Retrospectiva

31 de Julho de 2016


Escrito por PAPE_JSD - Entrevista com Joel Vieira   
22-Mar-2009
O PAPE INFORMA Boletim Informativo das Atividades do Programa PAPE_JSD – nº. 20 - Novembro e Dezembro de 2008.
 
Mensagem da Coordenação
Por José Fatuch Jr.
  
                                                                       RETROSPECTIVAS
   Desde o início de suas atividades o PAPE vem promovendo o debate de vários assuntos de grande interesse para a maioria dos participantes, eventuais ou não. Hoje, estamos fazendo uma breve retrospectiva de alguns temas já abordados.
 
   Discutimos, por exemplo, a importância da Índia como uma das nações que mais crescem no mundo atual e também a história de Ghandi, o grande lider da independência daquele País. Este evento foi coordenado pela Simone e pelo Sidney, que preparou o texto da página 2.
 
   Em outra ocasião, nosso irmão Paulinho apresentou ao pessoal uma esclarecedora palestra sobre o trânsito, suas leis e cuidados que todos devemos ter na direção de qualquer veículo. Ao lado você pode conferir um resumo daquela apresentação.
 
   Também tivemos uma série de reuniões dedicadas ao meio-ambiente e à necessidade de sua preservação, com a contribuição de vários participantes e da coordenação do Programa, sendo que estamos publicando um artigo do Valdenir sobre o tema, na página 3
.
   Além disso, prestamos esclarecimentos diversos sobre a atividade bancária, com explicações sobre os principais produtos, serviços e linhas de crédito disponíveis para o público em geral, orientando-o em suas escolhas.
 
   Em nosso último encontro tratamos, de maneira, simultânea, de dois assuntos muito atuais, a saber a crise financeira internacional (com os adultos) e a questão das cotas em universidades públicas. Publicaremos matérias sobre esses assuntos oportunamente.
 
   Além dos textos acima, esta edição apresenta uma entrevista aguardada por todos e reservada especialmente para este número. Na última página vocês conhecerão algumas idéias de nosso apascentador Joel Vieira.
 
   Esperamos que gostem e aproveitamos para nos despedir, pois o PAPE entrará em recesso, devendo retornar às atividades normais a partir do próximo ano. Agradecemos a todos os irmãos e irmãs que nos prestigiaram durante mais um ano.
   Até 2009, se DEUS quiser.

                                                                                     A EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO
 
   Qual a primeira coisa que lhe vem à cabeça quando você escuta a palavra trânsito? Andar é o primeiro ato de liberdade dos seres humanos e a partir do primeiro passo já fazemos parte do trânsito.É garantido ao pedestre andar pelas vias públicas sempre respeitando as faixas de segurança, as calçadas e os semáforos, pois são recursos que colaboram para a nossa segurança.
 
   Para obter a carteira de habilitação é preciso que a pessoa possa ser responsabilizada pelos seus atos, saiba ler e escrever, além de possuir identidade e número de CPF próprio. Após a primeira habilitação a nova carteira só poderá ser expedida se não houver ocorrência de faltas graves ou gravíssimas e nem reincidência em infração média. Sendo que os seguintes exames são necessários: Sanidade física/mental, teórico técnico ou escrito e psicotécnico.A renovação é de 5 em 5 anos até os 65 anos e de 3 em e anos após esta idade.
 
   O código de trânsito brasileiro tem como prioridade defender a vida dos pedestres e dos motoristas, além de contribuir para a saúde do meio-ambiente.
 
   A fiscalização de velocidade impõe multas e pontos na carteira e tem como objetivo evitar o risco de vida para o motorista e para terceiros. Já dirigir sem documentos previstos na lei dá uma infração leve, multa e retenção do veículo até a apresentação dos mesmos.
 
   Celular e carro só devem funcionar quando um dos dois está desligado, pois o aparelho divide a atenção de quem está dirigindo, o qual deverá parar em local seguro antes de atender.
 
