A História


12-Dec-2007
www.sadoutrina.org - Reuniões - A História 
Por Moisés Pacheco de Oliveira e Luiz Garcia Freire - Campinas - SP 
 
Desde a manifestação inicial entre os anos de 1914 e 1916 até a década de 1960 não havia Reunião de Jovens na Sã Doutrina.

Por quê? 
Por que não havia necessidade ou por que os irmãos não se organizavam para isso?
Devido a essa dúvida, fizemos uma pesquisa com alguns irmãos que viveram naquela época e obtivemos como resposta o seguinte:

• Em partes, havia necessidade e em partes não.
Quando disseram que havia necessidade, entendemos que se tratava da importância de conhecer os fundamentos da Sã Doutrina.

Por que o jovem naquele tempo operava no culto espiritual e se dedicava. Entretanto, não sabia o porquê de tudo isso, não era preparado e não tinham opinião formada.

Quando afirmaram que não havia necessidade, entendemos que era tranqüila a permanência do jovem na Sã Doutrina. Os irmãos moravam em área rural, distante da área urbana (cidade) e desta forma, ficava impedido que o jovem tivesse acesso à liberdade do mundo e transgredisse os mandamentos de Deus.

Alguns fatores que contribuíram para o não desenvolvimento desta obra foram a distância, os meios de locomoção, meios de comunicação, pois estes eram precários.

Mas, podemos dizer, também, que talvez faltasse entre os irmãos alguém com disposição e coragem para então dar o início.
Ao final dos anos 60 para o início dos anos 70 começaram a surgir grandes mudanças na comunidade da Sã Doutrina.

Grande parte dos irmãos começou a deixar a área rural e migrar para os centros urbanos (cidades) e com estas migrações começaram a surgir alterações no comportamento de alguns jovens da Sã Doutrina, uma vez que estes passaram a ter acesso às inovações da ciência, da tecnologia, as novas amizades, gerando desta forma, novas influências.

Aquele jovem que vivia na área rural e era conduzido pelos mais velhos, não tendo liberdade e opinião formada, visto que, não era preparado para decifrar os frutos do espírito e as obras da carne, começou então a querer desintegrar-se da comunidade dos santos e causou preocupação para alguns líderes da época.

Surgiu então a necessidade de se dar uma atenção maior e melhor para a juventude da Sã Doutrina preparando os jovens para que estivessem estruturados, isto é, aperfeiçoando no conhecimento da palavra, decifrando o bem e o mal e que mais tarde pudessem também conduzir a Sã Doutrina.

Mas como preparar o jovem? 
Qual seria a melhor forma?
Colocando o jovem para pregar?
Exigindo que estivessem todos os dias no culto espiritual?
Sabia-se que havia necessidade e era a hora de prepará-los. O que fazer então?

A melhor maneira, talvez, foi criar um estudo bíblico, ou melhor, dizendo, um grupo de jovens. E isso foi feito. O Espírito Santo de Deus usando o conhecimento e a ousadia de um pregador revolucionário operou sobre a igreja uma grande obra. Isto é, a implantação da Reunião de Jovens na Sã Doutrina.

Joaquim Néris Pereira recordou este importante momento. Estas foram suas palavras: 

“Conforme foi crescendo a comunidade da Sã Doutrina em Umuarama, estado do Paraná, a mocidade começou a se envolver muito com praças e escolas e não ligavam para a igreja”.

Um dia, no ano de 1976, eu convidei o Benedito Gimenez, o Faustino, o Francisco Modesto, dentre outros, para conversar sobre o destino da mocidade. Disse eu: estamos na cidade, muitas vaidades existem, os jovens vão às praças assistir televisão, nos cinemas. Precisamos pensar em como segurar na doutrina a mocidade. Sugeri então que tínhamos a opção de no sábado à tarde fazer estudo bíblico com a mocidade e no domingo à noite, ao invés do Culto Espiritual, fazer reunião com os jovens. Os jovens trazem o que estudaram para discutir na reunião e estudar. Domingo era o dia em que mais nos preocupávamos com a mocidade.

Os irmãos concordaram e chamamos todos os jovens para o próximo domingo, às 8 da noite. Neste dia, com grande emoção, levantei e expliquei para a juventude que a partir daquele domingo haveria estudo específico para a mocidade sobre a doutrina e a Bíblia, para eles aprenderem histórias bíblicas.

Os jovens vieram. Eles não sabiam quase nada da Bíblia, perguntavam até se São Mateus ficava no velho ou no novo testamento. Ninguém se preocupava em ler a Bíblia, nem jovens e nem velhos; iam mais pela tradição.

A partir daí todos passaram a ler mais a Bíblia. Na reunião eu incentivava os jovens a ler, explicar e entender. Eles tinham dificuldades para interpretar, pois não estavam acostumados com a leitura bíblica. A igreja passou a ficar lotada nos domingos à noite; vinha a mocidade com os pais juntos. Houve incentivo e os jovens se animaram.

Tiveram ideias resistentes por parte de alguns irmãos, entretanto eu e os companheiros não usávamos arrogância para responder. Dentro da Bíblia, com humildade, fomos convencendo as pessoas sobre as reuniões e sua importância. Também teve muito apoio dos irmãos de Umuarama. Então à reunião foi crescendo para outras cidades. O Jovem Isaias Edwiges fez uma plaqueta de madeira, com os dizeres “26/09/1976 - Inauguração da Reunião da Mocidade em Umuarama”.

Nascia ali a Reunião da Mocidade na Sã Doutrina, popularizada com o nome de Reunião de Jovens. Em 1980 a Reunião de Jovens foi implantada em Campinas e nos anos seguintes foi implantada na Grande São Paulo, em Rio Claro, Sumaré, expandindo-se por todo o Brasil.

A partir da Reunião de Jovens também foram criadas as Reuniões de Crianças e Mulheres.

Com a expansão da Reunião de Jovens e a implantação em várias cidades e estados brasileiros, criou-se o Encontro Nacional de Jovens. 

Atualizado em ( 21-Jul-2013 )