, de tempos e metade de um tempo, e quando tiverem acabado de destruir o poder do povo santo, todas estas coisas serão cumpridas.

Em resposta, vejamos que o homem que estava sobre as águas encontra-se em situação semelhante ao anjo do capítulo 10:5, 6 e 7 de Apocalipse, que jurou pelo que vive para sempre que não haveria mais demora, ou seja, o cumprimento estava próximo. A mulher que simboliza a Doutrina no capítulo 12:14 de Apocalipse, quando fugiu da vista do dragão esteve no deserto por um tempo, e tempos, e metade de um tempo. Ela representa a fixação da Doutrina na terra por um espaço de aproximadamente 3 anos e meio que foi a duração do Ministério de Jesus Cristo.

12:8) -  Eu, pois, ouvi, mas não entendi; por isso eu disse: Senhor meu, qual será o fim destas coisas?

Devido ao fato de ser dada uma resposta profética, o próprio Daniel não entendeu e questionou novamente quando seria o cumprimento das profecias.

12:9 e 10 - E ele disse: Vai, Daniel, porque estas palavras estão fechadas e seladas até ao tempo do fim.         
         
Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os ímpios procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios entenderão.

Novamente Daniel recebeu ordens para selar as palavras até o tempo do fim (tempo de Cristo – Daniel 2:44 e 45) e foi anunciado a ele a purificação de muitos para o reino de Deus; isto ocorre na vida da carne pela obediência (Romanos 6:4, 5 e 6) ou na vida do espírito pelo detrimento (I Coríntios 3:15) e ainda o descaso e a negligência dos desobedientes relativamente dos ensinos do evangelho.

12:11) -  E desde o tempo em que o sacrifício contínuo for tirado, e posta a abominação desoladora, haverá (1290) mil duzentos e noventa dias.

Vejamos como segue:
-retirada do contínuo sacrifício: início do Ministério do Senhor Jesus Cristo e fim da lei dos holocaustos.
-Imposição da abominação desoladora – observamos que o começo desta imposição deu-se no dia da morte do Senhor Jesus Cristo, persistindo com a perseguição e morte de muitos discípulos imediatos do Senhor Jesus e, nos nossos dias, representando todo e qualquer tipo de dificuldade e tentação que atrapalha ou impede os discípulos de seguirem até o fim.

12:12) -  Bem-aventurado o que espera e chega até (1335) mil trezentos e trinta e cinco dias.
Vamos somar 4 períodos importantes:

1- O Ministério do Senhor Jesus Cristo foi de 1290 dias.

2- Os 2 dias anteriores à crucificação quando os principais ratificaram a decisão da sua morte de Cristo –(São Mateus 26:1- E aconteceu que, quando Jesus concluiu todos estes discursos, disse aos seus discípulos. 2- Bem sabeis que daqui a dois dias é a páscoa; e o Filho do homem será entregue para ser crucificado. 3- Depois os príncipes dos sacerdotes, e os escribas, e os anciãos do povo reuniram-se na sala do sumo sacerdote, o qual se chamava Caifás. 4- E consultaram-se mutuamente para prenderem Jesus com dolo e o matarem. 5- Mas diziam: Não durante a festa, para que não haja alvoroço entre o povo).

3- Os 3 dias em que esteve no seio da terra. (Mateus 12:40- Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra).

4- O espaço de 40 dias em que o Senhor esteve a pregar e falar do que respeita ao reino de Deus. (Atos 1:3- Aos quais também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas e infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias, e falando das coisas concernentes ao reino de Deus).  

O resultado forma um total de 1335 dias. Bem aventurado o que espera e chega até 1335 dias, pois então todo o propósito de Cristo já está cumprido; é hora de entrar definitivamente na glória. Irmãos, Daniel viveu antes de Cristo, por isto demonstrava uma expectativa muito grande. Nós vivemos depois de Cristo sendo que para nós todos os mistérios da ressurreição e da vida eterna já estão plenamente revelados.

