Mensagem da Coordenação

31 de Julho de 2016


Escrito por PAPE_JSD - Entrevista com Marleine P. M. F. Toledo   
01-Oct-2008

O PAPE INFORMA Boletim Informativo das Atividades do Programa PAPE_JSD – nº. 04 - Junho de 2006. 
MENSAGEM DA COORDENAÇÃO
Por “José Fatuch Junior”
 
 O nosso programa está passando para uma nova fase. Inicialmente realizamos uma pesquisa entre os membros da congregação para saber quais são as atuais situações e as pretensões de cada um dos inscritos para o PAPE_JSD.Como a própria sigla já demonstra, o  foco do Programa de Aprimoramento Profissional e Estudantil dos Jovens da Sã Doutrina é justamente o apoio a estas atividades.Assim, nos próximos dias voltaremos a consultar o pessoal sobre alguns itens da pesquisa anterior, para confirmar as expectativas quanto ao que devemos trabalhar junto ao grupo.

A partir desse novo levantamento, se necessário, poderemos dividir os membros em grupos de interesses comuns, para permitir melhor aproveitamento.Também queremos passar a efetuar acompanhamento personalizado de cada um dos que confirmarem a permanência no grupo, a fim de proporcionar um bom retorno individual.

Com estas inovações esperamos criar possibilidades de resultados positivos a médio prazo para a carreira acadêmica ou profissional de todos os envolvidos.Aguardem o reinício dos trabalhos do PAPE e reservem, desde já, espaço em suas agendas para os próximos eventos.Até lá, se DEUS quiser. CURIOSIDADE “Eu amo mais você do que eu!

Este foi o título que um artista deu à sua canção. Como vocês viram, todo mundo erra!Infelizmente muitas pessoas ainda confundem o uso dos pronomes “eu” e “mim”. Na última aula do PAPE, nós aprendemos que o certo é “entre mim e ele” e não “entre eu e ele”. Conforme foi estudado, o pronome “eu” só pode exercer a função de sujeito em uma frase, mas nunca de predicado.

A primeira ocorrência dele na frase está, então, certa, pois "Quem é que ama?" Resposta: "eu", o sujeito agente da ação de "amar". A segunda ocorrência, porém, está inadequada aos padrões cultos da língua, pois, da maneira como está apresentada, tem-se novamente um sujeito, mas não é essa a intenção do compositor.

O que ele quis transmitir foi que "ele ama determinada pessoa mais do ele ama a si mesmo".  Portanto, o certo é dizer:“Eu amo mais você do que a mim!” ou “Eu amo mais você do que eu me amo!”.Se alguém encontrar o compositor responsável, corrijam-no! 
 
ESPAÇO EDUCAÇÃO
Por José Carlos Edwiges 
 
Um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula, em cujo centro puseram uma escada e, sobre ela, um cacho de bananas.Quando um macaco subia a escada para apanhar as bananas, os cientistas lançavam um jato de água fria nos que estavam no chão. Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros o enchiam de pancadas.

Passado mais algum tempo, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas. Então, os cientistas substituíram um dos cinco macacos. A primeira coisa que ele fez foi  subir na escada, dela sendo rapidamente retirado pelos outros, que o surraram também. Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não mais subia a escada.

Um segundo foi substituído, e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado, com entusiasmo, da surra ao novato. Um terceiro foi trocado, e repetiu-se o fato. Um quarto e, finalmente, o último dos veteranos foi substituído. Os cientistas ficaram, então, com um grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse chegar às bananas. Se fosse possível perguntar a algum deles porque batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria: "Não sei, as coisas sempre foram assim por aqui...". E você, não está batendo sem saber? 
 
ESPAÇO PROFISSÃO
Por Sidney Mendes da Silva 
 
Nas duas últimas edições desse jornal, falei nesse mesmo espaço sobre as escolhas e depois sobre as decisões.  Sendo assim, podemos então concluir que para atingirmos nossos objetivos é só escolher aquilo que é bom e tomarmos a decisão de conseguir tal coisa e pronto, iremos conseguir nossos objetivos.  

Errado!!!  Ninguém consegue nada nessa vida dessa maneira! Para conseguirmos as coisas é preciso AÇÃO! E Ação não é uma coisa que faremos sem ter outra qualidade importante que é o Entusiasmo.

Na verdade, muitos desistem de seus sonhos porque enxergam inúmeras dificuldades e barreiras pela frente e daí desanimam. O entusiasmo é algo essencial para nos levar a ação. É o entusiasmo que nos faz fazer coisas que não queremos para atingirmos os objetivos que queremos. É o entusiasmo que nos faz enxergar nossos objetivos durante uma tarefa árdua e chata, e nos impulsiona para frente, e em alguns casos até nos fazendo sentir prazer nessas tarefas chatas. Sabemos que a maioria das pessoas não gosta de fato de estudar, de trabalhar, de praticar atividades físicas, ou de fazer regime.

Se esse for o seu caso, ao fazer algumas dessas tarefas “chatas”, não focalize na tarefa em si, pense nos seus objetivos, pense na vitória, pense nas conquistas, pense lá adiante.  Só assim você terá forças e o entusiasmo necessário para conseguir efetivar as ações necessárias para alcançar seus objetivos. 
 
ENTREVISTA DO MÊS 
 
Nesta edição vamos publicar parte de uma entrevista com a professora e escritora Marleine Paula Marcondes e Ferreira de Toledo, autora de "O Ato de Redigir" (Nankin Editorial), uma das obras mais abrangentes sobre o tema, em que trata especialmente sobre a dissertação:Em que sentido a dissertação-argumentação é um gênero textual que merece destaque?

A dissertação-argumentação está presente no dia-a-dia de todas as pessoas. Portador de razão e vontade, o homem está a toda hora expondo suas idéias, julgando, avaliando, criticando tudo a seu redor. Em outraspalavras: está sempre dissertando ou argumentando.Podemos dizer que existem duas maneiras diferentes de dissertar?

Sim. Podemos falar em dissertação expositiva, em que se expressam idéias sobre determinado assunto, sem a preocupação de convencer o leitor ou ouvinte. Já a dissertação argumentativa implica a defesa de uma tese, com a finalidade de tentar convencer alguém, demonstrando, por meio dela evidência de provas consistentes, a superioridade de uma proposta sobre outras ou a relevância dela tão-somente.Como organizar ou estruturar uma argumentação?

No livro "Como Ordenar as Idéias", Edivaldo M. Boaventura resume muito bem aquilo que o bom-senso diz a respeito de todo o texto escrito: "A arte de bem exprimir o pensamento consiste em saber ordenar as idéias. E como se ordenam as idéias? Fazendo a previsão do que se vai expor".
A entrevista pode ser lida na íntegra no site do PAPE e foi extraída do site do UOL.
 
Atualizado em ( 09-Nov-2008 )