Acorde! Deus lhe deu talentos!

31 de Julho de 2016


Escrito por PAPE_JSD - Artigo de Wendell Fabiano   
09-Oct-2008

O PAPE INFORMA Boletim Informativo das Atividades do PAPE_JSD - (Programa de Aperfeiçoamento Profissional e Estudantil dos Jovens da Sã Doutrina) – nº. 12 - Junho e Julho de 2007.  
 
Mensagem da Coordenação
Por José Fatuch Jr.
 
   Ao longo das últimas edições temos utilizado este espaço para tratar do assunto planejamento. Já discutimos a importância de saber ONDE se quer chegar, QUANDO deverão ser atingidos os objetivos propostos e COMO se faz para conquistá-los.

   A seguir vem a EXECUÇÃO propriamente dita do plano traçado, ou seja, é hora de “colocar a mão na massa”, seguindo as idéias surgidas durante a fase de elaboração do planejamento.

   À medida em que se executa um plano também se faz necessário CONTROLAR os resultados obtidos, para ver se são compatíveis com os esperados. Se a comparação se revelar positiva, então é só continuar a trabalhar conforme estipulado, mas se a comparação se revelar negativa, então novas medidas terão de ser adotadas para corrigir os rumos e permitir a obtenção de resultados melhores.

   Voltando ao exemplo usado anteriormente, aquele em que a pessoa elabora um plano para ingressar em uma boa faculdade. Se as notas obtidas durante os testes e simulados não forem satisfatórias, então os métodos, formas e horários de estudo deverão ser revistos a fim de possibilitar a necessária melhora no desempenho nas provas e testes seguintes.

   Com isso estamos encerrando a nossa discussão sobre esse assunto, mas ficaremos à disposição de todos os leitores e participantes do PAPE que tiverem dúvidas a respeito.

   Também estamos concluindo, neste número, uma fase de nossos estudos sobre o tema Aquecimento Global, quando tivemos a participação de muitas pessoas, apresentando ou assistindo aos debates.

   Esperamos ter contribuído para o esclarecimento de todos quanto a essa discussão tão atual nos meios acadêmicos e profissionais, especialmente.

   Em nossa próxima reunião (dia  19.08, a partir das 9:00 horas) pretendemos dedicar tempo integral a questões do interesse geral, principalmente na área de português, matemática, física e conhecimentos gerais, que podem ser cobradas no ENEM ou em outras provas e concursos públicos ou não.
   Até lá, se DEUS quiser.
  
É bom saber!
 
Afinal, o que é reforma agrária?
É a distribuição social da terra. A reforma agrária é feita principalmente em latifúndios - grandes extensões de terras, improdutivas ou não.

O governo, maior dono de terras no país, recupera terras da União ocupadas ilegalmente (griladas), compra áreas ou desapropria latifúndios, pagando por eles, para dividir em lotes e assentar famílias.

Não basta dar o lote para a reforma ser considerada feita. Ela inclui dar condições para construir casa, fornecer sementes e alimentos que sustentem o lavrador e sua família até a primeira colheita.

O Estado também deve providenciar a construção de escolas para os filhos dos agricultores, a extensão da energia elétrica até suas casas, o financiamento de máquinas agrícolas e assistência técnica de agricultores e veterinários, além de estradas para escoar a produção do que será plantado.

A reforma também pode criar cooperativas em que as pessoas trabalhem em conjunto, sem dividir a terra.
Divulgado por UOL – Educação (30/01/07)
  
Escrevendo Certo
 
“Ir aos” ou “Ir nos”?
Uma forma de expressão comum é alguém dizer que “vai na festa”, “vai no casamento”, “vai na igreja”. Esse, porém, não é o modo correto de falar. Os verbos que indicam movimento ou deslocamento,  como ir, levar, voltar, sair e chegar, por exemplo, devem ser usados com a preposição a. Assim, o certo é:  “vamos à festa”, “vamos ao casamento”, “vamos à igreja”.
 