12:13) -  Tu, porém, vai até ao fim; porque descansarás, e te levantarás na tua herança, no fim dos dias.

Ao grande profeta de Deus, resta aguardar o cumprimento de todas estas profecias, visto sua sorte estar no fim dos dias, ou melhor, nos dias de Cristo como vemos em São Mateus 27:51- E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras; 52- E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados; 53- E, saindo dos sepulcros, depois da ressurreição dele, entraram na cidade santa, e apareceram a muitos. 54- E o centurião e os que com ele guardavam a Jesus, vendo o terremoto, e as coisas que haviam sucedido, tiveram grande temor, e disseram: Verdadeiramente este era Filho de Deus.

Daniel se levantou neste dia depois de um sono de quase 500 anos e nunca mais dormiu, tendo entrado na Cidade Santa.

O CAPÍTULO 24 DE MATEUS

O Sermão Profético; O Princípio de Dores
24:1- E, QUANDO Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem a estrutura do templo.
24:2- Jesus, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derrubada.
O que Jesus mostra nestes dois versos é a destruição de Jerusalém, até porque os discípulos fizeram referencia ao templo. Jesus não falava aqui de uma destruição total do mundo físico e material. A destruição de Jerusalém ocorreu por volta do ano 70 da nossa era pós Cristo.
24:3- E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?
24:4- E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane;
24:5- Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.
24:6- E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.
24:7- Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.
24:8- Mas todas estas coisas são o princípio de dores.
24:9- Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.
24:10- Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão.
24:11- E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.
24:12- E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.
24:13- Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.
24:14- E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.

A pergunta dos discípulos no verso 3 (Quando serão estas coisas?) refere-se à destruição de Jerusalém. Em seguida os discípulos introduziram ao diálogo mais uma pergunta (E que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?).
Esta segunda pergunta refere a dois fatos que podem ser estudados separadamente, apesar de estarem ligados entre si: a “vinda de Cristo” e o “fim do mundo”. Jesus em resposta descreve uma série de acontecimentos (Falsos Cristos, guerras, fomes, pestes, terremotos, tormentos, escândalos entre os próprios discípulos, resfriamento da fé por causa da iniqüidade e SALVAÇÃO AOS QUE PERSEVERAREM ATÉ AO FIM).

O verso 14 afirma em conclusão que o evangelho será pregado a todas as nações e então virá o fim. No tempo atual, nós estamos vendo todas estas coisas muito bem cumpridas e realizadas; poderíamos então taxar que o mundo físico e material vai acabar em pouco tempo. Entretanto ao analisarmos as escrituras, encontramos o Apóstolo Paulo dizendo “Aos Colossenses - 1:23 –Se na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé, e não vos moverdes da esperança do EVANGELHO QUE TENDES OUVIDOS, O QUAL FOI PREGADO A TODA CRIATURA QUE HÁ DEBAIXO DO CÉU, e do qual eu, Paulo estou feito Ministro”.

Ou seja, naquela época, a mais ou menos 2000 anos atrás, o quadro de observação era o mesmo de hoje; logo, não podemos só por estes versos definir esta questão e ai entramos em um dilema comum: O mundo físico e material acaba, ou o fim aqui dito refere-se ao fim da vida de cada pessoa; há uma consumação final onde todas as gerações acabam, ou apenas uma consumação individual na vida de cada um ? Belo embate. Vamos avançar no estudo e tirar mais algumas conclusões.

