Achaste Mel?

Foto da noticia

24 de Dezembro de 2019
natabreves@hotmail.com
Natalino de Souza Breves   


sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Crônicas

Achaste mel? Come só o que te basta; para que porventura não te fartes dele, e o venhas a vomitar. Provérbios 25:16

 
Há momentos da vida que algum evento ganha forças na nossa rotina. Esses eventos pode ser uma amizade, que de tão forte parece que a outra pessoa é parte de nós ou a metade do coração que se for retirada a pessoa deixa de viver.
 
Pense: Os amigos de Jó permaneceram sempre amigos, ou lhes faziam acusações em seu sofrimento?! Somos nós melhor que Jó?
 
Há momentos em que esses eventos podem ser momentos de lazer, um tipo de diversão muito apreciada como internet em que se ficam horas navegando, vendo imagens, pessoas, animais e muitas outras novidades que estão disponíveis. Jogos e vídeos de diversas naturezas e as pessoas se aprofundam.
 
Seria viável pensarmos um pouco: Como isso é tão passageiro, não dura mais que certo tempo de satisfação!
 
As pessoas muito importantes em certo momento da nossa vida, podem se magoar fácil e criar sentimentos imperdoáveis e lá se foi uma amizade em que as vezes se trocava tudo por ela.  
 
Fica o questionamento: E agora? E a vida como vai ficar? Vai acabar por isso? Vai se achar em culpas? Vai ficar em sofrimento e lastimação? É hora de pensar um pouco mais: O que foi desfeito com essa amizade, pode ser reconstruído?
 
E as horas de vivencia na internet, nos passeios, nas diversões, e tudo mais, não comprometeram a sua vida espiritual?
 
Quem tem internet pra navegar, será isso pra sempre em sua vida? Sempre vai ter a internet a sua disposição e condição pra ficar por horas desfrutando do que ela lhe disponibiliza?
 
Agora vale pensar: como aproveitou de tudo o que era bom? Valeu a pena? Está completamente saudável por todo aproveito?
 
Lembra do proverbio escrito por Salomão em Provérbios 25. 16: “Achaste mel? Come só o que te basta; para que porventura não te fartes dele, e o venhas a vomitar.”
 
É bom sempre ter limites naquilo que é prazeroso na matéria, ou que gosta muito, pois, o aproveitar ou achar que tais coisas sejam tudo em nossa vida podem trazer conseqüências.
 
É sempre bom analisar e pensar no futuro, no aproveitamento que tais coisas podem trazer, para depois não cair num arrependimento tarde demais, que não se pode mais voltar atrás para corrigir.