Foto da noticia

Atitudes e Consequências

18 de Julho de 2016


Escrito por Carlinhos Edwiges - jcedwiges@hotmail.com
30-Jan-2013
sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Crônicas
 
A raiz popular da palavra atitude é ato, ação. Podemos definir atitude como o conjunto de ações e iniciativas que tomamos para alcançar um objetivo.
Este texto, procura identificar algumas referências na escritura sagrada que tenha atitudes como exemplo e suas respectivas conseqüências.

Em principio, observamos a introdução das bênçãos decorrentes da obediência, no capítulo 28 de Deuteronômio:
E será que, se ouvires a voz do Senhor, teu Deus, tendo como atitude, o cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu te ordeno hoje, o Senhor, teu Deus te exaltará sobre as nações da terra.
E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão quando ouvires a voz do Senhor, teu Deus:

O que segue na seqüência dos próximos 12 versículos é uma relação de bênçãos destinadas aos fiéis seguidores da lei de Deus.
Percebam que a benção é uma atitude do Senhor em resposta a uma atitude nossa, garantida àqueles que obedecem, ou seja, a benção é uma conseqüência por nossa obediência.
 
Para iniciar o verso 15, temos um novo título chamado: castigos por desobediência.
Assim diz a introdução:
15 Será porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor, teu Deus, para não cuidares em fazer todos os seus mandamentos e os seus estatutos que hoje te ordeno, então, sobre ti virão todas estas maldições e te alcançarão.

Na seqüência dos próximos 52 versículos, temos a conseqüência da desobediência, ou seja, aatitude de Deus para com aqueles que tiveram atitude que não agradam ao Senhor, que não deram ouvidos a sua voz e sua orientação. 

No novo testamento, Mateus deixou escrito importante ensinamento de Jesus Cristo. No capítulo 25, no Sermão Profético, Jesus fala sobre o Grande Julgamento.

Depois que o Filho do Homem separou as ovelhas do meio dos cabritos, disse palavras maravilhosas para as ovelhas, que estavam à direita. Ele também deu a explicação do motivo pelo qual estas pessoas estavam herdando o Paraíso, e em resumo Ele falava que foi atendido em suas necessidades.

Os justos estranharam estas palavras de atenderem a necessidade de Jesus, mas o Mestre lhes abriu o entendimento, esclarecendo que a atitude deles perante os pequeninos é que lhes garantiu o direito a vida eterna no Reino de Deus, pois ao fazer aos pequeninos, estavam fazendo a Cristo.

Foi a atitude de ajudar, de socorrer os irmãozinhos lá traz que promoveram esta atitude de benevolência do Grande Rei, ou melhor, esta atitude de justiça.

Da mesma forma, quando o juiz aponta para os da esquerda e profere palavras terríveis, de condenação. Ele não está sendo maldoso ou perverso, ele está apenas tomando uma atitude que condiz com o comportamento destes, ou seja, quando deixaram de atender a necessidade dos pequeninos, deixaram de fazer para Cristo. Foi uma escolha e esta atitude, ou talvez podemos dizer, esta falta deatitude, foi o motivo que os levou ao castigo e ao tormento.

A escritura nos traz diversos exemplos de pessoas que tiveram atitudes em momentos decisivos em suas vidas. Profetas que enfrentaram a morte para defender o nome de Deus tiveram uma atitudefirme na adversidade. Homens que se tornaram discípulos e apóstolos, aceitando o convite de Jesus para segui-lo, deixando tudo para trás, como Mateus. Tiveram uma atitude admirável, certamente um grande exemplo para observarmos e seguirmos.

No primeiro capítulo de Marcos, nos versos 40 a 42, Jesus cura um leproso.
40 E aproximou-se dele um leproso, que, rogando-lhe e pondo-se de joelhos diante dele, lhe dizia: Se queres, bem podes limpar-me.
41 E Jesus, movido de grande compaixão, estendeu a mão, e tocou-o, e disse-lhe: Eu quero, que tu fiques limpo!
42 E tendo ele dito isso, logo a lepra desapareceu, e ficou limpo.