O Sermão Continua: A Grande tribulação

24:15- Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda;
24:16- Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes;
24:17- E quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa;
24:18- E quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes.
24:19- Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias!
24:20- E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado;
24:21- Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver.
24:22- E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias.
24:23- Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito;
24:24- Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.
24:25- Eis que eu vo-lo tenho predito.
24:26- Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto, não saiais. Eis que ele está no interior da casa; não acrediteis.
24:27- Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem.
24:28- Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão as águias.
Analisando a abominação desoladora no lugar santo, pude vê-la como dois aspectos ao mesmo tempos parecidos e ao mesmo tempo distintos entre si: O primeiro, como uma diretriz ilícita e coletiva da igreja como um todo ou apenas de uma congregação; o segundo e mais freqüente, como atos ilícitos das pessoas.
Também estas situações foram observadas na igreja primitiva, (basta vermos o teor de alertação das epístolas paulinas) e são observadas nos dias atuais. A perseguição da igreja verdadeira foi grande no passado e é grande nos dias atuais; naturalmente que Satanás usa hoje alguns métodos de perseguição diferentes daqueles que ele próprio usou no passado.
O Sermão Continua: A Vinda do Filho do Homem
24:29- E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas.
24:30- Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.
24:31- E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.
24:32- Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.
24:33- Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas.
24:34- Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam.
24:35- O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.
Após a morte e ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo, houve grande perseguição dos discípulos; mas as portas do reino espiritual foram abertas e os fiéis que partiam deste mundo já podiam encontrar o Senhor Jesus sobre as nuvens do céu; esta vinda aqui relatada é puramente espiritual; eu afirmo que este evento é puramente espiritual porque Paulo escreveu a I Timóteo 6:14 ao 16.
14- Que guardes este mandamento sem mácula e repreensão, até à aparição de nosso Senhor Jesus Cristo;
15- A qual a seu tempo mostrará o bem-aventurado, e único poderoso SENHOR, Rei dos reis e Senhor dos senhores;
16- AQUELE QUE TEM, ELE SÓ, A IMORTALIDADE, E HABITA NA LUZ INACESSÍVEL; A QUEM NENHUM DOS HOMENS VIU NEM PODE VER, AO QUAL SEJA HONRA E PODER SEMPITERNO. AMÉM;

o Senhor habita na luz inacessível, a quem nenhum dos homens viu e nem pode ver; com os olhos da carne, nós nunca veremos o Senhor sobre as nuvens do céu; se alguém de nós desejava ver o senhor sobre as nuvens do céu com os olhos da carne, podemos esquecer, pois o Apóstolo Paulo foi taxativo ao dizer que isto não acontece.

Quando o Senhor Jesus fala que o sol iria escurecer, isto aconteceu pouco antes de sua morte como vemosem São Mateus 27:45 está relatado que: Desde a hora sexta, houve trevas sobre toda terra, até a hora nona;

quando Jesus falava dos grandes terremotos vejamos em São Mateus 27:51,52 está relatado que: tremeu a terra e fenderam-se as pedras; E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados;

finalmente Jesus disse no verso 34: não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam, ou seja, eram profecias que começariam a cumprir em pouco tempo, naquela geração que estava lhe ouvindo.

O Sermão Continua: Exortação à Vigilância

24:36- Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai.
24:37- E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem.
24:38- Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca,
24:39- E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.
24:40- Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro;
24:41- Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra.
24:42- Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.
24:43- Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.
24:44- Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis.
A vigilância é um dever para todos nós; é a recomendação que ouvimos todos os sábados; os versos 40 e 41 mostram claramente que a vinda de Cristo é espiritual e individual, pois mostra nada mais do que a diferença entre o fiel e o infiel; este exemplo nós estamos vendo nos dias atuais.
O Sermão Continua: A Parábola dos Dois Servos
24:45- Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo?
24:46- Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim.
24:47- Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens.
48- Mas se aquele mal servo disser no seu coração: O meu senhor tarde virá;
24:49- E começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios,
24:50- Virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera, e à hora em que ele não sabe,
24:51- E separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Os fiéis serão salvos e os infiéis serão condenados.