(Estas recomendações foram preparadas pelo nosso irmão Paulinho, que realizou palestra sobre o assunto para os integrantes/convidados do PAPE)
  
  
ESPAÇO PROFISSÃO
Por Sidney Mendes
 
 ÍNDIA – UMA POTÊNCIA EM DESENVOLVIMENTO
 
Não temos dúvidas em afirmar que, nos dias de hoje, é muito comum ouvirmos falar sobre a Índia que, ao lado da China é assunto diário na grande Imprensa Mundial, onde é citada sobre diversos aspectos, principalmente políticos e econômicos.
 
Mas afinal, qual o motivo da Índia ocupar tanto destaque assim na mídia mundial? Porque tanto interesse nesse país de história tão antiga e berço de uma cultura tão fascinante? Na verdade, tanto  interesse assim pela Índia deve-se ao fato de que esse país é um dos mais cotados para ser uma das grandes lideranças do mundo em um futuro bem próximo. Aliás, em muitos aspectos, a Índia hoje já é um país que ocupa posição de vanguarda no cenário mundial. Vamos então conhecer um pouco desse país?
 
Localização geográfica: Situa-se na parte sul da Ásia, entre o Oriente médio e a China.
 
Área: 3.287.590 KM2   (o sétimo país do mundo em extensão territorial, atrás da Rússia, Canadá, China, Estados Unidos, Brasil e Austrália)
População: aprox. 1.100.000.000  (1 bilhão e 100 milhões de habitantes), a segunda maior população mundial, atrás somente da China que tem 1 bilhão e 300  milhões de habitantes.
 
Línguas: 23 línguas oficiais, sendo a s mais faladas  hindi e o tâmil. O inglês também é uma das línguas oficiais do país, o que fez com que a língua inglesa se transformasse na língua da unidade indiana, pois todos os diferentes povos da Índia se comunicam em inglês Além  disso, existem diversos alfabetos na Índia.
 
Clima: No sul o clima é quente e tropical. No norte o clima é temperado, com 4 estacões bem definidas.
 
Sistema de Governo: Democracia parlamentarista (Na Índia temos presidente e primeiro-ministro), com 3 poderes: executivo, legislativo e judiciário.
 
Divisão Política:  28 Estados, 6 Territórios Federais e 1 distrito Federal. A capital do país é Nova Delhi.
 
A Índia  é considerada como a maior democracia do mundo, ou seja, é o país onde existe o maior número de cidadãos livres sob um governo democrático. Porém, apesar disso, é um país onde existem diversos problemas sociais. O principal deles é com relação as diferentes religiões que são praticadas na Índia. Muitas dessas religiões possuem crenças e dogmas que inibem o crescimento e o desenvolvimento pleno do país. Por exemplo, na Índia as vacas são consideradas um animal sagrado, o que é um problema, porque essa crença faz com que na Índia não exista atividade econômica voltada para a pecuária bovina. Existem na Índia 400 milhões de vacas que vivem livres e soltas, disputando espaço com as pessoas.
 
Outra crença religiosa na Índia que também constitui-se  num grave problema é a questão das divisões das populações em castas, ou seja, algumas religiões indianas acreditam que as pessoas que nascem pobres devem morrer pobres, pois estão de alguma maneira “pagando” os pecados cometidos em outra vida no passado. Na Índia, a crença na reencarnação é muito forte.  A isso eles também chamam de “carma”. Ou seja, essa crença impede a mobilidade ou ascensão social  de uma pessoa, algo que é muito comum nos paises capitalistas ocidentais, inclusive no Brasil.
 