 ESPAÇO PROFISSÃO
Por Sidney Mendes
 
ACORDE!  DEUS LHE DEU TALENTOS!
Pessoal, vocês sabem ou têm alguma opinião sobre a maior tragédia desse mundo?  Creio que alguns poderiam dizer que as maiores tragédias desse mundo são as guerras, outros poderiam dizer que a maior tragédia é o desperdício dos recursos naturais, enfim cada pessoa tem uma resposta que julgue adequada a essa pergunta. Porém, posso lhes dizer que em minha opinião, a maior tragédia desse mundo é o desperdício dos recursos humanos.

Os psicólogos dizem que a proporção entre a capacidade que temos e a capacidade que usamos é aproximadamente esta: de dois a cinco por cento em média. A grande verdade é que a maioria das pessoas vai para o túmulo com sua “música” ainda dentro. Assim sendo, infelizmente, as melodias mais bonitas de todas são as que não são tocadas.

Meus caros, para começar a utilizar o talento que tem, você deve começar a se libertar de todas as desculpas de perdedor que por acaso você tenha.

Uma desculpa típica de perdedor é:  “Eu não sou um vendedor nato, ou um líder nato, ou um médico, advogado, arquiteto, engenheiro nato, etc. Ora, a mulher quando dá à luz, ela dá à luz meninos e meninas e  até hoje nunca vi ou li sobre uma mulher que tenha dado à luz um vendedor, médico, engenheiro, advogado, etc.   Entretanto, leio sobre médicos, advogados e vendedores que morrem.  Já que eles não “nascem” mas “morrem”, evidentemente, em algum lugar entre o nascimento e a morte, por escolha e por treinamento,  eles se tornam o que querem se tornar.

Aliás, também nunca vi uma mulher dar à luz um fracasso ou um sucesso.  Sempre é um menino ou menina. Algumas vezes já vi homens orgulhosos se levantarem e dizerem: “Sou um homem que se fez sozinho”. Mas até agora nunca vi alguém se levantar e dizer: “Sou um fracasso que se fez sozinho”. Ao invés disso sabem o que eles fazem? Apontam o dedo  indicador e dizem: “Não sou bem sucedido e feliz por causa dos meus pais”. 

Outros dizem: ”Minha mulher – ou meu marido – não me compreende”. Alguns põem a culpa no professor, no patrão, no pregador, no vizinho, etc.  Agora, perceba uma coisa, quando você apontar o dedo para outra pessoa, descobrirá que  existem três vezes a quantidade de dedos apontados exatamente para você.  Nunca se esqueçam disso: O seu sucesso e a sua felicidade começam em você.  Você tem nas suas mãos as sementes do fracasso, ou o potencial de grandeza.
 
A IMPORTÂNCIA DOS OBJETIVOS

Apóstolo Paulo escreveu na Bíblia sagrada a seguinte frase: “Deixando as coisas que para trás ficam, prossigo para o alvo”. Significativamente, Paulo escreveu essas palavras quando aguardava a morte numa prisão Romana. Paulo também enfatizou que ele lutava a batalha da vida para vencer, pois ele tinha a convicção da ressurreição e da vitória.

Creio que a maioria das  pessoas nunca ouviram falar de um tal de Howard Hill, mas esse homem foi um famoso arqueiro Americano de grande talento, que conquistou inúmeros prêmios e bateu inúmeros recordes.  Ele era capaz de mandar uma flecha para o centro do alvo e depois, lançar outra flecha e quebrar aquela flecha com a própria que lançava.

Agora, posso lhes dizer que eu, Sidney, poderia atirar  melhor que Howard Hill no seu melhor dia. Eu poderia acertar o alvo com mais consistência que Howard Hill e olha que eu nunca peguei um arco e flecha na mão. Sei que você pode perguntar como isso seria possível, mas deixe-me explicar. Insisto em que você imponha um pequeno “handicap” a Howard Hill. Gostaria que colocasse uma venda nos olhos dele e aí lhe garanto que eu acertaria o alvo com mais consistência do que ele.  Bom, espero que ache essa analogia ridícula e que esteja pensando: “É claro que você conseguiria; como é que um homem pode acertar um alvo que não vê?”