O CAPÍTULO 25 DE MATEUS

O Sermão Profético Continua:A Parábola das Dez Virgens


25:1- ENTÃO o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do esposo.
25:2- E cinco delas eram prudentes, e cinco loucas.
25:3- As loucas, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo.
25:4- Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas lâmpadas.
25:5- E, tardando o esposo, tosquenejaram todas, e adormeceram.
25:6- Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro.
25:7- Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas lâmpadas.
25:8- E as loucas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam.
25:9- Mas as prudentes responderam, dizendo: Não seja caso que nos falte a nós e a vós, ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós.
25:10- E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta.
25:11- E depois chegaram também as outras virgens, dizendo: SENHOR, Senhor, abre-nos.
25:12- E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço.
25:13- Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir.
Novamente o Senhor estimula a fidelidade e mostra o que acontecerá aos que se preparam e aos que não se preparam.
O Sermão Continua: A Parábola dos Dez Talentos
25:14- Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens.
25:15- E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.
25:16- E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.
25:17- Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.
25:18- Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.
25:19- E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.
25:20- Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.
25:21- E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
25:22- E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.
25:23- Disse-lhe o seu SENHOR: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
25:24- Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;
25:25- E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.
25:26- Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?
25:27- Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.
25:28- Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.
25:29- Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.
25:30- Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.

A vinda de Cristo será um premio aos que souberem granjear e multiplicar seus talentos, amar seus irmãos, respeitar os 10 mandamentos. Quem assim proceder, estará aumentando seu tesouro no reino espiritual.

O Fim do Sermão Profético: A Vida Eterna e o Castigo Eterno

25:31- E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória;
25:32- E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas;
25:33- E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda.
25:34- Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
25:35- Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
25:36- Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me.
25:37- Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
25:38- E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?
25:39- E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?
25:40- E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.
25:41- Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;
25:42- Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
25:43- Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes.
25:44- Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos?
25:45- Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim.
25:46- E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna.

O juízo demonstrado neste tópico de forma muito clara e estará muito baseado no amor ao próximo. Paulo nos ensina que a caridade espiritual é maior que a fraternal, entretanto em nenhum um momento a caridade fraternal é negligenciada pela Bíblia. Temos que ter este mesmo cuidado, para que não ocorra dentro da Igreja, que alguém encolha as mãos de fazer a caridade fraternal escondido atrás da tese de que quem faz a caridade espiritual já está completo.

O VERSO 41 ME FAZ PENSAR MUITO; COMO ELE DIZ QUE O FOGO ETERNO ESTÁ PREPARADO PARA O DIABO E SEUS ANJOS, LOGO, NO DIA EM QUE O DIABO FOR LANÇADO NO FOGO ETERNO, CESSARÃO TODAS AS MALDADES EXISTENTES SOBRE A TERRA; NESTE DIA, COM CERTEZA AS GERAÇÕES HUMANAS JÁ TERÃO SE ACABADO, POIS SE ASSIM NÃO FOR, A TERRA VIRARIA UM PARAÍSO UMA VEZ QUE O DIABO JÁ NÃO ESTARIA MAIS POR AQUI, ENTRETANTO EM NENHUMA HIPÓTESE A BÍBLIA PREVÊ QUE HAVERÁ ALGUM PARAÍSO NA TERRA; ENTÃO, PUDE CONCLUIR QUE AS GERAÇÕES ACABAM. QUANDO? DEUS O SABE.

SE AS GERAÇÕES ACABAM, PODERÁ SIM, O MUNDO FÍSICO E MATERIAL ACABAR, UMA VEZ QUE AS GERAÇÕES NÃO MAIS PRECISARIAM DELE PARA HABITAR. QUANDO? DEUS O SABE.

O CAPÍTULO 4 DE I TESSALONICENSES

Acerca da Ressurreição e da Vinda de Cristo


13- Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.
14- Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele.
15- Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem.
16- Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.
17- Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.
18- Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.

Não quero irmãos que estejais tristes acerca dos que já dormem, ou seja, dos que já morreram como os demais (gentios) que não tem esperança. Nós os que ficarmos vivos (vivos na fé, na obediência; não é vivos na carne em nenhuma hipótese. I Timóteo  6:16- Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém; vivos na carne, ninguém vai ver o Senhor Jesus Cristo) não precederemos os que dormem. 

