Foto da noticia

A próxima vaga poderá ser sua!

31 de Julho de 2016


Mensagem da Coordenação

 Por José Fatuch Jr.
Os meios escolares acabam de receber uma ótima notícia: Trata-se de uma iniciativa da UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas no sentido de aprimorar o sistema de acolhimento dos alunos oriundos do ensino público do município.

Estamos falando do ProFIS – Programa de Formação Interdisciplinar Superior, lançado com vários objetivos, principalmente para dar mais oportunidades de acesso aos alunos formados em escolas públicas e permitir-lhes  um melhor preparo antes da escolha do seu curso universitário.
 
Em 2011 o modelo funcionou assim: Dentre os alunos dos estabelecimentos de ensino público de Campinas que prestaram o ENEM foram selecionados o melhor colocado de cada escola, mais os 24 melhores segundos classificados, num total de 120 alunos.

Essa turma realizará um curso de 2 anos, de nível universitário, ao fim do qual cada um dos estudantes poderá escolher, pela ordem de classificação, qual a sua opção para graduação, entre os cursos oferecidos pela Universidade. Com isso terão mais tempo e experiência para realizar as suas escolhas.

A nossa irmã  NATASHA MACEDO foi uma das selecionadas para compor a primeira turma e está muito feliz com isso. Graças ao  desempenho no ENEM, certamente obtido após muitas horas de dedicação à leitura e aos estudos, acaba de ingressar na Unicamp.

Parabéns NATASHA, você está sendo um exemplo de esforço e dedicação para todos nós. Que DEUS ilumine o seu caminho neste novo desafio e lhe permita grande sucesso.

Quanto aos nossos jovens leitores, fiquem atentos às oportunidades e não deixem de ler e estudar bastante. A próxima porta poderá ser aberta para vocês, se estiverem prontos.
Até mais, se DEUS quiser.
 
JÁ ESCOLHEU A SUA PROFISSÃO?

Patrícia
Sou graduada em Farmácia Generalista e essa minha escolha se deve a uma pesquisa prévia ao vestibular, onde ponderei minha preferência pelos cursos que estava em dúvida e o mercado de trabalho.

O curso de farmácia é uma boa opção para quem gosta da área biológica. Não é um curso barato, mas por experiência própria garanto que tem muitas maneiras de se conseguir uma formação acadêmica hoje em dia. São vários tipos de bolsas e incentivos dados ao aluno e eu mesma me formei por meio de bolsa de estudos, sendo que eu estagiava na própria instituição em troca das mensalidades dos meus estudos.

O conhecimento farmacêutico envolve as áreas de medicamentos, cosméticos, saúde pública, alimentos, análises clínicas e toxicológicas.

No setor de medicamentos, o farmacêutico zela pela assistência integral da saúde das pessoas, na indústria de medicamentos pode atuar no desenvolvimento, produção, controle de qualidade e distribuição, e também em indústrias de produtos de limpeza, higiene pessoal e cosméticos.

A parte laboratorial capacita o profissional para dar diagnósticos precisos de doenças e na pesquisa esta apto a desenvolver soros e vacinas.

O farmacêutico pode atuar em drogarias, farmácias, farmácias de manipulação, indústrias de diferentes segmentos, hospitais, postos de saúde, clinicas, vigilância sanitária, análises clínicas e toxicológicas, laboratórios de pesquisa, empresa de distribuição de transporte de medicamentos, como fiscal do CRF e marketing farmacêutico.

Uma dificuldade que se pode ter depois de formada, é em relação ao sábado, pois dificilmente vemos uma farmácia ou drogaria que não abre aos sábados, mas graças a Deus eu ainda não tive nenhum problema nesse sentido, pois sempre me prontifiquei a trabalhar em outros dias como feriados e domingos.
Patrícia Mena - Farmacêutica
 
ESPAÇO PROFISSÃO
Por Carlinhos Edwiges
 
RONALDO MARTINS DA SILVA (RONALDÃO) - UM EMPREENDEDOR
Este campineiro de nascimento e mariluzense de coração, firmou sua moradia aqui em Campinas no ano de 1998, perto de completar seus 20 anos.

Tendo passado a infância e a juventude em Mariluz no Paraná, cursou apenas o ensino fundamental e sem nenhuma bagagem profissional de relevância, foi atraído pelas oportunidades de uma cidade grande conciliado com o número de irmãos da Sã Doutrina que aqui residem.