Percebamos a forma que este homem abordou o Mestre, sua atitude foi de uma pessoa que reconheceu o poder e a autoridade do Messias.

Mais do que se pôr de joelhos, reconhecendo estar diante do Grande Rei, também provocou o Senhor a operar a sua cura, dizendo: “Se queres, o Senhor pode me curar.”

Certamente o Senhor ficou sensibilizado com aquele homem, com sua fé e confiança, e teve compaixão e sua atitude foi curar aquela enfermidade. 

Outro exemplo está no capítulo 18 do evangelho segundo Lucas, nos versos 35 a 43: O cego de Jericó:
35 E aconteceu que, chegando Jesus perto de Jericó, estava um cego assentado junto do caminho, mendigando,
36 E, ouvindo passar a multidão, perguntou que era aquilo.
37 E disseram-lhe que Jesus, o Nazareno, passava.
38 Então, clamou, dizendo: Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!
39 E os que iam passando repreendiam-no para que se calasse; mas ele clamava ainda mais: Filho de Davi, tem misericórdia de mim!
40 Então, Jesus, parando, mandou que lho trouxessem; e, chegando ele, perguntou-lhe, 41 dizendo: Que queres que te faça? E ele disse: Senhor, que eu veja.
42 E Jesus lhe disse: Então que veja; a tua fé te salvou.
43 E logo viu e seguia-o, glorificando a Deus. E todo o povo, vendo isso, dava louvores a Deus.

Percebam a atitude de um homem desesperado, que tinha uma deficiência na visão e tendo a oportunidade de resolver seu problema, pois estava diante do médico dos médicos, não se calou apesar da insistência dos outros para que ele se calasse. Pelo contrário ele gritava ainda mais alto para chamar a atenção do Salvador. E ele não queria ouro e nem prata, ele queria apenas enxergar.

Jesus lhe reconhecendo a fé, deu a visão aquele homem, que passou a ser seu seguidor e muito certamente um discípulo de nosso Mestre. 
As nossas atitudes de hoje ditarão o rumo do nosso futuro.

Diz a escritura que veio a palavra do Senhor ao Profeta Jeremias, no capítulo 18, versos 7 ao 10, dizendo:
No momento em que eu falar contra uma nação e contra um reino, para arrancar, e para derribar, e para destruir, 8 se a tal nação, contra a qual falar, se converter da sua maldade, também eu me arrependerei do mal que pensava fazer-lhe.
E, no momento em que eu falar de uma gente e de um reino, para o edificar e para plantar, 10 se ele fizer o mal diante dos meus olhos, não dando ouvidos à minha voz, então me arrependerei do bem que tinha dito lhe faria.

É interessante notar que nossas atitudes podem mudar o que nos está preparado.

Muitas vezes as pessoas estão na eminência de um problema, de uma coisa ruim para acontecer. Talvez alguma coisa errada esteja sendo feita, mas o Senhor nos mostra com estas palavras que se haver conversão da maldade, se haver mudança de atitude para o bem, então o Senhor também mudará aatitude, e não permitirá o mal.

Por outro lado, se tivermos coisas boas nos aguardando, a nosso favor, pois estamos na obediência e se viermos a tomar atitudes contrárias aos ensinamentos do Senhor, eis então que o Senhor pode também mudar sua atitude e invés de nos conceder a benção pode nos enviar o castigo. 

Nós temos o livre arbítrio, ou seja, o poder de escolhermos aonde vamos por nossa mão.

Nunca devemos esquecer de que toda decisão leva a uma conseqüência, por isso sejamos sábios em nossas atitudes para que a felicidade seja a conseqüência em nossa vida.

Campinas, 23 de Setembro de 2011.