Paulo já falava aqui sobre o culto espiritual que pode dar vida aos que já morreram e que já era praticado desde aquela época; por isto, os que já dormiam, os que já haviam morrido, entrariam na vida eterna primeiro, assim como hoje ocorre em nossos dias. Depois nós, os que ficarmos vivos na obediência, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens a encontrar o Senhor nos ares... Isto ocorre hoje com os fiéis. Os crentes daquela época estavam na mesma situação em que estamos nos dias atuais.

O CAPÍTULO 20 DE APOCALIPSE

Satanás é Amarrado Por Mil Anos. Os Fiéis Reinam Com Cristo

20:1- E VI descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande cadeia na sua mão.
20:2- Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos.
20:3- E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo.

Os versos 1, 2 e 3, retratam o resgate que o Senhor Jesus fez daqueles servos que lhe pertencem. Ele repreendeu satanás durante um período de mil anos e proibiu que ele engane as nações, possibilitando a conversão dos seus escolhidos durante este período. Somente o senhor fazendo assim, é possível que alguém se converta na verdade.

Os mil anos relatados aqui é a vida de cada pessoa; (II PEDRO 3:8- Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia); conforme o crente espiritual se aperfeiçoa no seguimento do caminho, através da obediência, do amor e da humilhação, ele pavimenta seu caminho para o reino espiritual e estas virtudes impedem que satanás lhe interrompa;

estas qualidades mantém satanás preso durante os mil anos que é o tempo da sua vida aqui neste mundo. Quando se acabam os mil anos, ou seja, quando termina a vida do crente, importa que satanás seja solto, entretanto aquele crente foi recolhido para o reino espiritual e satanás não lhe encontra nunca mais.  

20:4- E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus, e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta, nem a sua imagem, e não receberam o sinal em suas testas nem em suas mãos; e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos.

Quem são os que se assentaram sobre os tronos e receberam o poder de julgar? São os crentes fiéis que exercem o culto espiritual, que nada mais é do que o exercício do juízo espiritual em conjunto com os anjos de Deus, em conjunto com os espíritos dos justos aperfeiçoados que está predito nos versos a seguir: Hebreus 12:22 ao 25.

22- Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos;
23- À universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados;
24- E a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel.
25- Vede que não rejeiteis ao que fala; porque, se não escaparam aqueles que rejeitaram o que na terra os advertia, muito menos nós, se nos desviarmos daquele que é dos céus;

todos os fiéis que estão descritos aqui na Assembléia Universal, não tiveram comunhão com o pecado, isto é, com o pecado que é o sinal da besta, e durante suas vidas, reinaram com Cristo durante mil anos, ou seja, foram fiéis em tudo.

20:5- Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.

Os outros mortos que não reviveram, até que os mil se acabaram, sãos as pessoas que durante sua vida material não se converteram. Os mil anos se passaram, elas não se converteram; os mil anos, ou melhor, suas vidas materiais se passaram e elas como não se converteram, não puderam participar da primeira ressurreição. A primeira ressurreição ocorre quando alguém se converte na  doutrina verdadeira.

Colossenses 3:1 ao 7.

1- PORTANTO, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus.
2- Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra;
3- Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.
4- Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória.
5- Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, a afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria;
6- Pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência;
7- Nas quais, também, em outro tempo andastes, quando vivíeis nelas.

20:6- Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos.

Bem aventurados os que se convertem enquanto estão nesta vida e seguem com retidão; a segunda morte que é a morte espiritual não lhe atingirá e a sua vida aqui, ou melhor, os mil anos, serão de muita alegria e de comunhão com Cristo.
Satanás é Solto, e Depois é Vencido Para Sempre

20:7- E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão,
20:8- E sairá a enganar as nações que estão sobre os quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, para as ajuntar em batalha.
20:9- E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade amada; e de Deus desceu fogo, do céu, e os devorou.