Quando fez a primeira entrevista de emprego, percebeu que só o ensino fundamental não seria suficiente para garantir um emprego legal. Confiante na promessa de Deus que seu servo nunca mendigaria o pão, foi a luta, encarando de início o trabalho como segurança, função esta que permaneceu por durante três anos.

Então veio o casamento como nossa irmã Valdelice e junto veio também a decisão de não mais trabalhar de segurança. Pela graça de Deus, com a ajuda de uma pessoa da Sã Doutrina, conseguiu entrar numa empresa multinacional muito conceituada no mercado, a Karcher, sediada em Paulínia, e logo em seguida foi efetivado, passando a receber uma forte cobrança por causa dos estudos.

Começou então o ensino médio numa escola próxima de casa e assim que terminou, passou a trabalhar no período noturno, onde respondia por uma linha de produção. Foi uma época que trabalhava muito e tinha pouco retorno financeiro, com um salário longe daquilo que considera ideal e proporcional a responsabilidade.

Lembra que questionou o seu gerente, mas nada foi possível ser feito naquele momento. Foi então até o diretor da empresa e lá ele ouviu um sábio conselho em forma de sugestão. Seu diretor lhe orientou para que voltasse a estudar, pois só com o ensino médio seria difícil a empresa aumentar seu salário já que ele não tinha nada para oferecer de contrapartida. Por isso o tão sonhando aumento ficava longe.

Foi então que resolveu fazer o vestibular para o curso superior de Tecnologia em Logística. Como quem planta colhe, através de seu esforço, de sua contrapartida, logo após o terceiro mês de estudo na faculdade, teve uma agradável surpresa, pois conseguiu um aumento, onde seu salário considera que ficou satisfatório.

Uma data que não lhe sai da cabeça é o dia em que entrou nesta empresa, pois veio a aprender cada dia mais com a experiência de trabalhar em uma multinacional, onde a liberdade de expressão e os incentivos lhe ajudaram na sua formação como pessoa.

Devido a algumas circunstâncias, deixou o trabalho como empregado nesta empresa e passou tê-la como parceira, pois pegou sua experiência e seu conhecimento profissional e os adquiridos na faculdade, juntou com seu sonho de trabalhar por conta, tendo seu próprio empreendimento e montou um negócio.

Hoje tem uma assistência técnica de máquinas de alta pressão, trabalhando com três importantes marcas do mercado. Já pode dizer que cresceu e ainda vendo um campo muito grande para crescer ainda mais.

Sabe que ainda tem muito para aprender, mas uma coisa Ronaldo tem certeza, “é que só chegou até aqui porque Deus colocou as pessoas certas em sua carreira, material e espiritual”. Também teve que fazer seus sacrifícios, estudando já casado e com filhos pequenos. Por isso nos deixa um conselho: “aproveitem para estudar enquanto são solteiros sem grandes compromissos e se não conseguiram estudar quando eram jovens, também não desistam, porque nunca é tarde demais para recomeçar. Comigo deu certo, poderá dar certo com você também.”

Desejamos sucesso a nosso irmão e a todos.
 
SENTIMENTO ANTECIPADO
 
Jecer de Brito
Escritor e Palestrante Motivacional
No "mundo" dos negócios usa-se o termo em inglês "feeling" que nada mais é do que o sentimento antecipado em relação a uma tomada de decisão, fechamento de contrato ou um novo investimento, porém, o que garante a assertividade e a lucratividade no negócio?

Se o nicho é promissor, se Você esta atualizado no mercado, se calculou as finanças para suportar o tempo de adequação no mercado, se tem prazer e compatibilidade na nova tarefa, enfim...

A possibilidade de sucesso em cálculos tangíveis é muito mais fácil que um mero pressentimento, pois, preparar-se para os objetivos é ajudar e aguçar os sentidos na busca do êxito.
 
ESPAÇO EDUCAÇÃO
HOMENAGEM AOS PAIS
 
Simone Fatuch

No Mundo Corporativo, é comum a busca e valorização do famoso "perfil de liderança". Os processos seletivos mais concorridos procuram pessoas que se destaquem em um determinado grupo e que tenham a capacidade de influenciar os demais. Gerentes de grandes empresas leem livros, artigos e fazem cursos visando conhecer e aplicar as principais características dos grandes líderes da história.

Mas, será que precisamos ir tão longe? Ao nosso lado sempre tivemos os nossos pais, líderes exemplares, muito próximos do modelo insistentemente buscado pelos caçadores de talentos. E com uma grande vantagem: O amor. Este sentimento tão precioso, quase nulo na fria relação entre comandante e comandados, está sempre presente nos corações daqueles que foram os responsáveis pela nossa geração.