Outros problemas graves na Índia são: alta taxa de analfabetismo (40% da população não sabe ler ), 25% da população indiana vive abaixo da linha da pobreza (cerca de 300 milhões de pessoas), e baixo índice de saneamento básico nas aglomerações urbanas. Mas, será que só existem problemas na Índia? É claro que não. A Índia é sucesso em muitas outras coisas. A classe média da Índia é bastante numerosa e com alto poder de consumo. O crescimento econômico do país está acima da média mundial (a Índia hoje é a 14ª economia do mundo). A Índia é líder mundial na indústria de softwares. O país também possui uma indústria eletrônica de alto nível.
A Índia abriga o maior número de PHDs do mundo. No segmento de serviços, o crescimento da Índia foi notável nos últimos anos. O país é conhecido como o escritório do mundo, pois muitas empresas multinacionais contratam serviços de suporte na Índia. Como exemplo, temos os serviços de Call Center.
 
A Índia é o país com o maior número de Centrais de Atendimento ao Cliente (Call Centers ou Contact  Center) do mundo. E o interessante é que essas Centrais atendem clientes de outros países, principalmente dos Estados Unidos. Outro fato importante no crescimento da economia Indiana, é que ao contrário do que acontece na China, a maioria das empresas Indianas são nacionais e controladas por Indianos. Outra coisa interessante é que a Índia também é o maior produtor mundial de filmes para o cinema, inclusive existe um bairro na cidade de Bombaim que se chama Bollywood (em alusão a Hollywood nos Estados Unidos). Além de tudo isso, a Índia também é uma potência nuclear, ou seja, o país detém a tecnologia de enriquecimento do urânio, tanto para fins pacíficos como para fins bélicos.
 
Enfim, por tudo isso é que os analistas econômicos acreditam que a Índia será uma das grandes potências mundiais no futuro. Aliás, os analistas apostam também em outros países e até criaram uma sigla para definir esse conjunto de países que segundo esses mesmos analistas serão os países de maior influência  no futuro. A sigla é BRIC e significaBrasil, Rússia, Índia e China.  Essa sigla representa  4 países de grande extensão territorial, muitas riquezas naturais, grande população e crescimento acelerado ano após ano. Enfim, países com grande potencial de crescimento e de assumirem num futuro bem próximo o papel de liderança no mundo que hoje é exercido pelos Estados Unidos.
 
Depois de tudo isso, acho que já deu  pra entender  o porque de tanto  interesse da mídia na Índia, não é mesmo?
 
ESPAÇO DO LEITOR
Comentário de Max Gehringher
 
Falando sobre o mercado de trabalho: Existem pessoas que realmente sabem dar respostas sábias às grandes questões sobre o mercado de trabalho. Aqui vai um pequeno resumo da entrevista com o famoso Reynold Remhn :
 
Ainda é possível ser feliz num mundo tão competitivo? Resposta: Quanto mais conhecimento conseguimos acumular, mais entendemos que ainda falta muito para aprendermos. É por isso que sofremos. Trabalhar em excesso é como perseguir o vento. A felicidade só existe para quem souber aproveitar agora os frutos do seu trabalho.
 
O profissional do futuro será um individualista? Resposta: Pelo contrário. O azar será de quem ficar sozinho, porque se cair, não terá ninguém para ajudá-lo a levantar-se.
 
Que conselho o Sr. dá aos jovens que estão entrando no mercado de trabalho? Resposta: É melhor ser criticado pelos sábios do que ser elogiado pelos insensatos. Elogios vazios são como gravetos atirados em uma fogueira.
 
E para os funcionários que tem Chefes centralizadores e perversos? Reposta: Muitas vezes os justos são tratados pela cartilha dos injustos, mas isso passa. Por mais poderoso que alguém pareça ser, essa pessoa ainda será incapaz de dominar a própria respiração.
O que é exatamente sucesso? Resposta: É o sono gostoso. Se a fartura do rico não o deixa dormir, ele estará acumulando, ao mesmo tempo, sua riqueza e sua desgraça. Belas e sábias respostas.
 