Acabando-se os mil anos, ou seja, a vida das pessoas, satanás sairá a enganar; os fiéis estarão livres, pois foram recolhidos para o reino espiritual como já vimos; logo, satanás encontrará espiritualmente os que foram rebeldes e não se converteram. Isto ocorre atualmente; por mais que tentem cercar a cidade amada, ou seja, a doutrina de Cristo, desce fogo do céu e os condena.

20:10- E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.

Este é o dia da derrota final de satanás, que ainda está por vir e do qual o Senhor falou anteriormente no capítulo 25 de São Mateus como já vimos. POR ESTE ESCRITO DO CAPÍTULO 25 DE MATEUS E ESTA CITAÇÃO DO APOCALIPSE É QUE PUDE CONCLUIR QUE AS GERAÇÕES ACABAM, pois se assim não for, a terra viraria um paraíso uma vez que o diabo foi preso, entretanto esta hipótese na está prevista na Bíblia Sagrada.

O Juízo Final

20:11- E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles.
20:12- E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.
20:13- E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras.
20:14- E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte.
20:15- E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.

Os livros do verso 12 são os diversos volumes que compõem a Bíblia escritos pelos profetas, reis, escribas e apóstolos. O livro da vida, é o trabalho de Cristo descrito nos quatro evangelhos; por estes escritos, todos nós seremos julgados.

Os fiéis se salvam na primeira ressurreição, os que puderem ser embranquecidos e purificados como vimos no capítulo 12 de Daniel, se salvam pela segunda ressurreição e quem estiver entre os rebeldes será condenado na segunda morte que é a morte espiritual. II PEDRO 3:9 e 10.

9- O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.
10- Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.

AQUI PEDRO NOS DÁ A ENTENDER SOBRE A DESTRUIÇÃO DA TERRA MATERIALMENTE.

CONSIDERAÇÕES FINAIS 

Vemos então que o Juízo de Cristo revelará três situações distintas entre si, que são:
1-OS QUE SE APROVAM PELA OBEDIÊNCIA. Primeira ressurreição. Apocalipse 20:6. Aqui estão os fiéis ao evangelho que andam no trato correto, na incorrupção, na verdade, na retidão, na honestidade, na caridade e nos mandamentos.

2-OS QUE SE REPROVAM, MAS AINDA ENCONTRAM LUGAR PARA ARREPENDIMENTO E A MISERICÓRDIA DE CRISTO. Segunda ressurreição. I Coríntios 3:15 -  Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo. Ver explicação anterior deste capítulo.

3-OS QUE SE REPROVAM, E NÃO ENCONTRAM MAIS LUGAR PARA O ARREPENDIMENTO E NEM PARA A MISERICÓRDIA. Segunda morte. Apocalipse 20:14. Aqui estão os infiéis que negam o evangelho, negam os mandamentos, negam a caridade e andam na mentira, no homicídio, no adultério, no furto e no falso testemunho.

O Senhor determinará o Juízo a todos os homens pelo seu poder e pelo seu conselho de sabedoria.
Os seguidores da Doutrina Verdadeira devem observar o recado final de Jesus Cristo no capítulo 28 de São Mateus e ser cumpridores com alegria em seus corações.
28:18 -  E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.
28:19 -  Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
28:20 -  Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a CONSUMAÇÃO DOS SÉCULOS. Amém.

Nota do autor: concluo e acredito que:

1- A vinda de Cristo é unicamente espiritual; ninguém vai ver a vinda do Senhor Jesus Cristo com os olhos da carne;
2- Existirá o fim das gerações e a prisão de satanás; Quando? Deus o sabe. Isto é remoto.
3- O mundo físico e material terá fim. Quando? Deus o sabe. Isto é remoto.

A graça, a misericórdia, o amor e a salvação de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com todos os irmãos em sinceridade. Amém.
Campinas-SP, 30/04/2009.

Valdenir Alves Ferreira 

Atualizado em ( 30-Oct-2015 )

Publicações