A Pesca Maravilhosa

Foto da noticia

08 de Maio de 2018
igaldino@gmail.com
Isadque Galdino de Araújo


sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Crônicas

(Lc. 5:1-11)
A pesca maravilhosa diz respeito à conversão de Pedro.
Pedro aqui representa o homem, nós, que pensamos bem pouco da nossa própria pessoa.

As coisas acontecem pelo poder de Deus e não por nós mesmos.
Quando Pedro vê a maravilha realizada por Jesus na sua frente, ele pede que Jesus se afaste dele.
Ora, foi Jesus quem escolheu seu barco a princípio e Jesus não faz nada por acaso.

Muitas vezes Jesus nos escolhe para algum serviço ou trabalho espiritual. Ou ainda Jesus nos escolhe para sermos seus discípulos, mas nós não nos achamos dignos de sua presença, assim como Pedro se sentiu indigno da presença de Cristo.

Muitas vezes nós nos negamos participarmos de algo grandioso, apenas por acharmos que somos pequenos demais.
Mas Jesus não pensa assim. No caso de Pedro, ele foi escolhido para ser nada menos que o pai da igreja, apascentador das ovelhas de Cristo. Por essa causa ele foi testemunha de muitas obras maravilhosas feitas por Cristo.

Como é bom ser escolhido por Cristo. Como é bom participar do seu poder. Como é boa a piedade de Jesus.
Muitas vezes nós pensamos que não temos muita utilidade. Que somos apenas pescadores. "As coisas importantes acontecem com pessoas importantes e não conosco".

Se assim fosse o pensamento do Senhor, ele teria escolhido um fariseu ou um sacerdote, talvez até um escriba, pessoas com conhecimento para fazer um trabalho com bastante competência.

Mas o Senhor tem pensamentos mais altos que o nosso. Ele vê o coração das pessoas. Ele conhece as pessoas melhor do que elas mesmas. Por isso ele escolheu Pedro. Por isso ele nos escolheu para fazer o seu trabalho.

Confira o texto bíblico: 

Lucas 5:1-11

E aconteceu que, apertando-o a multidão, para ouvir a palavra de Deus, estava ele junto ao lago de Genesaré;

E viu estar dois barcos junto à praia do lago; e os pescadores, havendo descido deles, estavam lavando as redes.

E, entrando num dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da terra; e, assentando-se, ensinava do barco a multidão.

E, quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao mar alto, e lançai as vossas redes para pescar.

E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, sobre a tua palavra, lançarei a rede.

E, fazendo assim, colheram uma grande quantidade de peixes, e rompia-se-lhes a rede.

E fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco, para que os fossem ajudar. E foram, e encheram ambos os barcos, de maneira tal que quase iam a pique.

E vendo isto Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, ausenta-te de mim, que sou um homem pecador.

Pois que o espanto se apoderara dele, e de todos os que com ele estavam, por causa da pesca de peixe que haviam feito.

E, de igual modo, também de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. E disse Jesus a Simão: Não temas; de agora em diante serás pescador de homens.

E, levando os barcos para terra, deixaram tudo, e o seguiram.