E é por essa razão que hoje estamos aqui, em nome de todos os formandos, para prestar esta justa homenagem aos primeiros e mais importantes formadores de nossas vidas. Aqueles que nos ensinam tudo o que sabem, sem qualquer receio de perder o seu espaço ou de que venhamos a nos sobressair. Aqueles que têm a maior paciência diante de nossos erros. Aqueles que valorizam com grande orgulho os nossos pontos positivos e procuram corrigir, com muita dedicação, os nossos pontos negativos.

Aqueles, enfim, que desejam do fundo do coração que sejamos vitoriosos, que cresçamos e que façamos a diferença, por um motivo único: querem a nossa felicidade.

Existiriam líderes maiores do que estes para cada um de nós? Acredito que não.

Desde os nossos primeiros passos, eram vocês, pais, que estavam por ali, torcendo por nós, chorando nas nossas tristezas, sorrindo nas nossas alegrias, desenvolvendo a maior parte de suas atividades pensando em nosso bem estar, felicidade e sucesso, mais ainda do que em suas próprias realizações.

E foi graças a todo esse empenho que estamos aqui hoje, comemorando a realização deste grande sonho: o de nos tornarmos engenheiros civis. Muitas vezes, por vaidade, poderíamos nos julgar autossuficientes e plenamente responsáveis por essa vitória. Mas, com certeza, não teríamos chegado até aqui sem a participação constante desses que sempre foram os nossos maiores apoiadores.

A contribuição de nossos pais nessa conquista começou há muito tempo, quando ainda éramos crianças, ensinando-nos os valores que carregaríamos conosco ao longo de toda a nossa vida.

Como disse o psicólogo Frederic Skinner: "A educação é aquilo que sobrevive depois que tudo o que aprendemos foi esquecido."
Podemos nos esquecer de alguns conteúdos arduamente estudados desde aquela época, passando pelo período de vestibular, até chegar à conclusão do curso nesta que é uma das melhores universidades do país. Entretanto, não nos esqueceremos do respeito, do amor, da perseverança, da humildade e de tantas outras lições deixadas por vocês.

Todos esses momentos não vivemos sozinhos. Vivemos com vocês, nossos pais. E é por isso que, nesta data, dedicamos-lhes com grande carinho essa vitória. Obrigada por todos os seus conselhos, amor e compreensão, além dos sacrifícios que passaram para nos oferecer essa oportunidade. E quando me refiro aos pais, quero estender esta singela homenagem também àqueles que porventura exerceram esse papel: sejam tios, avós, ou demais companheiros, quer estejam ou não presentes. A todos os senhores e senhoras, a nossa eterna gratidão.

Um agradecimento especial também a DEUS, nosso Pai Supremo, por ter nos acompanhado nessa jornada e ter concedido esse momento tão importante para todos nós, filhos e pais.

Gandhi, o famoso líder Indiano, disse: “Não é preciso entrar pra história para fazer um mundo melhor”. Mas vocês, pais, entraram pra história sim. Para a nossa história. E fizeram o nosso mundo melhor. E a partir de hoje, quando formos refletir sobre líderes de sucesso, nos lembraremos de vocês, nosso maior exemplo e inspiração. Que DEUS abençoe a todos.
Muito obrigada.

(DISCURSO PROFERIDO PELA ALUNA SIMONE LARA FATUCH, POR OCASIÃO DE SUA COLAÇÃO DE GRAU PELA TURMA DE ENGENHARIA CIVIL DA UNICAMP EM 26.02.2011)

E você, gostaria de colaborar com o nosso Jornal? Se quiser, envie o seu texto para fatuch@uol.com.br. Não deixe de mencionar a fonte, caso não seja o autor.
 
E N T R E V I S T A   D O   M Ê S
Edgar

Conheçam melhor, através desta entrevista, o nosso estimado irmão EDGAR SILVA MACEDO, agora Biólogo, com Bacharelado e Licenciatura pela UNIP – Universidade Paulista. Ele é filho de Natalícia Alves Silva de Macedo e Elizeu Ribeiro de Macedo. Suas irmãs também são conhecidas nossas: Natasha Silva de Macedo, Marina Silva de Macedo e Natalie Silva de Oliveira. Acompanhem as respostas.