Esta é uma boa pergunta. Agora aqui vai outra para você. Se não pode acertar num alvo que não vê, como é que pode acertar num alvo que não tem?

Você tem um alvo ou um bom objetivo? Você precisa ter um objetivo porque da mesma forma que você não pode voltar de um lugar onde nunca esteve, você nunca chegará a um destino que você não tem. Será que a maioria das  pessoas tem objetivos?  Você pode parar uma centena de jovens em uma rua e perguntar a cada um: “O que você está fazendo para garantir totalmente o seu fracasso na vida?”  Creio que a maioria responderia com surpresa: “O que você quer dizer com isto? Estou trabalhando para ter sucesso!” Bom, a maioria das pessoas pensa mesmo que está, mas quando perguntamos sobre os objetivos e metas de vida, a verdade é que a maioria das pessoas não sabem bem onde querem chegar. Pensem nisso e para encerrar deixo uma frase para reflexão:
 
“Você vai até onde consegue ver e quando chega lá sempre será capaz de ver mais adiante.”
  
ESPAÇO EDUCAÇÃO
Por José Carlos Edwiges
 
Aquecimento Global. E eu com isso...
Quem tem acompanhado a mídia televisionada nestes últimos dias deve ter visto um comercial da EPTV convidando as escolas a participarem de um projeto: EPTV na escola.

Em resumo é assim: é proposto um tema de redação aos alunos da oitava série do ensino fundamental, de escolas municipais, estaduais, particulares e Sesi. Há vários prêmios para as melhores redações.

O tema escolhido para este ano, adivinhem, é o título desta matéria: Aquecimento Global. E eu com isso...

Agora o que eu quero chamar a atenção é a antecipação do tema no PAPE. No final do ano passado em nossa última reunião, pedimos sugestões de temas para trabalhar no ano de 2007 e a questão ecológica foi levantada sob vários aspectos, seja o cuidado com a água, a poluição em geral, derretimento das geleiras, aquecimento global...

Nas últimas reuniões, vários participantes deram sua colaboração, pesquisaram, prepararam trabalhos e apresentaram para nós sobre este tema, e então companheiros, estão todos de parabéns, por estarem antenados com a nossa realidade, com matérias da atualidade, falando de assuntos que até mesmo o G-8, grupo dos sete países mais industrializados do mundo (Alemanha, Estados Unidos, Inglaterra, França, Itália, Canadá e Japão) mais a Rússia, estão abordando.

Neste início de mês o G-8 se reuniu na Alemanha para discutir diversos assuntos e dentre os vários temas que eles conversaram o aquecimento global foi o tema de abertura e que tem gerado grande polêmica, tendo em vista que estes países são muito ricos e estão resistentes em abrir mão do capital individual para o benefício do coletivo, para o bem de todos nós e principalmente das futuras gerações.

Enquanto eles discutem o assunto lá no alto do poder, nós podemos ir fazendo nossa parte aqui em baixo. Já recebemos várias dicas e informações para economizarmos água, por exemplo. A questão agora é colocar em prática o que aprendemos e fazer a informação correr, conscientizar o máximo de pessoas possível para nossa causa.
 
Em casa, por exemplo, começamos a dar mais ênfase para a reciclagem. Em quase todos os bairros existem pessoas que fazem coletas, às vezes de forma simplista, outros de forma mais organizada e sistematizada. Depois de coletarem certa quantidade vendem os materiais. Cooperativas de reciclagem têm crescido muito, tendo o apoio de ONG´s (Organização Não Governamental) e do poder público (Prefeitura, por exemplo). Muitas famílias vivem hoje com este tipo de trabalho. Ou seja, o que antes era chamado de lixo, hoje chama-se gerador de renda, ocupação, trabalho, dignidade.