 Comentário do MAX: Eu só queria me desculpar pelo fato de que não existe nenhum Reynold Remhn. Eu o inventei. Todas as respostas, embora extremamente atuais, foram retiradas de um livro escrito há 2.300 anos: O ECLESIASTES , Bíblia. Mas, se eu dissesse isso logo no começo, muita gente, talvez, nem tivesse interesse em continuar me ouvindo.
 
Max Gheringer para a rádio CBN
(Esta foi uma preciosa colaboração de nossa irmã Roseli Lopes para o Jornal do PAPE) 
  
O Brasil é sustentável?
 
Sustentabilidade deve ser entendida como o atendimento  das demandas sociais, econômicas, educacionais, meio ambiente, para falar apenas das mais relevantes. Entendemos que o Brasil dos últimos 20 anos está despertando de um adormecimento secular e aos poucos ocupando um lugar de destaque no cenário mundial. Indicadores respeitados em níveis nacional e internacional apontam avanços do Brasil em áreas importantes, como mencionaremos a seguir:
 
Na área social e econômica, tivemos uma grande parcela da população que saiu da linha da pobreza e se inseriu na sociedade de consumo. Tanto é que o crescimento econômico está baseado na demanda interna para nossa sorte, pois o mundo está em recessão branda. A pouco, fomos agrupados em um tal “BRICS” (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) ou seja, os países que dominam a cena social e a economia mundial inserindo seus cidadãos na sociedade de consumo e com potencial de contrabalançar e amenizar a recessão que abate os EUA, União Européia e Japão. Desta forma, se nossos governantes não destrilharem o trem, teremos alcançado um ciclo virtuoso nunca antes visto; é certo e inevitável que pagaremos periodicamente a conta de reformas previdenciárias, trabalhistas, tributárias e outras mais. Se resultarem e avanços, nos daremos por contentes.
 
Na área educacional, há um avanço quantitativo muito grande; é preciso estarmos atento a qualidade do ensino, pois a nações que enriqueceram foram as que se basearam  na formação educacional de qualidade de seus cidadãos; grande parcela de nossa população entendeu que a migração para a uma classe social acima está condicionada uma boa formação. Hoje os cursos de graduação não são um diferencial extraordinário como já foi e sim algo natural sem o qual estaremos eliminados em vários processos seletivos.
 
Na área de meio ambiente o Brasil está no centro das atenções mundiais, por causa da Amazônia; é preciso conciliar desenvolvimento e preservação ambiental; este dilema não é novo no mundo, afinal ele não foi resolvido pelos países ricos que destruíram suas reservas em nome do desenvolvimento. Resta ao Brasil equacionar esta situação e mostrar ao mundo nossas habilidades. No último ano o desmatamento aumentou, após 3 anos de queda; é preciso agir com severidade. Nosso novo ministro Carlos Minc está diante de um teste de fogo, tanto de forma figurativa como de forma literal.
 
Concluímos que o Brasil está no caminho da sustentabilidade; tivemos vários avanços, mais ainda falta uma parte da lição de casa. Segurança pública e habitação são exemplos de carências. Como sociedade, temos que fazer nossa parte, dar nossa contribuição no que for possível e não achar que o governo resolverá todos os nossos problemas, pois isto também não acontecerá.
 
(Escrito por Valdenir Alves Ferreira para o curso de Graduação em Gestão da Produção Industrial da Fatec Internacional - Curitiba.)
                 
E N T R E V I S T A   D O   M Ê S 
O Jornal do PAPE finaliza o ano com uma entrevista ao nosso estimado apascentador e apoiador Joel Vieira Lopes, esposo da, sempre solícita, Vera Lucia Dezembro Cardoso Lopes e pai de Aline Dezembro Lopes Moreira e Beatriz Dezembro Lopes.
 
JORNAL DO PAPE: Poderia comentar as mudanças mais significativas em sua vida após assumir o cargo de apascentador na Congregação do Jardim São Cristóvão?
A responsabilidade fez com que me dedicasse mais e tomasse mais cuidado com as  vaidades deste mundo.
 
