Foto da noticia

Acordo Ortográfico

31 de Julho de 2016


Escrito por Júlia Fatuch   
11-May-2009
O PAPE INFORMA Edição Exclusiva para o site www.sadoutrina.org

jutach@yahoo.com.br

Todos sabem da importância da escrita em nossas vidas; na igreja não é diferente, pois ouvimos as instruções dos Pregadores, dos Apascentadores, do Espírito Santo e muito mais. Assim disponibilizamos as mudanças mais relevantes que foram adotadas em nossa ortografia.
 
Confiram e atualizem-se.
 
Principais Modificações Ortográficas da Língua Portuguesa 
O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, que entrou em vigor em 2009, tem como objetivo unificar alguns pontos da ortografia dos países envolvidos. Além do Brasil, os países signatários são: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.
Este breve resumo irá ajudá-lo a entender e conhecer as principais alterações ortográficas decorrentes do Acordo.
 
1. Alfabeto As letras k, w e y foram incorporadas ao alfabeto, que passou a ter 26 letras.  

2. Trema O trema (¨), que antes era colocado em palavras como “lingüiça” e “freqüente”, não será mais usado em nenhuma palavra.  

3. Mudanças nas Regras de Acentuação  
3.1. Não se usa acento nos ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas (palavras que têm a penúltima sílaba mais forte). Exemplo: as palavras “idéia”, “estréia” e “jóia” passam a ser “ideia”, “estreia” e “joia”.  

3.2. Não se utiliza mais o acento no e no u tônicos quando vierem depois de um ditongo (encontro de duas vogais), nas palavras paroxítonas. Exemplo: “feiúra” passa a ser “feiura”.  

3.3. Não se usa mais o acento das palavras terminadas em êem e ôo(s). Exemplo: “vôo” passa a ser “voo” e “crêem” passa a ser “creem”.  

3.4. Não se usa mais o acento diferencial entre os pares pára/para, péla(s)/pela(s), pêlo(s)/pelo(s), pólo(s)/polo(s)e pêra/pera.  

4. Hífen Foi estabelecida uma nova sistemática para emprego do hífen. Como as regras não são tão simples, portanto é importante sempre ter em mãos um guia para consulta. A regra geral é: sempre se usa o hífen diante de h (exemplo: anti-higiênico, super-homem). Para os demais casos, faz-se necessário verificar se o prefixo (a palavra que antecede) é terminado em vogal ou em consoante.  

4.1. Para prefixo terminado em vogal (como “auto” e “semi”):• Sem hífen diante de vogal diferente. Ex.: autoescola.• Sem hífen diante de consoante diferente de r. Ex.: semicírculo.• Diante de r e s, não se usa o hífen e dobram-se essas letras. Ex.: antirracismo, antissocial.• Com hífen diante de mesma vogal. Ex.: contra-ataque, micro-ondas.  

4.2. Para prefixo terminado em consoante (como “inter”):• Com hífen diante de mesma consoante. Ex.: inter-regional.• Sem hífen diante de consoante diferente. Ex.: intermunicipal• Sem hífen diante de vogal. Ex.: interestadual. 
 
4.3 Com o prefixo “sub”, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por r. Ex.: sub-região. Palavras iniciadas por h perdem essa letra e juntam-se sem hífen. Ex.: subumano.  

4.4. Com os prefixos “circum” e “pan”, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por mn e vogal. Ex.: pan-americano.
  
4.5. O prefixo “co” geralmente se junta com a palavra seguinte. Ex.: coordenar.  

4.6. Com o prefixo “vice”, usa-se sempre o hífen. Ex.: vice-diretor.  

4.7. Não se usa o hífen em algumas palavras em que não há uma noção clara de composição. Ex.: girassol, pontapé, paraquedas.  

4.8. Com os prefixos “ex”, “sem”, “recém”, “pós”, “pré” e “pró”, usa-se sempre o hífen Ex.: ex-aluno, sem-terra, recém-casado, pós-graduação, pré-vestibular. 

Fonte: Guia Prático da Nova Ortográfica Michaelis, Ed. Melhoramentos

Atualizado em ( 30-May-2009 )