JP: Você acabou de concluir o curso de Biologia. Pode falar um pouco sobre ele e a faculdade?
E: O curso de Ciências Biológicas já era um objetivo desde o ensino médio. Tive uma professora em particular que me cativou muito com a disciplina de biologia. O curso é bastante vasto e na faculdade o aluno tem a oportunidade de se debruçar sobre muitos assuntos atuais e que estão na pasta das esferas governamentais, setor privado e Ong’s Organizações Não Governamentais. O curso em si abrange muitas disciplinas que auxiliam na escolha do futuro profissional biólogo(a). Enfim, é preciso gostar muito de conhecer e entender os processos biológicos que regem a vida no planeta e outro ponto muito importante que considero é que deve-se ser crítico, pois a ciência não é exata.
 
JP: E antes disso, onde e o que mais estudou?
E: Anteriormente ao curso de biologia eu conclui o curso técnico de bioquímica na ETECAP – Escola Técnica Estadual Conselheiro Antônio Prado.
 
JP: Parece que temos novidades em relação à continuidade dos estudos, é isso?
E: Sim é verdade. Eu estou tendo a oportunidade de cursar outra graduação e em uma universidade pública federal. Curso AGROECOLOGIA na UFSCar-CCA (Universidade Federal de São Carlos-Centro de Ciências Agrárias) no campus de Araras. Essa é uma ciência nova em termos de território nacional, mas que já vem sendo bastante difundida em outros continentes como o europeu. O curso é fantástico, apresenta uma nova e resgatadora visão para o modelo de agricultura atual, com conceitos de sustentabilidade e respeito ao ambiente ecológico rural. Vocês certamente ouvirão falar muito ainda dessa ciência.
 
JP: O seu desenvolvimento no campo acadêmico tem sido um destaque entre nós. Quais os principais procedimentos de sua parte para se manter sempre tão atualizado em relação aos assuntos de seu interesse?
E: Bem esse destaque, por assim dizer, é certamente fruto da minha vivência e dos valores muitos dos quais eu venho adquirindo na comunidade que frequento, que é o Jardim São Cristóvão. E uma dica legal é buscar alguma publicação especializada no assunto de seu interesse, por exemplo – eu me interesso muito pela temática da alimentação, consumo responsável e do vegetarianismo. Então eu assino uma revista especializada no assunto, no caso a Revista dos Vegetarianos. A internet é uma ferramenta de utilidade inestimável, é uma das ultimas fronteiras onde a liberdade e diversidade de opiniões acontece. E é justamente nesse nicho que se pode ver muitas vertentes do mesmo assunto. Eu prezo muito pelos documentários, encontro neles a característica genuína de quem esta contando uma narrativa da realidade a que se propõe a mostrar.
 
JP: Temos acompanhado, há anos, a sua dedicação à Sã Doutrina e às atividades religiosas. O que elas significam para você e como consegue conciliá-las?
E: Eu valorizo muito as atividades desenvolvidas pela comunidade religiosa, participo e tento dar minha contribuição porque sei que é importante se envolver nesses acontecimentos, isso fortalece o grupo. E desde sempre eu deixo um espaço para me dedicar a essas atividades, seja como voluntario no Lar Beneficente, na diretoria da Reunião de Jovens ou participando dos eventos da Sã Doutrina. Penso ser essencial dedicar meu tempo para as atividades religiosas, pois me aproximo da irmandade e consequentemente de Deus.
JP: Apesar de jovem você já pode se considerar uma pessoa experiente. Quais orientações gostaria de passar aos nossos adolescentes?
E: É, creio possuir um pouquinho – mas tenho muito a aprender ainda. O que posso dizer aos meus amigos jovens e adolescentes é que não se deixem intimidar com nada, exatamente isso, não permitam que nada os intimide. Muitas das vezes nós deixamos o medo e a ansiedade nos dominar e por em risco nosso desempenho na busca pelos nossos objetivos, sejam eles profissionais ou pessoais. Portanto, tenham autoconfiança, sejam um pouco narcisistas e estejam abertos ao amor, pois ele rege harmonicamente todos os processos e relações humanas e com o meio ambiente.

JP: Alguma mensagem para os leitores do Jornal do PAPE?
E: Caros leitores que prestigiam esse veículo de informação tão estimado de todos, gostaria de nessa honrosa oportunidade deixar a todos vocês meus desejos de encorajamento. Espero que todos sejam engajados e que busquem pleitear pelas causas justas, para que não tenham nada do que se arrepender perante os homens e mesmo perante nosso Criador. Um grande abraço a todos, fiquem em paz com o Senhor Jesus.