JP: Sabemos que o irmão Joaquim Pereira teve uma grande influência em sua formação espiritual. Podemos dizer que isso foi fundamental para a sua decisão de aceitar a liderança que exerce na igreja?
JOEL: Sim. Ao longo dos anos o irmão Joaquim infiltrou-se no meio da juventude  como quem não queria nada, mas no fundo ele bem sabia o que queria de todos nós. Dizia ele como pode um homem que Deus dá  trabalho, saúde, condições financeiras, família, bênçãos  e mesmo assim rejeitar um convite para trabalhar no Ministério. Pelo que ele nos ensinou seria uma grande ingratidão dizer um não para tal convite.
 
JP: Como você administra o tempo de forma a evitar que as suas funções na Igreja não venham a prejudicar a atenção para a família? E eles, como lidam com essa situação?
JOEL: Na medida do possível tento reservar um tempo para família, mas também tenho contado muito com a compreensão da minha esposa e das minhas filhas, muitas vezes temos que abrir mão de muitas coisas.
 
JP: Percebe-se facilmente que uma Congregação lotada é um dos maiores motivos de contentamento do seu apascentador. Além disso, o que mais lhe deixa contente em relação aos seguidores da Doutrina?
JOEL: O que me faz muito contente em relação aos seguidores é o respeito com minha pessoa nas várias maneiras de se comportar. Eu tinha uma preocupação, como satisfazer um irmão de 80 anos, um jovem e uma criança, mas aos poucos o bom relacionamento foi acontecendo de ambos os lados e  ficou tudo muito fácil. Também não posso deixar de dizer da cumplicidade dos nossos líderes que vestem a camisa para o desafio e isso me ajuda muito.
 
JP: Por outro lado, quais os motivos de tristeza para o responsável pela liderança espiritual de uma congregação?
JOEL: Quando se está à frente de uma congregação com tantos membros como a nossa acaba por envolver em muitas situações, choramos juntos, rimos juntos. Muitas vezes sem que os membros saibam festejamos em suas vitórias e entristecemos em suas derrotas, mas a maior  tristeza é quando um membro desiste do caminho ou enfraquece na fé.
 
JP: Agora, mudando o enfoque de nossa entrevista, para quem quiser iniciar algum empreendimento por conta própria, quais os principais conselhos que você lhe daria, para evitar as dificuldades típicas do empresário brasileiro?
JOEL: Em primeiro lugar pesquisar bem a atividade que quer desempenhar. Acho que esta pessoa deve participar das palestras do PAPE porque tem muitas informações que pode ajudar. Ser honesto é essencial. Acho também que tem que buscar a presença de Deus por que diz na bíblia que o homem faz os planos e Deus dirige os passos. Outra coisa é a concordância da família, isto é muito importante.
 
JP: Em seu trabalho já enfrentou alguma situação difícil em virtude de nossa religião? Como se saiu?
JOEL: Em certa ocasião fui convidado para fazer parte de um negócio que não concordava, mas era muito difícil recusar, pedi então a ajuda de Deus e fui atendido.
 
JP: Na sua opinião, de que maneira o PAPE e seus participantes poderiam auxiliar as lideranças  da Sã Doutrina, sem adentrar de maneira direta no campo das questões religiosas?
JOEL: Eu acho que o PAPE exerce um papel fundamental  para a igreja. As informações que são passadas no campo profissional e educativo são importantíssimas. Entendo que uma boa formação educacional  tende a ajudar na escolha de uma boa profissão que facilite a santificação do dia de sábado.
 
JP: Gostaria de deixar alguma mensagem especial de FIM DE ANO para os leitores do Jornal do PAPE?
JOEL: Gostaria de desejar a todos os leitores do PAPE um ano novo de muita prosperidade, saúde e felicidade e aquilo que não foi possível alcançar em 2008 seja realizado em 2009. Que a paz e o amor do Senhor Jesus esteja com todos!

Atualizado em ( 22-Mar-2009 )