   Não sei se existem cooperativas de reciclagem em nossa região, mas sei que há muitos catadores, pessoas que vão ajuntando para vender depois.

Perto de casa tem o seu João, que passa recolhendo tais materiais e as pessoas já sabendo disso vão ajuntando para ele. Ele ganha com isso, eu e você também, a natureza muito mais.

   Comece sua colaboração com o meio ambiente, caso não tenha começado ainda. Em casa, pegue uma sacola grande e vá colocando plásticos, embalagens, latas, garrafas de pet, etc., é impressionante a rapidez com que a sacola enche. Talvez o mais difícil seja criar a disciplina, mas depois do hábito criado é automático. Em casa estamos fazendo isso e provavelmente os recicláveis tem colaborado para uma redução de quase metade do nosso lixo, ou seja, 50% menos de lixo nos aterros sanitários.

   É importante lembrarmos de uma equação que certamente vai entrar forte em muitas pautas de discussão que envolvem o meio ambiente que é a equação dos 3 R´s – Reduzir, Reaproveitar e Reciclar. Em momento oportuno poderíamos aprofundar mais sobre o tema.
 
 Palavra do Participante:
                Nesta edição, ao invés da entrevista, optamos por publicar um artigo escrito por um de nossos participantes, Wendell Fabiano, a respeito de um assunto bastante comentado nas últimas reuniões do PAPE.   
 
                       Aquecimento global e a falta d’água
      Todos nós sabemos que estamos enfrentando um problema muito sério que é o aquecimento global e com ele vem também a falta d’água em nosso planeta, mas eu estou falando de água potável, pois em nosso planeta temos 70% de água salgada e apenas 30% de água doce que é a água que necessitamos para a nossa sobrevivência, mas esses 30% de água doce estão divididos em geleiras, rios, lagos e lençóis freáticos.

       Com o aquecimento global, corremos o risco de ficar sem água! Então o que devemos fazer? Devemos fazer a nossa parte! Mas qual é a nossa parte? É a racionalização. Podemos começar a fazer a nossa parte em casa. Como? Enquanto se lava a louça permanecer com a torneira fechada pra não desperdiçar água. É recomendável lavar o carro com um balde de água e não com a mangueira aberta, pois assim você tem o controle da água que você está utilizando.

No banho, não se ensaboe com o chuveiro ligado e evite demorar no banheiro, recomendando-se para os homens de 5 a 10 minutos de banho e para as mulheres de 10 a 20 minutos. Não lavar a calçada com a mangueira ligada, só varrer já é o suficiente, pois quando chover, a chuva vai tratar de limpá-la pra você…, esses são apenas alguns exemplos práticos que temos que usar no dia-a-dia, porque assim estaremos fazendo a nossa parte! O que pudermos fazer para melhorar o planeta em que vivemos, devemos fazer de coração, pois não somos só nós que vivemos nele, mas toda a vida, seja ela humana, animal ou vegetal.

       Espero que após essa nossa pequena conversa, vocês estejam preparados para mudarem seus hábitos(mas mudar para melhor!), ajudando assim não somente eu e você, mas também todos nós e todo o planeta Terra que é o que vivemos, para que possamos ter um futuro bom para os nossos filhos, netos, etc…
CONTO COM VOCÊS!!!
 
                Com esta explanação do Fabinho e o encarte produzido pelo Edgar especialmente para esse jornal do PAPE, estamos encerrando um ciclo de discussões a respeito do tema “Meio Ambiente”, que ocorreu durante o primeiro semestre de 2007, finalizando com a apresentação do documentário “Uma Verdade Inconveniente” do ex-vice-presidente dos EUA, Al Gore. Esperamos que tenha sido de muito proveito a todos.

                Nosso próximo assunto será a atuação de Martinho Lutero em favor da Reforma que deu origem às igrejas protestantes. Aguardem notícias.

Atualizado em ( 23-Oct-2008 )